Manutenção de peças deve ser constante para evitar acidentes

Não é somente no período de férias, em que o motorista vai pegar a estrada com a família, que o automóvel precisa de uma revisão em seus componentes. Infelizmente, o brasileiro não tem o costume de checar as peças do seu carro em outras épocas do ano, a menos que o veículo venha a ter algum problema mecânico. Aliás, os gastos com automóveis nas oficinas são bem expressivos, isso porque quando uma peça que esteja com problema não é identificada, nem arrumada, acaba por comprometer o funcionamento de outra.

Vários estudos comprovam que cuidar do carro preventivamente evita desgaste de peças prematuramente, além de ter uma economia no bolso de cerca de 800%. “Suspensão e freios precisam obedecer às datas de revisões periódicas por são itens de segurança. Além disso, correias, velas e cabos de ignição, embreagem são itens importantíssimos para longevidade do veículo.”, afirma Luiz Roberto Ghidini, Gerente de Vendas da Decar.

A frota de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus registrou um aumento de 8,4% segundo levantamento do Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores). E cerca de 5% dos acidentes nas estradas brasileiras envolvem casos que ocorreram por falha mecânica no veículo. Ghidini explica que há uma cultura de que quando o carro é novo, o motorista tem por hábito fazer a manutenção de peças periodicamente, mas que com o passar do tempo esse cuidado é abandonado e a visita às oficinas só é feita em casos de problemas no automóvel.

“A vida útil do veículo também será determinada pelas revisões periódicas recomendadas pela montadora.”, completa. E alerta sobre os preços baixos: “não existe ‘mágica’. A oferta de produto ou serviço abaixo do preço do mercado é um sintoma de má qualidade”. Para comprovar a qualidade de autopeças, em 2010, o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) publicou a portaria número 448, que lista nove famílias de produtos: amortecedores da suspensão, bomba elétrica de combustível, terminais de direção, barras de direção, conjuntos de barras axiais, bronzinas, pistões de liga leve de alumínio, pinos e anéis de trava retenção, anéis de pistão, lâmpada para veículos automotivos e cintos de segurança.

Por se tratar de uma portaria recente ainda não existem empresas certificadas, mas, é importante destacar que, antes de se adequar à nova norma, a instituição deve possuir um sistema de gestão da qualidade, que atenda os requisitos das normas ISO 9001 ou ISO TS 16949. No Brasil, a Decar é a primeira a possuir a ISO 9001 no mercado de reposição.

Especializada nas linhas de motor, câmbio, suspensão e freios para veículos leves, a Decar oferece mais de 25.000 itens para veículos nacionais e importados e, para a atualização constante das linhas, lança anualmente cerca de 2.000 itens.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: