Publicidade

Roberval Andrade, piloto do Corinthians, chega em segundo e volta ao pódio depois de mais de um ano


O segundo lugar na segunda corrida da temporada 2012 da Fórmula Truck, em Jacarepaguá, valeu tanto quanto algumas das 20 vitórias na carreira de Roberval Andrade. O piloto da Ticket Car Corinthians Motorsport voltou ao pódio depois de mais de um ano – a última vez havia sido na primeira etapa de 2011, no dia 27 de fevereiro, com um 4º lugar em Santa Cruz do Sul (RS) –, período em que liderou todas as corridas e quebrou em todas.

E como costuma ser no futebol, a conquista do corintiano foi dramática, na raça. Roberval largou em 5º lugar e, quando os dois caminhões que estavam na primeira fila – de Christian Fittipaldi e Wellington Cirino – se tocaram, conseguiu sobreviver com muita perícia, um pouco de sorte, mas não sem avarias. “Cheguei bater no Christian e meu caminhão ficou um pouco desalinhado”, disse o piloto do Scania número 15.

Com a confusão, Leandro Totti assumiu a ponta, com Beto Monteiro em segundo e Roberval em terceiro, seguido por Danilo Dirani. Na quinta volta, Totti foi perdendo rendimento, Monteiro foi para a ponta e Roberval assumiu a segunda posição, que manteria até o fim, mas na base da raça. Felipe Giaffone assumiu a terceira posição na 6ª volta, e pouco antes da bandeira amarela programada, na 12ª volta, estava dois segundos atrás do piloto do Corinthians, que vinha dois segundos atrás do líder. Na relargada Roberval atacou bastante Beto Monteiro, mas não conseguiu a ultrapassagem. “Fui para cima, mas quando percebi que não daria para passar resolvi fazer minha corrida, poupando um pouquinho o equipamento , mas não foi possível, porue logo o Felipe Giaffone chegou e começou a me pressionar ”, explicou Roberval.

A diferença entre Roberval Andrade e Felipe Giaffone ficou menor do que um segundo a partir da 16ª volta, e na 20ª das 34 voltas o atual campeão chegou de vez e come;cou a botar seu caminhão de lado com o Scania número 15. O auge da disputa se deu na 31ª volta, quando os dois andaram lado a lado por mais de 30 segundos, com Giaffone chegando a apontar na frente uma curva, até que na junção, Roberval entrou por dentro, Giaffone ficou sem freio e passou reto, voltando para a pista em 7º. Dali em diante foi levar o caminhão para o pódio. “Foi um disputa sensacional e limpa, que só valorizou minha volta ao pódio depois de tanto tempo. Não poderia esperar outra coisa do Felipe. Depois de tantas quebras na liderança e do calor que estava fazendo aqui, entramos com um acerto mais conservador, mas eu tenho um estilo agressivo e as circunstâncias da prova também de fizeram pisar o tempo todo. Mas conseguimos chegar ao fim e de agora em diante espero que a história mude”.

Resultado

1º) 88 – Beto Monteiro (I, PE), 34 voltas em 1:01:02.614 (média de 102,49 km/h)
2º) 15 – Roberval Andrade (S , SP), a 8.804
3º) 77 – André Marques (W , SP), a 10.648
4º) 9 – Renato Martins (W , SP), a 10.964
5º) 51 – Leandro Reis (S , GO), a 12.107
6º) 55 – Paulo Salustiano (V , SP), a 13.895
7º) 4 – Felipe Giaffone (W , SP), a 14.113
8º) 14 – João Maistro (V , PR), a 40.878
9º) 7 – Debora Rodrigues (W , SP), a 53.136
10º) 2 – Valmir Benavides (I , SP), a 1:12.160
11º) 20 – Pedro Muffato (S , PR), a 1:12.657
12º) 99 – Luiz Lopes (M , SP), a 1:19.904
13º) 32 – Luiz Pucci (V , RA), a 10 voltas
14º) 8 – Adalberto Jardim (W , SP), a 11 voltas
15º) 6 – Wellington Cirino (M , PR), a 11 voltas
16º) 12 – Zé Maria Reis (S , GO), a 12 voltas
17º) 83 – Regis Boessio (M , SP), a 15 voltas
18º) 43 – Pedro Gomes (F , SP), a 18 voltas
19º) 3 – Christian Fittipaldi (M , SP), a 21 voltas
20º) 70 – Danilo Dirani (F , SP), a 24 voltas
21º) 11 – Diumar Bueno (V , PR), a 26 voltas
22º) 50 – Fred Marinelli (I , PR), a 26 voltas
23º) 73 – Leandro Totti (M , PR), a 28 voltas


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade