Publicidade

Nelsinho Piquet corre domingo na única pista inédita para ele na Nascar Truck Series

Fundado em 1965, circuito de Rockingham é um dos mais tradicionais da Nascar e volta a receber uma categoria nacional após 8 anos
Rockingham, 11 de abril de 2012 – Quando fez pela primeira vez na carreira uma temporada completa na Nascar, no ano passado, Nelsinho Piquet foi apresentado a diversos ovais pelos Estados Unidos. Em 2012, em apenas uma das 22 corridas da temporada da Nascar Truck Series ele vai competir em um palco inédito: neste domingo em Rockingham, uma das pistas mais tradicionais da Nascar.

Fundado em 1965, o autódromo antigamente era chamado de North Carolina Speedway. Mas sempre foi famoso entre os fãs da categoria como “The Rock”. É um oval de uma milha com inclinação variável entre 22º e 25º.

Durante mais de 40 anos, essa pista recebeu provas da Nascar. Mas desde 2004 não acontecem corridas das divisões nacionais lá. A última prova foi em fevereiro de 2004, pela Cup Series e teve um final muito disputado, com Matt Kenseth superando Kasey Kahne por um centésimo de segundo.

O retorno de “The Rock” às divisões de elite da Nascar foi selado no ano passado, após uma negociação que envolveu inclusive o governador do Estado da Carolina do Norte, autor do anúncio da inclusão da etapa no calendário da categoria. A corrida deste domingo será a primeira da história da Truck Series no autódromo e está cercada de grande expectativa.

Para valorizar o retorno da pista, a Nascar designou a corrida das picapes para o “horário nobre” do final de semana. A Truck Series, que normalmente abre a programação dos eventos, vai correr na tarde de domingo. Com isso, a jornada das divisões imediatamente superiores, neste final de semana em ação no Texas, foi antecipada para sexta-feira e sábado.

Outra medida para destacar a prova das picapes foi tomada em conjunto pela Nascar com os responsáveis pelo autódromo, na política da categoria de valorizar os fãs. O briefing dos pilotos, que normalmente é uma reunião fechada antes da prova, será aberto ao público neste final de semana.

A programação em pista também foi turbinada, com a previsão de quatro treinos livres antes da definição do grid, na tarde de sábado. Nos eventos disputados em apenas um dia em outras provas, acontecem apenas duas sessões.

Todo esse cenário é percebido com otimismo por Nelsinho Piquet para fazer sua estreia em Rockingham.

“No ano passado, eu chegava para conhecer as pistas sem referências, com desvantagem em relação aos outros caras mais experientes. Como era obrigado a pegar a mão dos traçados logo, aprendi bem a ler as pistas e tentar adaptar minha pilotagem ao estilo de cada uma. Agora é novo para mim, mas novo também para todo mundo. E o método que desenvolvi para aprender as pistas rapidamente em 2011 pode me ajudar a dar um salto na frente aqui em 2012″, compara Piquet Jr.

O piloto do Chevrolet Silverado #30 da equipe Turner Motorports lembra ainda que realizou um treino com o time em dezembro do ano passado na pista de Rockingham. Como na ocasião ainda não era uma pista oficial da temporada da Truck Series, o circuito podia ser usado para testes, dentro das normas da Nascar.

“O treino do ano passado foi positivo para ter contato com o time e com a pista. Mas como só estava nossa equipe presente, não tivemos a referência dos times adversários. Minha impressão é que é um circuito muito abrasivo, que vai exigir bastante dos pneus”, declarou Nelsinho, oitavo colocado no campeonato.

O chefe da equipe do truck #30, Chris Carrier, esteve naquela ocasião e ficou impressionado com o que mostrou o piloto. “Eu não sabia muito o que esperar. Falando francamente: Rockingham é um animal! É mais ou menos como Bristol, onde não há o que fazer para se preparar de antemão. Mas não demorou para o Nelson entender o que ele tinha de fazer. Ele tem um talento natural para lidar com asfalto ondulado -e é justamente isso que Rockingham tem. Acredito que isso vem do passado dele na F-1″, avaliou Carrier.

O piloto acrescenta que “temos tudo para andar bem” e aponta ainda que a partir dessa prova de Rockingham pode ficar mais nítido o bloco dos trucks que realmente vão disputar o campeonato. “As duas primeiras corridas em Daytona e Martinsville sempre são muito imprevisíveis, o que dificulta determinar os concorrentes mais importantes. Para brigar pelo título, é necessário acumular resultados consistentes. A partir dessa prova isso pode ficar mais claro e meu objetivo é permanecer no top-10 na classificação, para entrar bem posicionado na fase da temporada das pistas de 1,5 milha, que normalmente são as minhas favoritas.”

A definição do grid de largada para a corrida de 200 milhas está marcada para sábado, às 16h35 pelo horário de Brasília. A prova começa no domingo às 14h e tem transmissão para o Brasil prevista pela Fox Sports.

Sobre a Nascar Truck Series

A Nascar Camping World Truck Series é uma das três categorias de abrangência nacional da Nascar e é disputada desde 1995 por picapes em provas que acontecem apenas em pistas ovais.

Atualmente, há quatro fornecedoras de caminhonetes para a categoria: Chevrolet, Ford, Dodge e Toyota. A temporada de 2011, vencida por Austin Dillon, foi disputada por mais de 40 pilotos. As corridas tiveram, em média, 33 mil pagantes.

A temporada de 2012 terá 22 provas. Começou em Daytona e termina em 16 de novembro, em Homestead (Miami).


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade