Publicidade

PSI 4 deve conter queda nas vendas de implementos rodoviários. Anfir aprovou medidas, mas faz alerta sobre incentivo aos equipamentos usados

As novas medidas de incentivo ao setor de veículos comerciais poderão conter a queda nas vendas e na produção de implementos rodoviários. A expectativa é da Anfir, associação dos fabricantes do setor. A entidade aprovou a quarta etapa do PSI (Programa de Sustentação do Investimento).

O pacote, anunciado dentro do plano Brasil Maior, garante às grandes empresas taxa de 7,3% ao ano e prazo de até 120 meses (antes era 8,7% aa e 96 meses), com financiamento de até 90% do valor do bem (era 70%). Para autônomos, micro, pequenas e médias empresas o juro agora é de 5,5% aa (era 6,5% aa), também com 120 meses para pagar e financiamento de 100% do bem (era 80%).

Outra medida considerada positiva foi o programa Procaminhoneiro do BNDES, que também beneficiará os fabricantes de implementos rodoviários. Ficou estabelecido que a taxa de juros fixa será reduzida dos atuais 7% ao ano para 5,5% aa.

IMPLEMENTOS USADOS

A única ressalva da Anfir é acerca do estímulo à venda de implementos rodoviários usados. Dentro do pacote, o BNDES concederá as mesmas condições de financiamento para a compra de equipamentos usados registrados nos órgãos de trânsito competentes e que tenham até 15 anos de idade. Apesar de admitir a importância de incentivar o mercado de seminovos e usados, a entidade alerta que é preciso verificar a qualidade e estado de conservação destes produtos.

PRIMEIRO TRIMESTRE

Nos primeiros três meses do ano foram vendidos 41,8 mil implementos rodoviários. O volume é 1,9% inferior ao registrado no mesmo período de 2011. O segmento de reboques e semirreboques apresentou desaceleração mais expressiva, de 8,8%, com 12 mil unidades. Já o mercado de carrocerias sobre chassis manteve resultado positivo, com alta de 1,2%, para 29,7 mil equipamentos (veja aqui).

EXPECTATIVAS

As novas normas, que começam a valer no dia 30 de abril, poderão contribuir para que o setor registre crescimento em 2012. Em coletiva de imprensa realizada no início de março, Rafael Wolf Campos, presidente da Anfir, afirmou que o setor fecharia o ano no vermelho caso não houvesse mudança nas regras de financiamento para os equipamentos.

Na ocasião o executivo apresentou duas expectativas para 2012. O primeiro cenário era de retração, de acordo com as condições daquele momento. O segundo apontava para um crescimento, mas só teria validade se novas condições de crédito fossem anunciadas.

O PSI 4 atende às principais demandas dos fabricantes de implementos, com a redução das taxas, a possibilidade de financiar 100% do valor do bem e prazos de até 10 anos. Com isso, a entidade tem mais chances de evoluir de acordo com a previsão mais otimista e alcançar a produção de 213,8 mil equipamentos, com alta de 9% sobre 2011. O avanço deverá ser puxado pelo segmento de carrocerias sobre chassis, com expansão de 12% para 147,1 mil unidades. Já os reboques e semirreboques poderão somar 61,2 mil equipamentos, com alta de 3% sobre o ano anterior.

Fonte: Automotive Business


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade