Publicidade

De volta ao grid, Piquet admite estratégia de “tudo ou nada” pelo título. Piloto da ABF/Mercedes-Benz fará em Caruaru sua primeira participação na temporada 2012 da Fórmula Truck

Geraldo Piquet está de volta ao grid da Fórmula Truck. Ausente das duas primeiras corridas da temporada, disputadas nas pistas do Velopark (RS) e de Jacarepaguá (RJ), o piloto brasiliense reassumirá o caminhão número 3 da ABF/Mercedes-Benz a partir da terceira corrida, marcada para dia 6 de maio no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Caruaru (PE). A corrida valerá pontos pelos campeonatos Sul-Americano e Brasileiro da categoria.

Piquet não disfarça a euforia por voltar a pilotar. “Cumpri minhas duas corridas de afastamento e agora tudo volta ao normal. Durante esse tempo eu acompanhei tudo da categoria, mas não pilotei o caminhão, e não vejo a hora de entrar na pista de novo, de experimentar o caminhão novo, de voltar a lutar por vitórias”, afirma o piloto. Nas duas primeiras provas do ano, seu substituto foi Christian Fittipaldi, que disputar regularmente a Copa Fiat.

A desvantagem matemática decorrente da ausência nos dois primeiros grids do ano não afugenta Piquet da meta de conquistar seu primeiro título na Truck. “Vou começar o trabalho com duas corridas atrás dos outros e, assim, a coisa tem de acontecer meio na base do ‘tudo ou nada’. Se as coisas derem certo desde o início, vou brigar pelo campeonato, sim. Só que o espaço para erros e problemas, nessa circunstância, é bem menor”, pondera.

O brasiliense, vice-campeão brasileiro da Truck em 2008, vê especial importância numa adaptação rápida sua ao novo caminhão da ABF/Mercedes-Benz. “O modelo do caminhão é o mesmo do ano passado, mas a construção desse novo caminhão trouxe algumas mudanças no projeto do chassi. Ainda não pilotei o caminhão, que só ficou pronto em janeiro, mas se eu me entender bem com ele os resultados vão vir rapidamente”, compromete-se.

Trabalhar na confiabilidade do equipamento é a prioridade apontada por Geraldo Piquet. “No ano passado, na primeira metade do campeonato, nós não tínhamos caminhões tão rápidos, mas eram muito confiáveis, e com isso nós dois ganhamos corridas”, lembra, citando sua vitória no Rio de Janeiro e a de Wellington Cirino, seu companheiro de equipe, em Goiânia. “Agora, temos caminhões muito rápidos, falta um pouquinho de resistência”.

Foi com o caminhão de Piquet que Fittipaldi conquistou a pole-position em sua segunda participação na Truck. “O Christian realmente pegou a mão do negócio de uma forma muito rápida, eu acompanhei de perto todo o trabalho dele na primeira corrida. E o que ele mostrou foi importante para o caminhão da equipe ser, hoje, um dos mais rápidos da categoria. Meu campeonato só vai começar agora, e quero aproveitar ao máximo cada corrida”, diz.

A prova de 6 de maio em Caruaru terá em disputa o GP Bridgestone-Bandag. Será a terceira etapa do Brasileiro e segunda do Sul-Americano de F-Truck. As duas competições têm Beto Monteiro como líder. O pernambucano da Scuderia Iveco comanda a tabela nacional com 60 pontos, contra 34 dos vice-líderes Felipe Giaffone e André Marques, ambos da MAN-Volkswagen. Na competição continental, ele tem 30 pontos. Giaffone, vice, soma 22.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade