Helena Deyama confia nas melhorias e espera andar bem nesta segunda-feira. Equipamento da dupla da Brasil Off apresentou novo problema. Equipe trabalha de modo rápido e eficaz.

Mesmo sem ter o gostinho de acelerar forte na primeira etapa do Rally dos Sertões, Helena Deyama, que participa pela 13ª vez do principal rali do Brasil, ao lado do navegador Rafael Diasteria, está confiante que a partir desta segunda-feira (20) as coisas melhorem e ela possa fazer o que mais gosta: pisar fundo. Como a maioria dos competidores, a dupla da equipe Brasil Off Road também enfrentou problemas durante o primeiro dia de disputas. Nesta segunda, o Rally dos Sertões segue para a cidade de Bacabal (MA).

“Hoje não tive o gostinho de andar na prova e sentir a dificuldade e os desafios da especial, mas, pelos comentários, percebi que estava bem do jeito que eu gosto”, disse Helena Deyama.

A competidora relatou os problemas em seu equipamento. “Andei só dez quilômetros. Larguei e logo parei, porque o motor pifou. E o mais incrível, e melhor, é que não foi o mesmo problema de ontem, quando a equipe refez o motor todo certinho. Hoje foi a parte de cima do cabeçote, quebrou a correia dentada. E mais uma vez, para minha sorte, a equipe trabalhou bem. Eles foram lá e tentaram arrumar o carro, mas não teve jeito, tive que vir rebocada”, contou Deyama.

Ela não se deixa abalar e está confiante para que as coisas melhorem a partir desta segunda-feira. Afinal, vontade e determinação para competir não lhe faltam. “É um pouco frustrante mesmo, mas sabemos que são coisas de rali. Não ter a chance de acelerar é muito triste. Mas hoje foi só o primeiro dia e amanhã espero andar bem”, disse.

Segundo Deyama, os problemas do domingo devem ser vistos como uma página virada. A especial foi complicada para todos e no balanço do dia, o domingo não foi de todo ruim. E a equipe já está focada na resolução dos problemas.

O time Brasil Off Road tem trabalhado de forma eficaz e rápida e isso dá uma certa tranquilidade e confiança para Helena Deyama. Agora as atenções devem estar voltadas para a etapa de amanhã (segunda, 20). Será uma especial dura e longa. Incluindo os deslocamentos, serão 514 km de Barreirinhas até Bacabal, cidade que pertence ao estado do Maranhão.

20/08 – Segunda-feira: 2ª Etapa –
Barreirinhas (MA) – Bacabal (MA)
Deslocamento Inicial: 1 km
Trecho de Especial: 148 km
Deslocamento Final: 365 km
TOTAL: 514 km.

Próximas etapas
21/08 – 3ª Etapa: Bacabal (MA)/Barra do Corda (MA)
22/08 – 4ª Etapa: Barra do Corda (MA)/Carolina (MA)
23/08 – 5ª Etapa: Carolina (MA)/Palmas (TO)
24/08 – 6ª Etapa: Palmas (TO)/Alto Parnaíba (MA)
25/08 – 7ª Etapa: Alto Parnaíba (MA) – Bom Jesus (PI)
26/08 – 8ª Etapa: Bom Jesus (PI) – Petrolina (PE)
27/08 – 9ª Etapa: Petrolina (PE) – Iguatu (CE)
28/08 – 10ª Etapa: Iguatu (CE) – Fortaleza (CE)

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: