Respeito ao limite de carga em caminhões traz redução de custos para empresas de mineração. Sindibritas e Agabritas iniciam campanha de conscientização do setor para evitar o excesso de cargas nos caminhões

O Sindicato da Indústria da Mineração, de Brita, Areia e Saibro do Rio Grande do Sul (Sindibritas) e a Associação Gaúcha dos Produtores de Brita, Areia e Saibro (Agabritas) deram início a um trabalho de conscientização no setor para a importância de respeitar os limites de carga nos caminhões. A inspiração vem de empresas associadas que decidiram aplicar com rigor o controle e acabaram reduzindo despesas.

– Recebíamos diversas multas porque estávamos infringindo a legislação carregando mais do que era permitido. Depois disso, resolvemos que íamos seguir à risca. No primeiro momento imaginamos que os caminhoneiros particulares, principalmente, iam querer aumento no valor da carga transportada. Porém houve o movimento contrário porque todos perceberam que havia um desgaste menor no veículo e menos risco de acidentes – explicou o gerente da empresa Sultepa, associada da Agabritas.

O tema está presente na Resolução No 258, de 30 de novembro de 2007, do Código de Trânsito Brasileiro. Conforme o Artigo 4º a fiscalização de peso dos veículos deve ser feita por equipamento de pesagem (balança rodoviária) ou, na impossibilidade, pela verificação de documento fiscal.

– Com a nossa frota constatamos uma redução no consumo de óleo diesel, pneus e menos manutenção dos veículos. Além de não gastarmos com as multas, percebemos uma redução de aproximadamente 20% nos gastos considerando óleo diesel, pneus e outros equipamentos de manutenção – completou Ademir.

Na fiscalização de peso dos veículos por balança rodoviária será admitida à tolerância máxima de 5% (cinco por cento) sobre os limites de pesos regulamentares, para suprir a incerteza de medição do equipamento, conforme legislação metrológica.

O veículo somente poderá prosseguir viagem depois de sanar a irregularidade. Quando o peso verificado estiver acima do Peso Bruto Total (PBT) ou Peso Bruto Total Combinado (PBTC) estabelecido para o veículo, acrescido da tolerância de 5% (cinco por cento) é aplicada multa somente sobre a parcela que exceder essa tolerância.

As multas são direcionadas tanto para o transportador como para o carregador. Por isso o Sindibritas e Agabritas decidiram reforçar a campanha de conscientização junto à seus associados.

Sindibritas

O Sindicato da Indústria da Mineração de Brita, Areia e Saibro do Estado do Rio Grande do Sul – Sindibritas recebeu o Certificado de Registro Sindical do MTE em 16 de dezembro de 2010 com o objetivo de coordenar, proteger e representar a indústria de mineração do RS. Tem como missão defender os interesses da categoria patronal, estimular a competitividade e promover a livre iniciativa. Além disso, busca celebrar convenções coletivas de trabalho respeitando limites éticos e cooperando com o governo e com a sociedade em nome do desenvolvimento sustentável.

Agabritas

A Associação Gaúcha dos Produtores de Brita, Areia e Saibro – Agabritas – foi fundada em 27 de maio de 1980 e ao longo dos anos tem trabalhado pela união das empresas mineradoras, no desenvolvimento de parcerias, promovendo os seus interesses e objetivos comuns. A entidade atua com foco na comunicação eficaz com os principais órgãos de competência do setor, buscando atender as necessidades dos associados. As atividades são norteadas com o foco na preocupação ambiental e no desenvolvimento econômico e social.



Leia Também:
Anterior:

Próxima: