Publicidade

Nissan do Brasil vende 4.455 unidades no mês de outubro. Família Livina e picape Frontier são os destaques da companhia neste mês

A Nissan do Brasil comercializou em outubro 4.455 unidades. O resultado ainda reflete o período de transição criado pelo fim da cota anual de importação do México, o que limitou a disponibilidade de modelos nas concessionárias. No fim de outubro, no entanto, a Nissan recebeu do Governo federal a habilitação ao novo regime do setor automotivo, Inovar Auto, o que permitiu à companhia voltar a comercializar os modelos importados, March, Versa, Tiida e Sentra.

“Setembro e outubro foram meses de transição para a Nissan do Brasil. Com a nossa linha completa de veículos novamente disponível, o ritmo das vendas irá melhorar até o fim do ano”, afirma Christian Meunier, presidente da NBA.

Como não poderia ser diferente, os destaques do mês mais uma vez foram os veículos produzidos no Brasil. Com 1.896 unidades vendidas, a Família Livina (Livina, Grand Livina e X-Gear) registrou crescimento de 68% em relação a outubro de 2011, sendo 41,6% para o Livina, 68,8% para o Grand Livina, e 240% para o X-Gear. É importante reforçar também que o Grand Livina atingiu recorde histórico de market share, com 14,5%, tornando-se o terceiro veículo mais vendido do segmento com 422 unidades.

A picape Frontier também teve ótimo desempenho com 1.424 emplacamentos, total 38% acima na comparação com o mesmo período do ano passado.

Destaques de outubro:

Frontier – Terceira picape média mais vendida em Curitiba, com 18,5% de participação de mercado. Em todo Brasil, o modelo emplacou 1.424 unidades, crescimento de 38% na comparação com outubro de 2011.

Livina – Com 1.076 unidades, teve crescimento de 41,6% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Grand Livina – Apresentou recorde histórico de participação de mercado, com índice de 14,5%, sendo o terceiro veículo mais vendido de seu segmento no país, com 422 unidades.

X-Gear – As 398 unidades vendidas fizeram com que o modelo registrasse aumento de 240% na comparação com outubro de 2011.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade