Publicidade

Mercado de motopeças alia segurança e beleza para conquistar público feminino. Anfamoto (Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadista de Motopeças) alerta para itens proibidos, mas usados por mulheres em nome da vaidade

Antes um mercado predominantemente masculino, o segmento de duas rodas vem conquistando uma parcela considerável de mulheres. O Departamento Nacional de Trânsito, por exemplo, registrou nos últimos três anos um crescimento de 44% na quantidade de carteiras de habilitação do tipo A para o público feminino. Além disso, as vendas de novas motocicletas também subiram para estas clientes.

De olho nesse mercado em expansão, algumas montadoras e marcas de equipamentos de segurança já estão focados neste público. A Harley-Davidson, por exemplo, produz nos Estados Unidos motos mais baixas, com assentos mais finos e macios, fazendo com que seja mais confortável para as mulheres.

Segundo Orlando Cesar Leone, presidente da Anfamoto (Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadista de Motopeças), no Brasil, o que preocupa é que muitas motociclistas abusam quando ao assunto é segurança. Camiseta sem manga, roupa curta, salto alto e “chinelinhos” são proibidos.

O presidente alerta para o risco de deixar a segurança de lado em prol de um acessório apenas bonito. “Fico feliz que agora mulheres estão tomando coragem para pilotar moto. Com todas as opções presentes no mercado, é totalmente possível andar em segurança sem abrir mão da vaidade”, afirma Orlando Leone.

Pensando nisso, empresas oferecem capacetes, jaquetas e calças com desenhos e cortes para moldar o corpo das motociclistas.

O capacete, equipamento de segurança essencial, aparece com grafismos femininos, como flores e borboletas, ou como os da EBF e a Starplast, associadas da Anfamoto, nas cores rosa e lilás.

Na questão do vestuário, não há mais desculpa para não parecer feminina em cima de uma moto. Diversas marcas oferecem peças com modelagem e cores delicadas. A associada da Anfamoto Rebelli oferece um conjunto impermeável para motociclista nas cores rosa e preto.

Luvas e botas desenvolvidas especialmente para as mulheres também estão presentes no mercado. Mais curtos e confortáveis, muitos modelos possuem tecido stretch entre os dedos para dar maior flexibilidade. As botas são mais bonitas e também podem ser usadas no dia a dia. Salto é proibido.

Sobre a Anfamoto

Fundada em 1980, a Anfamoto (Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças) representa 210 empresas ligadas ao setor de peças e acessórios para motos e é a única entidade específica deste segmento na América Latina. Sua principal função é agir com agente regulador do mercado, além de proteger os interesses dos profissionais do setor. Em janeiro deste ano, Orlando Cesar Leone (foto), proprietário do Grupo Montanna, assumiu a presidência da instituição para o triênio 2012-2014.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade