Publicidade

Eficiência dos pilotos será crucial no WEC. Temporada 2014 terá punições em tempo para pilotos que consumirem mais energia por volta

O esporte a motor está mudando: quando o novo Audi R18 e-tron quattro entrar na pista contra seus concorrentes no Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC), os pilotos oficiais da Audi terão de mostrar uma qualidade adicional. Eles terão não somente que dominar as corridas de modo rápido, confiável, inteligente e sem falhas como antes, mas também de um jeito altamente eficiente. Caso contrário, penalizações serão uma possibilidade.

O novo regulamento para as corridas de longa duração do WEC cobra seu preço aos envolvidos. Da mesma maneira que os engenheiros da Audi Sport são desafiados a prestar atenção à máxima eficiência em cada componente, a condução dos novos carros de Ingolstadt e Neckarsulm requer, também, um toque de sensibilidade.

“Reproduzir tempos de volta com a exatidão de um décimo tem sido uma marca de pilotos profissionais como os nossos há um bom tempo”, diz o chefe da Audi Motorsport, Dr. Wolfgang Ullrich. “Mas, em 2014, vamos exigir ainda mais de nossos pilotos no WEC. Volta a volta, eles terão de cumprir uma taxa exata de consumo enquanto lutam pela melhor posição na pista”, acrescentou.

A partir deste ano, apenas uma quantidade limitada de energia pode ser usada por volta no trem-de-força dos carros que adotam o sistema híbrido – dois, quatro, seis ou oito megajoules em Le Mans, dependendo da categoria. Se estes limites forem excedidos, os pilotos estarão sujeitos a penalizações, com stop and go, que podem variar de dez, 40 ou até mesmo 60 segundos caso sejam infrações reincidentes. As mesmas penalizações serão aplicadas se a quantidade permitida de combustível consumido por volta for excedida.

“Para pilotos e engenheiros, é crucial entender a complexidade das novas regras e aplicar este conhecimento às situações de corrida de uma maneira otimizada”, explica Leena Gade, engenheira de pista da Audi que venceu as 24 Horas de Le Mans em 2011 e 2012 trabalhando para o trio formado por Marcel Fässler, Benoît Tréluyer e André Lotterer. “Para isso, é necessário um fluxo perfeito de informações. Temos que manter os pilotos informados, pelo rádio, sobre quando eles estão guiando neste limites”.

A esquadra de pilotos da Audi Sport tem testado tais estratégias com sucesso. Se um piloto é obrigado por outro carro a ser mais lento na pista no meio de uma curva, por exemplo, isso pode trazer vantagem inicialmente ao fazer o carro consumir menos energia e combustível e então realizar a ultrapassagem somente na saída da curva. Além disso, a aproximação mais “gentil” a uma curva também traz efeitos na dirigibilidade do carro.

“Os pilotos não colocam mais tanta pressão sobre os pneus e a suspensão, de uma maneira sistemática, como era antes”, explica Leena Gade, baseada em suas observações. “É por isso que a resposta dinâmica do carro é diferente”.

Piloto oficial confirmado para esta temporada do WEC, o brasileiro Lucas di Grassi esteve envolvido nos testes do novo Audi R18 e-tron quattro desde os estágios iniciais de desenvolvimento, e afirma que a nova tarefa compõe um desafio intrigante.

“Não parece que terei, fundamentalmente, que mudar meu estilo de pilotagem”, diz. “Mesmo no passado havia situações nas quais tínhamos que observar o consumo de combustível para adotar certas estratégias na pista. Agora estamos guiando o mais rápido possível sem tirar os olhos do limite de consumo. E, se excedermos este limite uma vez, então temos duas voltas para compensar este excesso reduzindo o consumo. Então há um outro desafio adicionado à nossa lista de tarefas, o que significa, no final das contas, que temos de ser tanto rápidos como eficientes”.

Lucas ressalta, ainda, que os pilotos não deverão andar mais devagar para economizar energia em 2014. “Mesmo que o consumo possa variar massivamente, os tempos de volta serão bem parecidos e é por isso que estamos pilotando em velocidades semelhantes. Basicamente temos que economizar muita energia em algumas seções, mas sem guiar devagar por uma volta inteira. Estou impressionado pela maneira precisa que a Audi Sport vem trabalhando nestas questões, sempre conseguindo nos ajudar com cálculos específicos e conselhos. Nosso esporte vai continuar grande e divertido. A diferença é que, a partir deste ano, vamos consumir menos energia”, encerrou o brasileiro.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade