Publicidade

Novo Mercedes-Benz GLA recebe Certificado Ambiental

Avançado no design, tranquilo no uso diário e pronto para o off road. Entre diversos tipos de utilização, o Mercedes-Benz GLA reinterpreta de forma marcante o segmento dos utilitários esportivos compactos. O automóvel também mostra alta compatibilidade ambiental, que acaba de ser confirmada pelos inspetores da TÜV Süd, empresa de auditoria tecnológica mundialmente reconhecida. Eles concederam ao Mercedes-Benz GLA o Certificado Ambiental de acordo com a norma ISO TR 14062. O reconhecimento é baseado numa avaliação abrangente da série de modelos, documentando todos os detalhes importantes para o meio ambiente.

“Com as classes M e GLK nós já havíamos demonstrado que eficiência energética e adequação ambiental são plenamente compatíveis com um utilitário esportivo. Como um dos veículos mais eficientes em consumo de combustível em seu segmento, o novo GLA estabelece agora uma referência diferente para o mundo dos utilitários esportivos”, observa o Professor Dr. Herbert Kohler, executivo-chefe da Área Ambiental da Daimler AG.

A Mercedes-Benz analisa a compatibilidade ambiental de seus modelos ao longo de todo o seu ciclo de vida – começando pela produção, pelos muitos anos em serviço e indo até a reciclagem, no final de sua vida útil. A análise vai muito além do que é requerido por lei. O Certificado Ambiental e informações complementares estão disponíveis para o público como parte da série de documentos “Life Cycle”, que pode ser acessada no link http://www.mercedes-benz.com.

Líder no segmento: Cd = 0,29

O GLA utiliza os modernos motores quatro cilindros turbo com injeção direta. A função ECO start/stop é equipamento de série em todas as versões. Todos os motores do GLA já se enquadram nas normas de emissões Euro 6 e as duas unidades diesel têm eficiência classe A. Inicialmente, o GLA é oferecido no mercado europeu com duas versões de motores a gasolina e duas a diesel. O consumo combinado da versão básica certificada pela TÜV – o GLA 200, com 115 kW (156 cv) – é de apenas 5,9 litros por 100 quilômetros rodados. As versões a diesel também garantem um nível de eficiência muito alto. O GLA 200 CDI, que tem 100 kW (136 cv), utiliza entre 4,5 e 4,3 litros por 100 km, com emissões de CO2 correspondentes a 119 g – 114 g/km. Da mesma forma, o GLA 220 CDI, com 125 kW (170 cv), apresenta um nível de consumo de combustível extremamente baixo, de 4,6 – 4,4 l / 100 km.

A excelente aerodinâmica tem importância crucial para essa alta eficiência: com o GLA, mais uma série de modelos da Mercedes-Benz torna-se líder de seu segmento em eficiência aerodinâmica. Ele tem Cd = 0,29. Com 0,66 m², a área de arrasto (Cd x A), que afeta de forma decisiva o consumo a partir dos 60 km/h, também é notável.

Uma série de outras medidas, desde a otimização do interior do motor ao design inteligente com baixo peso, também ajuda a reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO2. As mais importantes são:

• Para todos os trens de força a gasolina ou diesel: motores com atrito otimizado, com turbocompressores, injeção direta e gerenciamento térmico; motores a gasolina com sistema CAMTRONIC (GLA 200).
• Transmissão manual de seis marchas e também automática com sete velocidades de dupla embreagem com atrito reduzido, ambas com configuração especial com marchas alongadas.
• Bombas de combustível e óleo reguláveis, capazes de ajustar o fluxo de acordo com a necessidade.
• Gerenciamento inteligente do gerador de alta eficiência, garantindo que o sistema elétrico seja alimentado pela bateria durante as acelerações e, nas frenagens, parte da energia dissipada seja recuperada para recarregar a bateria.
• Compressor do ar-condicionado de alta eficiência com gerenciamento de óleo otimizado, deslocamento reduzido e embreagem magnética, que evita perdas por fricção.
• Com o sistema de direção eletromecânico Direct Steer (de série em todas as versões), a assistência da direção só necessita de energia quando o motorista gira o volante.
• Rolamentos das rodas com atrito substancialmente reduzido.
• Pneus com baixa resistência à rolagem.
• Otimização do peso por meio da adoção de materiais leves.

Incremento no uso de materiais naturais e recicláveis

O GLA já atende ao índice de recuperação de 95% do seu peso, que será obrigatório a partir de 2015. A Diretiva Europeia 2000/53/EC exige, adicionalmente, que as fabricantes de veículos continuem a aumentar o uso de materiais reciclados em seus processos de produção. No total, o novo GLA incorpora 41 componentes que podem ser produzidos com uso parcial de plásticos reciclados de alta qualidade, representando um peso total de 35,9 quilos.

Ênfase crescente é verificada no tocante a ciclos fechados de materiais usados em automóveis: a forração das caixas de rodas, por exemplo, é feita de material reprocessado de baterias e coberturas de para-choques.

Um total de 46 componentes do novo GLA, com peso de 21 quilos, é feito de materiais naturais. A cobertura do compartimento de bagagem, por exemplo, é feita parcialmente de papel reciclado e pesa a metade de uma peça equivalente convencional. Uma composição de materiais registrada em múltiplas patentes e o processo de fabricação especializado reduzem as emissões de CO2 durante a produção dos componentes em 60%.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade