Publicidade

Após estreia difícil, DF Racing Fans faz plano de recuperação para etapa em Curitiba. Forte calor marcou a etapa de Caruaru, que abriu a temporada 2014 da categoria neste domingo

As novidades técnicas do regulamento da Fórmula Truck, aliadas a uma das pistas mais difíceis de todo o calendáro, promoveram um enorme desafio para as equipes na prova de abertura do campeonato 2014 – disputada neste domingo (16/3) em Caruaru, Pernambuco. Um início de campeonato mais difícil do que era esperado para a equipe DF Racing Fans que, mesmo assim, chegou ao final da corrida com o caminhão de Raijan Mascarello.

O piloto de Sapezal, no Mato Grosso, abriu o ano com uma grande largada, ganhando duas posições. Nas disputas do pelotão intermediário, porém, acabou sofrendo com os toques oriundos das tentativas de ultrapassagem. O mais grave foi o incidente com Jansen Bueno, que resultou na quebra da roda traseira esquerda e, consequentemente, um pneu solto no meio do traçado.

Após uma parada nos boxes para recolocar o pneu traseiro, Raijan seguiu na pista até a bandeirada final, que recebeu na 17ª posição. “Fiz uma boa largada, mas acabei sendo tocado pelo Jansen (Bueno) quando ele precisou desviar de outro caminhão que tinha escapado de traseira. Ainda dei três ou quatro voltas com o pneu furado até ele se soltar totalmente da roda e eu ter de ir para os boxes”, contou Mascarello. “Foi uma prova muito difícil. Tivemos problemas com estabilidade e potência do caminhão. A tendência é que, em Curitiba (onde será disputada a segunda etapa do ano), nosso desempenho volte a ser mais consistente. Mas vamos trabalhar muito em cima dos caminhões para fazer uma revisão completa do que vimos aqui”, avaliou.

Para David Muffato, sua primeira corrida na Fórmula Truck durou apenas duas voltas. Uma pane elétrica ainda no início da corrida tirou o piloto paranaense da pista e a estreia, de fato, o piloto do caminhão #35 espera poder fazer em casa.

“Vamos deixar a estreia para Curitiba (palco da segunda etapa). Essa etapa em Caruaru foi muito difícil para nossa equipe. No meu caminhão, particularmente, tive um problema elétrico e ele simplesmente ‘apagou’ na terceira volta. O lado bom é que já detectamos a causa dessa falha e vamos corrigir para a segunda etapa. Teremos um grande trabalho de desenvolvimento até lá”, comentou o piloto.

Djalma Fogaça, diretor e piloto da equipe DF Racing Fans, classificou a etapa de Caruaru como “uma corrida para esquecer”, mas destacou que as dificuldades já eram esperadas.

“A gente sabia que seria uma etapa difícil. Nossos dois pilotos não conheciam a pista que, na minha opinião, é a mais difícil do calendário. Um traçado que, além de muito técnico, tem um asfalto muito irregular. A relação de marcha que usamos aqui também não ‘casou’ com a pista. Vamos levar os caminhões de volta para a oficina e estudar se realmente foi uma questão de acerto ou se temos algum problema mais grave para solucionar até Curitiba”, comentou o piloto, que deixou a prova ainda na sétima volta com problemas de excesso de fumaça.

A corrida de Caruaru, primeira dos campeonatos Brasileiro e Sul-Americano da Fórmula Truck em 2014, teve vitória do paranaense Leandro Totti. O próximo encontro da categoria será no dia 13 de abril, em Curitiba.

Confira como terminou a prova em Caruaru:

1) Leandro Totti (Volkswagen, PR), 29 voltas em 1:01:22.152 (média de 74.4 km/h)
2) Roberval Andrade (Scania , SP), a 13.089
3) Geraldo Piquet (Mercedes , DF), a 16.336
4) Paulo Salustiano (Mercedes , SP), a 16.843
5) Danilo Dirani (Scania , SP), a 18.776
6) Beto Monteiro (Iveco , PE), a 25.298
7) Fabiano Brito (Volvo , PR), a 29.269
8) Marcello Cesquim (Mercedes , PR), a 37.182
9) Valmir Benavides (Iveco , SP), a 39.115
10) João Maistro (Volvo , PR), a 57.718
11) Felipe Giaffone (MAN , SP), a 59.411
12) Pedro Muffato (Scania , PR), a 1:02.042
13) Jaidson Zini (Iveco , PR), a 1:10.349
14) Luiz Lopes (Iveco , SP), a 1:29.499
15) Jansen Bueno (Scania , PR), a 1:34.033
16) André Marques (Volkswagen , SP), a 1:45.213
17) Raijan Mascarello (Ford , MT), a 1 volta
18) Adalberto Jardim (Volkswagen , SP), a 12 voltas
19) Wellington Cirino (Mercedes , PR), a 14 voltas
20) Debora Rodrigues (Volkswagen , SP), a 14 voltas
21) Diogo Pachenki (Volvo , PR), a 19 voltas
22) Djalma Fogaça (Ford , SP), a 22 voltas
23) Ronaldo Kastropil (Mercedes , SP), a 26 voltas
24) David Muffato (Ford , PR), a 27 voltas

Melhor Volta: Leandro Totti, 1:50.850 (103.3 km/h)


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade