Publicidade

Ford divulga estudo sobre novas tendências dos consumidores de automóveis

A Ford promoveu uma ampla pesquisa para conhecer as atuais tendências dos consumidores de automóveis. Realizado com base na América do Norte, o estudo, agora divulgado pela Ford no seu portal de imprensa (www.media.ford.com), revela uma mudança radical nas preferências que dominaram o mercado nos últimos 35 anos, agora substituídas por escolhas mais práticas e racionais.

“A geração conhecida como ‘baby boomers’, ou seja, pessoas nascidas no pós-guerra, foi marcada por realizar um trabalho duro e ter um estilo de vida mais farto, buscando comprar casas grandes e veículos muito espaçosos. Esse comportamento ganhou força nos anos 1970 e foi até o meio da década passada. A tendência atual é buscar uma forma de vida mais simples, porém sem abrir mão do luxo e conforto”, diz Sheryl Connelly, especialista de tendências de consumo globais e futuro da Ford. As principais conclusões do estudo são:
• A geração nascida entre 1946 e 1964 – cujos membros mais velhos completaram 60 anos em 2006 – é estimada em cerca de 78,2 milhões de pessoas nos Estados Unidos. Dados da indústria mostram que o seu instinto para saber o que é chique continua a influenciar o estilo de vida dos demais consumidores.
• A tendência de casas cada vez maiores foi uma constante desde a década de 1950. O tamanho médio cresceu de 80 metros quadrados em 1960 para 233 metros quadrados em 2012. Os “baby boomers” ajudaram a alimentar essa tendência e agora estão buscando casas mais aconchegantes, com luxos e recursos topo de linha, segundo a Del Webb, a maior construtora dos EUA para clientes desse segmento.
• O estudo mostra que os consumidores estão fazendo a mesma escolha em relação ao que colocam na garagem, trocando os grandes SUVs e minivans que dominaram os anos 1980 e 1990 por utilitários médios ou compactos, baseados em automóveis, com design e equipamentos topo de linha.
• Os “baby boomers” são o segmento de crescimento mais rápido do mercado imobiliário. Neste setor, os clientes típicos da Del Webb estão buscando casas menores, com um só pavimento e em estilo rancho. O preço médio em 2013 foi de US$ 302.000, embora haja opções que podem elevar esse preço em 20%.
• Os dados do comportamento do mercado em relação às duas compras mais importantes na vida das pessoas – a casa e o carro – reforçam a tendência dos consumidores de redução do tamanho dos bens, mas sem abrir mão de recursos avançados. Eles buscam residências menores, por exemplo, mas não dispensam o uso de materiais como bancadas de granito, piso de madeira, cozinha equipada, solário e lareira.
• Essa redução de tamanho indica também que não basta ser pequeno e espartano, como ocorre com alguns veículos. O conteúdo premium é cada vez mais procurado em veículos pequenos e médios, recheados de tecnologia e equipamentos. As vendas de utilitários compactos nos Estados Unidos vêm crescendo desde 2004, segundo a agência Polk, especialista em análise do setor automotivo.

“Os consumidores hoje querem reduzir o tamanho de suas casas e de seus veículos, mas em ambos os casos não estão dispostos a abrir mão do conteúdo premium”, diz Amy Marentic, gerente de marketing de carros e crossovers da Ford. “Pessoalmente, senti necessidade de redução de tamanho. Meus filhos estão na faculdade e não tenho mais necessidade de um utilitário grande, mas ainda quero sentir que estou dirigindo algo especial.”


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade