Publicidade

O papel do EDI na logística para a conclusão assertiva de processos. Bom desempenho de fornecedores da cadeia produtiva automobilística contribui para a ascensão do setor

A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) registrou em 2013 o novo recorde de produção do setor: 3,74 milhões de automóveis fabricados, um salto de 9,9 em relação a 2012. Mas, para a indústria brasileira chegar a níveis tão expressivos de produção, a atuação da logística foi fundamental e contou com tecnologias para atender o ritmo acelerado deste setor. Assim, empresas fabricantes de todos os portes têm investido na tecnologia EDI, do inglês Electronic Data Interchange, para acompanhar a dinâmica do mercado automotivo que exige cada vez mais soluções inovadoras para os processos logísticos.

O EDI é um avanço na comunicação entre fornecedores e montadoras e funciona como um facilitador no intercâmbio eletrônico de dados otimizando as operações de transporte, gestão de estoque, processamento de pedidos, expedição e recebimento. Ainda dentro do processo de EDI e também usufruindo dos benefícios da tecnologia, outro fator que colaborou para a troca de informações na cadeia produtiva de automóveis foram os documentos fiscais como: NF-e (Nota Fiscal Eletrônica), CT-e (Conhecimentos de Transporte Eletrônico), CC-e (Carta de Correção Eletrônica), entre outros, que liquidaram diversos problemas de sonegação e negligências na emissão de documentos fiscais, principalmente para as empresas que exercem o papel de clientes (receptores) no processo comercial.

“A tecnologia permite um diálogo em que as montadoras são beneficiadas pelo desempenho ágil e eficiente das empresas que fornecem os produtos para fabricação dos automóveis, e do outro lado, os fornecedores se sentem capazes de abastecerem a maior quantidade de empresas sem nenhum risco de comprometer sua demanda, sendo muito mais assertivos no envio de materiais. Conseguimos aplicar também as funcionalidades do EDI nos documentos fiscais e assim possibilitar agilidade e garantia da veracidade de todas as informações dos documentos”, explica Werter Padilha, CEO da Sawluz, empresa especializada no transporte, análise e armazenamento da informação, EDI e Documentos Fiscais Eletrônicos com 25 anos de atuação.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade