Publicidade

SAE BRASIL discute melhoria dos materiais veiculares em Belo Horizonte, MG. Encontro terá foco na capacidade da indústria brasileira em se adaptar às novas demandas ambientais e de mercado, para continuar competitiva

Para discutir quais os impactos que as novas demandas do mercado têm ditado para a indústria da mobilidade no que diz respeito à melhoria da eficiência energética e aos novos padrões de redução de emissão de CO2, será realizado no dia 17 de abril o 5º Simpósio SAE BRASIL de Materiais, na Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte, MG (rua Jornalista Djalma Andrade, 1.250, bairro Belvedere).

Promovido pela Seção Minas Gerais da SAE BRASIL, o encontro visa receber cerca de 150 participantes e quer responder como a tecnologia de materiais poderá contribuir para a preservação ambiental e para a redução de resíduos, aumentando a qualidade dos carros e, ao mesmo tempo, melhorando sua eficiência energética.

De acordo com José Guilherme Silva, chairman do simpósio, para desenvolver produtos compatíveis com as necessidades ambientais atuais e futuras é imprescindível que todos os envolvidos, principalmente a comunidade de engenharia, saibam responder perguntas sobre como minimizar efeitos negativos que automóveis e caminhões ao longo de suas vidas possam provocar ao ambiente. Que recursos utilizados hoje podem inviabilizar a indústria no futuro? Quais os desafios e oportunidades dos materiais no desenvolvimento da mobilidade sustentável?

“É importante desenvolvermos um debate aberto sobre as diferentes soluções propostas e disponíveis, pois, para usufruí-las de forma mais efetiva será preciso que sejam consideradas desde o início do projeto dos veículos”, reflete Silva.

Os materiais empregados nos veículos e em sua fabricação desempenham e desempenharão importante papel no desenvolvimento de uma indústria da mobilidade sustentável. “E para prover isso a uma população de sete bilhões de pessoas precisaremos de enorme capacidade de inovação em materiais”, afirma.

Silva acredita que é preciso ocorrer um debate aberto e sincero sobre os reais problemas que a indústria nacional vive na questão da escassez de materiais reutilizáveis. “Precisamos gerar menos resíduos no momento da fabricação dos carros e criar materiais que ajudem aumentar a eficiência energética dos motores. O problema do Brasil é que ainda não temos muitas empresas desenvolvedoras de tecnologias”, diz.

Programação – O simpósio quer catalisar soluções que permitam à engenharia da mobilidade brasileira atuar como protagonista na construção dessa mobilidade sustentável e, para isso, contará com a participação de profissionais de indústrias e universidades que analisarão os efeitos que os automóveis podem provocar no meio ambiente, desde sua criação até seu descarte.

“Também teremos palestras de empresas que mostrarão suas soluções sustentáveis e como elas podem ser aplicadas e, discutiremos como o uso da nanotecnologia pode ajudar o desenvolvimento de novos e melhores materiais”, adianta.

“Acreditamos que os objetivos finais do desenvolvimento científico e tecnológico são pautados e delimitados pelas realidades econômica, social e política. Daí os simpósios da SAE BRASIL oferecerem oportunidades para debates técnicos conectados com as demandas da sociedade”, afirma o engenheiro Ricardo Reimer, presidente da SAE BRASIL.

Programação
8h30 – Palestra de abertura com Ugo Delfino, diretor da Seção Regional Minas Gerais da SAE BRASIL.
8h40 – Palestra: “AUTOMÓVEIS, CAMINHÕES E O MEIO AMBIENTE: IMPACTOS E A NECESSIDADE DE MATERIAIS ECO FRIENDLY”, com Júlio César de Souza, engenheiro de Materiais Ecologia do Produto, da Fiat Chrysler.
9h25 – Palestra: “DESENVOLVENDO PRODUTOS E PROCESSOS SUSTENTÁVEIS PARA OS MERCADOS DE CAMINHÕES, MÁQUINAS AGRÍCOLAS E DE CONSTRUÇÃO”, com Fábio Maccari, gerente de Engenharia de Serviços da CNH.
10h40 – Palestra: “PNEU VERDE”, com Kaio Machado, gerente de desenvolvimento de produto da Pirelli.
11h25 – Palestra: “TANQUES AUTOMOTIVO EM AÇO COM RECOBRIMENTO ORGANOMETÁLICO: UMA REALIDADE SUSTENTÁVEL PARA A INDÚSTRIA”, com Milene A. Luciano, pesquisadora da UFMG/Aethra.
12h10 – Palestra: “SUBSTITUIÇÃO DE MATERIAIS NOCIVOS AO SER HUMANO E AO MEIO AMBIENTE EM MOTORES E O SISTEMA DE PÓS-TRATAMENTO DE GASES HI-ESCR PATENTEADO PELA FPT INDUSTRIAL”, com Gustavo Teixeira, analista de Engenharia do produto da FPT.
14h10 – Palestra: “SUSTENTABILIDADE: DESAFIOS DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA”, com Paulo Roberto de Carvalho Coelho Filho, engenheiro de Materiais, Fiat Chrysler América Latina.
14h55 – Palestra: “POLÍMEROS RENOVÁVEIS E POLÍMEROS DE ALTA PERFORMANCE EM APLICAÇÕES AUTOMOTIVAS”, com Rogério Colucci, gerente de Marketing América Latina, da Dupont
16h10 – Palestra: “LUBRIFICANTES: SOLUÇÕES PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ECOLOGIA DO PRODUTO”, com Marcelo Capanema, gerente de Tecnologia, Pesquisa e Desenvolvimento da Petronas.
16h55 – Palestra: “NANOTECNOLOGIA: ALTERNATIVAS PARA A MOBILIDADE SUSTENTÁVEL”, com Glaura Goulart Silva, professora doutora do departamento de Química da UFMG.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade