Publicidade

Implantação de postos de recargas para veículos elétricos podem se tornar obrigatório no Brasil

O mercado de veículos elétricos no Brasil, especialmente os carros de passeio e ônibus, iniciou 2014 com perspectivas promissoras para os próximos meses. Visto como um dos principais entraves para a disseminação dos modelos elétricos pelo país, os postos de recarga podem se tornar obrigatórios em áreas públicas, sendo as concessionárias de energia as responsáveis pela realização do serviço. A medida foi proposta por meio de projeto de lei aprovado no início de abril pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados e agora segue para apreciação do Senado.

O objetivo do projeto é evitar que o mercado brasileiro fique defasado em relação às inovações tecnológicas da indústria automobilística na emissão de emissões. Antes mesmo de a medida ser aprovada, as distribuidoras de energia, de olho neste novo filão de mercado, começam a se movimentar. A CPFL, distribuidora que atua no Estado de São Paulo, pretende instalar nos próximos meses cerca de cem postos de recarga destinados aos veículos elétricos. A empresa, inclusive, possui parceria com a montadora Renault, e utiliza modelos elétricos desenvolvidos pela montadora para a locomoção de seus funcionários em trabalhos externos.

A implantação deste modelo de recarga, no curto prazo, deverá impulsionar outras empresas do segmento a desenvolverem projetos semelhantes, já que a demanda deverá aumentar após o anúncio de incentivos fiscais previstos para os veículos elétricos, que poderá sair ainda neste primeiro semestre.

Com foco no desenvolvimento desse mercado, será realizado o Salão Latino Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias, nos dias 4, 5 e 6 de setembro, no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento, que está em sua 10ª edição, é o principal ambiente de negócios na América Latina para os fomentos da inovação no campo dos veículos elétricos, e trará, nos três dias de evento, as principais novidades do setor.

De acordo com Ricardo Guggisberg, diretor do Salão, o iminente anúncio dos incentivos fiscais destinados ao setor, todas as empresas que farão parte dessa cadeia deverão se atualizar para atender a esta nova demanda. “Projetos como o da CPFL são fundamentais para o crescimento do setor se dar de forma homogênea e sustentada”, afirma Guggisberg.

Congresso de Veículos Elétricos

Mantendo a tradição das edições passadas, será realizado o Congresso de Veículos Elétricos, evento paralelo ao Salão, com um extenso programa de debates sobre os principais temas que permeiam o setor dos veículos elétricos no Brasil e no exterior. O evento contará com a participação dos principais especialistas deste setor, autoridades, representantes de montadoras, formadores de opinião, entre outros, com o intuito de promover a troca de informações qualificadas e networking.

Na edição passada, participaram do congresso nomes como Jayme Buarque de Holanda (diretor da ABVE), Pietro Erber (presidente da ABVE), Jayme Lerner (Ex-prefeito de Curitiba, arquiteto e urbanista), Cyro Boccuzzi (Diretor do Fórum Latino Americano de Smart Grid, entre outros nomes. “É importante que a população conheça as novas tecnologias que contribuem para a melhoria do cotidiano. Só com a popularização da mobilidade elétrica é que teremos um aumento na demanda desse tipo de veículo no país, o que fará com que ele se torne cada vez mais acessível no mercado”, finaliza o executivo.

Para mais informações sobre o evento, credenciamento para o Salão e o congresso, acesse http://www.velatinoamericano.com.br/.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade