Publicidade

ZF apresenta soluções para melhoria do custo operacional de frotistas de ônibus na 10ª FetransRio

ZF EcolifeA ZF apresentará na 10ª FetransRio o mais completo portfólio de produtos e soluções para os frotistas que operam tanto em BRT‘s (Bus Rapid Transits) como em itinerários convencionais e aplicações mistas (linhas alimentadoras e corredores). O evento será realizado no Riocentro, Rio de Janeiro (RJ), entre os dias 05 e 07 de novembro. Serão três produtos que garantem a alta rentabilidade das operações de frotas: a transmissão automática de 6 velocidades Ecolife; o eixo para piso baixo AV 132; e a transmissão automatizada AS-Tronic com 12 marchas.

“Entre os eventos de destaque na área da mobilidade urbana, a FetransRio destaca-se por atrair um público muito qualificado. Aqui é o local ideal para estarmos perto tanto dos nossos clientes da indústria automotiva quanto dos frotistas. Por isso, fazemos questão de expor no Rio de Janeiro as nossas principais soluções para o transporte público de passageiros”, diz Alexandre Marreco, gerente de Desenvolvimento de Negócios de Sistemas de Transmissão da ZF.

Transmissão Automática ZF-Ecolife com 6 marchas: garante o melhor custo de operação

Com uma série de tecnologias verdes, a transmissão automática Ecolife com 6 marchas oferece diversos benefícios para os frotistas, como a redução no consumo de combustível em 6% na comparação com transmissões da geração anterior. Frente a outras transmissões automáticas com menos marchas, o benefício pode ser superior a 10%, dependendo da operação.

“A Ecolife é equipada com retarder primário de série, que freia o veículo em até 6 km/h sem acionar os freios de serviço, aumentando a segurança e reduzindo o consumo de freios e pneus.

O ganho ambiental oferecido pela Ecolife já foi comprovado de forma eficaz. Existe um estudo específico que certificou a redução na emissão do pó de freios. Foi avaliada uma frota de 1.800 ônibus, em que 19 toneladas desse material deixaram de ser emitidos por ano para o meio ambiente, devido ao uso do retarder primário da ZF”, destaca Marreco.

Já o software Topodyn Life reconhece a topografia para mudanças de marchas em tempo real e consequentemente reduz o consumo de combustível. A escolha é feita pelo programa que faz a comunicação constante entre a transmissão e os diversos componentes do veículo, calculando rapidamente a marcha correta para tornar a operação mais lucrativa, segura e confortável.

Todos estes benefícios, incluindo o maior intervalo nas trocas de óleo durante a operação e menores níveis de ruídos, fazem da Ecolife 6 marchas uma transmissão Ecofriendly que é referência mundial no segmento de transporte de passageiros”, comenta o gerente da ZF.

Transmissão Automatizada ZF AS-Tronic

A transmissão automatizada ZF AS-Tronic com 12 marchas para aplicação rodoviária também estará exposta na FetransRio.

Com a ZF AS-Tronic, motoristas e passageiros terão garantia de mais segurança e conforto, pois não há trancos durante a troca de marchas, o que possibilita que o condutor direcione toda a sua atenção para o trânsito. Além disso, o sistema não conta com o pedal de embreagem. A transmissão também oferece significativa redução no custo operacional do veículo, pois reduz o consumo de combustível com trocas rápidas e eficientes de marchas e aumenta a vida útil da embreagem e todo o trem-de-força.

Por meio de poucas interfaces, a ZF AS-Tronic pode receber o Intarder, sistema que protege todo o sistema de freio do veículo contra o desgaste causado por esforços constantes. Ao contrário do empregado pela concorrência, o Intarder da ZF é integrado à transmissão, o que eleva a eficiência da operação. O produto chega a efetuar até 90% das frenagens.

AV 132: o eixo para ônibus de piso baixo

A solução da ZF para a acessibilidade está presente no eixo AV 132. O equipamento permite que o tempo de paradas no ponto de ônibus seja reduzido pela metade, pois sua instalação em veículos com piso baixo (“low floor”), facilita o embarque e desembarque de passageiros. Voltado para veículos de BRTs ou em ônibus convencionais, o produto tem um design no centro do eixo em forma de gota, o que torna possível reduzir a altura do piso dos ônibus no eixo traseiro em até 405 mm. Tal medida oferece mais conforto e segurança na hora de entrar ou sair do veículo.

“O fato de possuir acesso rebaixado e sem degraus na entrada/saída bem como dentro do veículo, torna o piso baixo especialmente adequado para atender, por exemplo, pessoas com dificuldades de locomoção. Pensando nisso, o projeto de muitos ônibus contempla lugares para este tipo de usuário, geralmente na parte central da carroceria, onde o acesso não possui escadas e a rampa para a entrada ou saída teve sua inclinação matematicamente estudada para que o cadeirante consiga realizar o acesso sem nenhum problema”, explica Alexandre Marreco.

“É importante lembrar que o uso de um piso baixo também visa a redução no número de acidentes, causados pelo uso de escadas de acesso. O piso baixo permite que o veículo não tenha degraus, e esta diferença traz segurança, velocidade na operação e um melhor fluxo de passageiros”, acrescenta o gerente.

O AV 132 funciona como um sistema completo, e além da frenagem, possui componentes de suspensão, molas e itens de amortecimento, bem como sensores de desgaste de freios. Seu funcionamento é extremamente silencioso. O eixo é mais leve do que um eixo de piso normal: seu peso pode variar de 799 a 998 quilos, o que ajuda na economia de combustível e aumento da capacidade de carga dos ônibus.

Para as montadoras, uma vantagem adicional: o design especial do eixo ZF proporciona a aplicação da tecnologia de piso baixo em todo o ônibus, inclusive na parte dianteira.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade