Publicidade

Revisão veicular, o primeiro passo antes das viagens de férias

A temporada de férias está chegando. Aos poucos, 2014 vai se despedindo e os planos para as viagens de fim de ano começam a sair do papel. Mas antes de pegar a estrada, seja qual for o ano do seu automóvel, um dos itens essenciais é a revisão veicular. Afinal, ninguém merece ficar parado no acostamento, sob o sol escaldante, à espera do guincho.

De acordo com o consultor técnico da Tuper Escapamentos e Catalisadores, Salvador Parisi, a melhor recomendação para quem vai sair de férias ou aproveitar feriados prolongados é levar o veículo a uma oficina de confiança. “Cada modelo tem sua particularidade e o profissional responsável pelo serviço deve conhecer todos os detalhes. Normalmente, a manutenção preventiva é dividida por sistemas como arrefecimento, lubrificação, suspensão, freio, ar condicionado, câmbio, iluminação, sinalização, exaustão e alimentação de combustível”, comenta.

Considerada a forma mais barata de manter o carro em bom estado, pois custa menos do que a manutenção corretiva e valoriza o veículo, a manutenção preventiva também garante a tranquilidade necessária à viagem. “A principal vantagem é a segurança. Um simples coxim quebrado pode fazer com que o escapamento se solte, caia na rodovia e cause um grave acidente caso a peça atinja o veículo que vem logo atrás. Tentar desviar de peças perdidas na estrada também traz riscos de capotamento”, alerta Parisi.

O consultor técnico da Tuper Escapamentos e Catalisadores lembra que o sistema de exaustão é um dos pontos fundamentais na hora da revisão. “Um motor com problemas no sistema de exaustão vai comprometer o meio ambiente, aumentar o consumo de combustível e provocar a perda de potência, além de desvalorizar o automóvel”, avisa. As falhas no sistema de exaustão também podem danificar outros sistemas.

O motor em funcionamento produz gases que precisam ser conduzidos para a atmosfera de forma controlada. “Esse controle é feito pelo sistema de exaustão juntamente com o catalisador. Além de colaborar para a diminuição do ruído produzido pela combustão, o catalisador transforma os gases nocivos em gases não tóxicos. Caso o catalisador apresente alguma anomalia, isso irá impedir a saída dos gases e pode levar à parada total do motor”, alerta Parisi.

Outra dica para quem vai pegar a estrada é dirigir com cuidado, já que as lombadas, buracos e ondulações no asfalto podem afetar a vida útil das peças. Caso seja necessário fazer a substituição de qualquer componente, certifique-se sobre a procedência e a qualidade do produto. Os catalisadores fabricados pela Tuper, por exemplo, seguem a Portaria 282/2008 do Inmetro, o que garante a conformidade do produto e os requisitos necessários para a saúde e segurança dos usuários.

Sobre a Tuper

Com mais de 40 anos de atuação, a Tuper é a quinta maior processadora de aço do Brasil, segundo o INDA (Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço). A empresa acompanha a evolução do mercado com amplas linhas de produtos, atendendo as mais exigentes normas nacionais e internacionais.

Com quatro unidades industriais e capacidade produtiva de 550 mil toneladas de aço/ano, fornece para diversos segmentos como: Construção Civil, Automotivo, Implementos Agrícolas e Rodoviários, Industrial, Óleo e Gás, entre outros. Seu portfólio de produtos contempla soluções tubulares para aplicações industriais, estruturais e de condução, tubos para óleo e gás, soluções automotivas e sistemas construtivos.

Instalada em Santa Catarina, a Tuper é uma das 500 maiores empresas do Brasil, segundo o Anuário Exame 2013. Faturou R$ 1,565 bilhão em 2013 e vem crescendo em média 22% ao ano nos últimos 12 anos. Atualmente, emprega 2,5 mil profissionais e conta com 26 pontos de distribuição em todo o território nacional.

Graças ao alto padrão de qualidade, parque fabril moderno e excelência de seus produtos, a empresa tem participado de grandes projetos de infraestrutura para o desenvolvimento do país, entre os quais o fornecimento de soluções em aço para nove estádios preparados para sediar a Copa do Mundo, sete aeroportos, cinco gasodutos e mais de quarenta shoppings centers.

Atenta às oportunidades e demandas de mercado, a Tuper contribui de forma significativa para impulsionar o setor do aço. As áreas de Engenharia e Pesquisa e Desenvolvimento contam com a parceria de centros de pesquisas, universidades nacionais e internacionais, entidades representativas e empresas líderes mundiais em tecnologia.

Entre os exemplos estão a parceria com a FEV, renomada empresa de engenharia alemã que atua no desenvolvimento de soluções para o mercado automotivo. No setor de construção civil, um convênio de cooperação científica com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) possibilita pesquisas focadas em novas tecnologias na linha de estruturas metálicas tubulares. Além disso, a Tuper integra ainda o Comitê de Petróleo e Gás da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade