PSA Peugeot Citroën: aumento do faturamento de 4,6% no primeiro trimestre

No primeiro trimestre de 2015, as vendas de PSA Peugeot Citroën totalizaram 13,67 bilhões de euros, um aumento de 4,6% em comparação com as receitas do primeiro trimestre de 2014. As vendas do setor automotivo, excluindo a contribuição de joint-ventures chinesas, é da ordem de 8,95 bilhões de euros, apresentando leve aumento em comparação a 2014. As receitas de vendas de veículos novos aumentaram 1,1%, devido tanto ao mix de produtos como aos efeitos positivos dos preços e das taxas de câmbio, especialmente com relação à libra esterlina, que compensou a queda nos volumes.

As vendas da divisão Automotiva pro forma, incluindo a nossa quota de joint-ventures chinesas, elevaram-se a 10,21 bilhões de euros.[1] Trata-se de um aumento de 3,3%, marcado pelo forte crescimento das vendas na China.

No primeiro trimestre de 2015, as vendas de veículos montados registraram aumento considerável na Ásia, África, Oriente Médio e região Índia Pacífico, apresentando uma pequena redução na Europa. As vendas também estão em queda na América Latina e na Eurásia, onde os custos fixos estão sendo redimensionados.

Na Europa, apesar de as vendas de veículos apresentarem leve queda (-1%), as vendas do Grupo PSA aumentaram 4% no trimestre. Do ponto de vista do crescimento do mercado, o Grupo anunciou o aumento de sua produção em 10% durante os próximos quatro meses, enquanto mantém sua política para melhorar o posicionamento de preço das suas três marcas Peugeot, Citroën e DS.

Na Ásia, as vendas do Grupo cresceram 9%, impulsionadas por um mercado chinês em alta.

Na América Latina e na Eurásia, as vendas do Grupo apresentaram queda de 35% e de 86%, respectivamente, em mercados que passam por significativa retração (-12% e -36%). A gestão de vendas segue a lógica de retorno ao equilíbrio financeiro em 2017, graças à forte queda do breakeven, preservando a capacidade de recuperação.[2]

Nas regiões do Oriente Médio-África e Índia-Pacífico, as vendas do Grupo apresentaram alta significativa de 19% e 32%, respectivamente, com um desempenho particularmente forte na Turquia (+ 47%).

No final de março de 2015, os estoques totalizaram 370.000 veículos (incluindo inventário da rede), uma queda de 54.000 unidades comparado ao mesmo período de 2014.

As vendas de Faurecia no primeiro trimestre atingiram 5,14 bilhões de euros, um aumento de 13,8%.

As receitas do Banco PSA Finance, a uma base de 100%, é de 424 milhões de euros no período, com crescimento de 1,4%.[3]

No momento da publicação dos resultados, Jean Baptiste de Chatillon, Diretor Mundial Financeiro do Grupo PSA, disse: “Estamos acelerando a implementação do nosso plano de reconstrução “Back in the Race”. Continuamos focados na plena realização das ações definidas, independentemente dos ventos favoráveis registrados no início deste ano.”

Perspectivas

O Grupo espera um crescimento do mercado automotivo europeu de 4% em 2015, um crescimento de cerca de 7% na China, um mercado em baixa de cerca de 10% na América Latina e um mercado em queda de cerca de 30% na Rússia.

O Grupo tem como objetivo gerar 2 bilhões de euros de Fluxo de Caixa Livre Operacional Grupo no período 2015-2017. Além disso, o Grupo pretende atingir uma margem operacional de 2% na Divisão Automotiva em 2018, com uma meta de 5% durante o período do próximo plano de médio prazo 2019-2023.[4]

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: