‘Carros inteligentes: o futuro chegou’ – por Todd Barrett

Com carros e caminhões ficando cada vez mais inteligentes, que lugar melhor para testar a próxima geração de veículos conectados à internet do que uma cidade que o Fórum de Comunidades Inteligentes classificou em 2011, 2012, e 2013 entre as 7 Comunidades Mais Inteligentes do Ano? Estamos falando de Stratford, em Ontário, no Canadá.

A alta classificação de Stratford entre as cidades mais inteligentes é baseada em parte na oferta de rede Wi-Fi gratuita por toda a cidade. Uma infraestrutura digital tão extensa assim é incomum, mesmo no coração de um cluster de alta tecnologia como o sudeste de Ontário. Essa particularidade torna Stratford um local ideal para testar nas ruas os veículos conectados à internet e carregados com sensores, câmeras de detecção de proximidade e tecnologias anticolisão.

A Associação de Fabricantes de Peças Automotivas (APMA) é um parceiro importante no projeto piloto em desenvolvimento. As tecnologias para veículos conectados são um foco crescente para muitos membros do órgão, e é consequência da estrutura industrial única de Ontário, único lugar na América do Norte onde é possível encontrar clusters de classe mundial – tanto automotivos quanto de TI.

Para Stratford, onde atualmente 60% dos empregos de manufatura estão ligados ao setor automotivo, o projeto oferece a oportunidade de buscar o potencial de crescimento econômico de tecnologias de carros conectados e de veículos autônomos. Ao todo são mais de 60 empresas já interessadas na iniciativa, além dela ter o apoio da Universidade de Waterloo, líder norte-americana em engenharia de tecnologia.

A Green and Intelligent Automotive (GAIA), instalação de pesquisa do conjunto propulsor da universidade, recém-lançada e avaliada em US$ 10 milhões, está focada no desenvolvimento de tecnologias automotivas mais inteligentes que irão minimizar o consumo de combustível e as emissões de gases de efeito estufa. Financiada em parte por uma doação de US$ 1 milhão da Toyota, a GAIA faz parte do Centro de Pesquisa Automotiva de Waterloo (WatCAR, sigla em inglês), o maior polo de pesquisa acadêmica para o setor automotivo do Canadá.

É importante ressaltar, no entanto, que há limites para o que pode ser alcançado até mesmo nos mais sofisticados laboratórios de pesquisa. Somente com testes nas ruas, em condições do mundo real, os desenvolvedores podem ganhar a confiança que necessitam para levar tecnologias inovadoras de carros conectados para o mercado. O governo do Ontário foi pioneiro com projetos-piloto em outubro de 2015, ao anunciar que iria permitir testes nas ruas para as tecnologias de veículos autônomos.

As expectativas de que dados valiosos vão surgir a partir do projeto piloto são altas. Embora possa levar anos para que os veículos verdadeira e totalmente autônomos tenham permissão para trafegar nas ruas, os projetos-piloto, como este agora em desenvolvimento em Stratford, representam marcos importantes nesta trajetória.

Todd Barrett é Cônsul Comercial de Ontário, Canadá, no Brasil.



Leia Também:
Anterior:

Próxima: