Publicidade

Novos resultados do Latin NCAP apontam riscos em carro da Chevrolet, e três estrelas para a Ford Ranger quanto ao ocupante adulto

Os últimos resultados dos testes de colisão do Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe (Latin NCAP), do qual a PROTESTE Associação de Consumidores é parceira, apontam três estrelas para a proteção do ocupante adulto para a pick up Ford Ranger e uma decepcionante zero estrela para o Chevrolet Sail quanto à proteção do ocupante adulto. Isto mostra que alguns fabricantes de carros ainda insistem em oferecer níveis perigosos de segurança com risco de vida aos ocupantes, assim como o avanço de outros. Estes resultados são os primeiros das avaliações feitas com o novo e mais exigente protocolo apresentado recentemente.

A nova Ford Ranger, que acabou de ser lançada, produzida na Argentina, alcançou três estrelas quanto à proteção do ocupante adulto e quatro estrelas em relação à proteção do ocupante infantil. A pick up foi submetida a testes de impacto frontal e lateral e, em ambos os casos, ofereceu boa proteção para os ocupantes adultos e infantis.

A Ranger dispõe de ancoragens ISOFIX, cintos de três pontos em todos os assentos e a possibilidade de desativar o airbag quando instalado um sistema de retenção infantil olhando para trás no banco do acompanhante. Infelizmente, a Ranger não conta com Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) como equipamento padrão, exigido como requisito pelo Latin NCAP. O teste de poste não foi feito. Esses dois motivos explicam por que a Ranger não obteve um melhor resultado quanto a proteção do ocupante adulto.

O Chevrolet Sail é um sedã compacto muito popular no mercado da América Latina e do Caribe. A unidade testada pelo Latin NCAP foi produzida na China e montada na Colômbia. O Sail obteve zero estrela na proteção do ocupante adulto e duas estrelas em relação à proteção do ocupante infantil. A estrutura desse veículo foi catalogada como instável, não sendo capaz de suportar cargas maiores. O motorista apresentava lesões de risco de vida na cabeça e no peito. O peito do passageiro mostrou compressão próxima do limite permitido. As lesões do motorista explicam a zero estrela e, portanto, o impacto lateral não foi realizado. O Sail proporciona ancoragens ISOFIX para os sistemas de retenção infantil utilizados no teste que, combinados, oferecem uma proteção razoável às ocupantes crianças.

Contudo, o Sail não conta com cintos de três pontos em todas as posições, impedindo que esse modelo ganhe pontos como os obtidos em outras características como as ancoragens ISOFIX. As instruções insuficientes, as falhas de instalação dos sistemas de retenção infantil e a ausência de cintos de três pontos em todos os bancos fizeram com que o Sail perdesse pontos.

Organizações de defesa do consumidor da América Latina, entre as quais a PROTESTE Associação de Consumidores, estão pedindo aos fabricantes que produzam carros tão seguros quanto os europeus para o mercado latino-americano.

Entidades do Brasil, Argentina, Chile, México e Peru também pedem a exigência da obrigatoriedade do Controle Eletrônico de Estabilidade nos automóveis. A PROTESTE está com a campanha Carro sob Controle (www.proteste.org.br/carrosobcontrole) para que até o final de 2017 todos os veículos fabricados no Brasil já saiam de fábrica com o sistema, em todas as versões e modelos comercializados.

María Fernanda Rodríguez, presidente do Latin NCAP, disse: “Fico surpresa com o fato de continuarmos a ver modelos zero estrela por parte da Chevrolet no mercado latino-americano. Enquanto outros fabricantes mostram uma melhora no transcurso dos últimos cinco anos, os modelos da GM continuam a decepcionar. O Latin NCAP se comprometeu a ter veículos mais seguros na América Latina e vamos continuar a fazê-lo, informando os consumidores e assinalando as carências da GM, bem como de outros fabricantes de automóveis, até que haja uma alteração”.

Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCAP, disse: “O Latin NCAP está preocupado pelos baixos níveis de segurança oferecidos pelos modelos da Chevrolet testados pelo Latin NCAP ao longo dos cinco anos do programa. Especialmente porque a Chevrolet proporciona bons níveis de segurança por preços acessíveis em outros mercados. O Latin NCAP se preocupou ainda mais depois dos últimos depoimentos de María Barra da GM em Davos, em que se negava a comprometer-se a providenciar airbags como equipamento padrão para os consumidores latino-americanos. O Latin NCAP solicita veementemente à Chevrolet para acompanhar o exemplo da Honda, da Toyota ou da VW, que oferecem níveis de segurança por cima dos requisitos mínimos governamentais na América Latina. Como líderes do mercado, a GM deveria fazer a mesma coisa”.

O Latin NCAP tem o prazer de anunciar que os próximos resultados de testes de colisão serão apresentados em junho.

Novos Protocolos de Avaliação

Em 2016, o Latin NCAP introduziu uma expansão significativa das avaliações dos veículos. Os requisitos são, agora, mais exigentes para conseguir melhores resultados de estrelas. Os veículos quatro e cinco estrelas precisam contar com ESC e ultrapassar o teste de rendimento. Os carros cinco estrelas são os que demostram um bom desempenho em impacto frontal, lateral, de poste e precisam ser aprovados nos testes ESC. Os veículos quatro estrelas têm que mostrar um bom desempenho em impacto frontal e lateral e passar no teste ESC. Todos os modelos devem ter um bom desempenho em impacto lateral, visando manter o mesmo nível proporcionado com o protocolo anterior.

Os carros que mostrarem rendimentos zero estrela nos testes de impacto frontal ou lateral terão um resultado total de zero estrela. O impacto lateral conta, também agora, com sistemas de retenção infantil e dois dummies criança, como no teste de impacto frontal, avaliados com o objetivo de comprovar a proteção oferecida às ocupantes crianças em impactos laterais.

Acerca do Latin NCAP

O Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina e o Caribe (Latin NCAP) foi lançado em 2010 para desenvolver um sistema regional independente de testes de colisão de veículos e de qualificação de segurança na região. O Latin NCAP replica programas de testes de consumidores similares desenvolvidos nos últimos trinta anos na América do Norte, na Europa, na Ásia e na Austrália, demonstrando ser muito eficazes no progresso da segurança dos carros. Desde 2010, o Latin NCAP vem publicando os resultados de mais de 60 veículos, em seis fases de teste.

O Latin NCAP agradece o apoio recebido do Global New Car Assessment Programme (Global NCAP), do International Consumer Research and Testing (ICRT), da FIA Foundation, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Bloomberg Philanthropies Global Road Safety Initiative.

O Latin NCAP é membro associado do Global NCAP e apoia o Decênio de Ação das Nações Unidas para a Segurança Viária 2011-2020, especialmente o pilar referido ao veículo do Plano Mundial e à iniciativa Stop the Crash.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade