Publicidade

DEKRA explica: o que muda para o mercado com a aprovação do seguro popular? Empresa líder em soluções de avaliação de risco fala sobre a nova legislação

Desde o dia 1º desde mês está em vigor a norma da Superintendência de Seguros Privados (Susep) que regula o Seguro Popular. O Brasil possui hoje apenas 30% de sua frota segurada, e o fator financeiro pode ser um dos motivos. Por isso a atenção a essa nova modalidade de seguro que promete preços até 30% mais baixos.

O seguro popular tem como principal característica a utilização de peças usadas, provenientes de empresas de desmontagem para reparo dos veículos, o que acaba tornando o preço mais atrativo. Isso só foi possível graças à Lei 12.977, de maio de 2014, que regulamentou os desmontes de veículos em todo o País.

“O seguro passa a ser mais abrangente, pois espera-se uma redução no valor das apólices e com isso mais veículos e consumidores estariam contemplados pela cobertura”, explica Mario Cassio Mauricio, responsável pelas operações no Brasil do Grupo DEKRA, líder global em inspeção veicular que atua com serviços de segurança para todo ciclo de vida do veículo e líder em serviços de vistoria automotiva no Brasil.

“Com relação ao roubo e furto de veículos, entendemos que ações como a lei do desmanche atacam a ponta receptadora. Se não tem quem compra não tem para quem vender o produto do roubo e furto e com isso o peso da cobertura para esse tipo de seguro fica menor”, afirma Mauricio.

“É um grande primeiro passo dentro de outros possíveis, como a marcação de peças nos veículos em circulação. Esse tipo de medida já foi adotada em diversos países e contribuiu para a redução dos índices de roubo e furto. O importante é agir de forma organizada e fiscalizar efetivamente o cumprimento das leis para que se atinja o resultado esperado”.

Preços mais baixos, mais carros segurados
Estima-se que o preço do novo seguro deve ser 30% menor do que os seguros tradicionais e a economia se deve ao uso das peças usadas. Para entender a necessidade dessa redução de preço, sobretudo para carros com mais de 5 anos, basta observar que enquanto um seguro para um carro novo custa em torno de 5% a 6% do valor do automóvel, para um veículo com cinco anos de uso pode chegar a 15%. Isso se reflete no perfil dos carros segurados no Brasil sendo que somente 27% da frota segurada é segurada.

“Deve haver a definição final do processo de precificação, contratação e gestão destes seguros com relação a sinistros, e estaremos apoiando nossos clientes dentro de nossas áreas de especialização visando o sucesso deste processo”, explica o executivo.

Oportunidades de Mercado para a DEKRA
“A principal oportunidade é a expansão do mercado segurador. A DEKRA hoje apoia o mercado em vistorias prévias, regulação de sinistros e vistorias de transferências com atuação em todos os estados do País e cobrindo mais de 4.800 municípios. Queremos continuar contribuindo para apoiar o mercado selecionando e mitigando riscos para que todos os negócios sejam feitos com maior segurança”, explica o executivo.

“Como exemplo podemos citar que hoje para cada real investido pelos nossos clientes do mercado segurador em vistorias prévias devolvemos em média R$ 135,00 em seleção de riscos e buscaremos sempre manter e aprimorar este indicador e nosso compromisso com nosso clientes”, finaliza Mauricio.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade