Publicidade

Rodobens projeta “Cliente Único”, através de dados multidimensionais

A Rodobens, empresa que atua nos segmentos de serviços financeiros e varejo automotivo, está concluindo a implantação de um projeto de exploração de dados de cliente denominado “Cliente Único” baseado em dados multidimensionais. O projeto transforma em dado único as diversas informações de canais múltiplos de relacionamento e de cadastro usados pelas sete unidades de negócio da empresa. Com o novo desenho das fontes, a Rodobens criou uma base analítica para unidades de negócio que, até então, não se comunicavam entre si.

A Rodobens é pioneira em algumas frentes de mercado, como o consórcio para caminhões, veículos e imóvel, e também o leasing operacional. A empresa é de São José do Rio Preto, SP, e tem faturamento anual de R$ 3 bilhões, com atuação nacional por meio de suas sete unidades – Banco, Consórcio, Corretora de Seguros, Leasing & Locação, Automóveis, Veículos Comerciais e Seminovos.

Por meio do Cliente Único, a Rodobens constrói um perfil multidimensional de cada um de seus clientes para lastrear ações de marketing personalizadas.

Este modelo explora aspectos como o nível de envolvimento do cliente com as várias linhas de produtos, seu potencial financeiro para ofertas específicas, seu histórico de compras e pagamentos e suas ocorrências de relacionamento através das concessionárias, lojas online ou canais eletrônicos.

De acordo com Marcos Adam, CIO da Rodobens, o Cliente Único representa a valorização dos ativos de dados e permite um modelo operacional padronizado, dentro da metodologia MDM (Master Data Management). O projeto e implantação contou com o apoio da MD2 Consultoria, especializada em soluções de MDM, e ajudou a Rodobens a eliminar uma dificuldade histórica do grupo, que era a de explorar informações de clientes de modo centralizado, a fim de viabilizar ações lastreadas em inteligência estatística.

“A tecnologia MDM buscou informações antes ilhadas em diferentes motores de ERP e em repositórios heterogêneos produzidos sem uma visão estratégica”, comenta o CIO. Segundo ele, a partir dessa unificação, a Rodobens se torna apta a todas as formas emergentes de marketing de data base, inclusive o CRM analítico e a exploração massiva de dados velozes (big data) em projetos já estudados para os próximos anos.

O projeto de MDM foi implantado utilizando a metodologia da MD2, incluindo aceleradores de projetos, em articulação com a plataforma de software de integração de dados IBM Information Server e utilizando o dispositivo IBM PureData For Analytics.

De acordo com Márcio Guerra, Diretor da MD2, a integração de dados realizada na Rodobens fornece ao mercado brasileiro um paradigma de valorização dos legados de tecnologia e de informação que serve para a maior parte das grandes empresas detentoras de várias frentes de negócios ou diferentes silos de dados. “Os dados de clientes nas bases legadas são um diferencial estratégico. E a Rodobens se preparou para converter estas informações em ferramentas competitivas através de um projeto estruturado e muito bem conduzido pela direção de TI e por profissionais que conseguem estabelecer a ponte entre a tecnologia e o negócio”, conclui o executivo.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade