‘Conectividade: A revolução no transporte de carga e passageiros’ – por Renato Florence

O século 21 marca o início da era da conectividade no planeta. Os smartphones, cada vez mais acessíveis, são hoje computadores pessoais sofisticados que dão acesso aos mais variados aplicativos e bancos de dados, os chamados Big Data. No segmento de transporte, a telemetria torna possível o monitoramento remoto da frota. Passamos de indivíduos conectados para sistemas conectados.

Uma das características mais valorizadas pelas empresas de alta performance, a entrega do produto ao cliente em prazo recorde e com eficiência, é uma realidade que a adoção da tecnologia de frotas conectadas proporciona via gestão do ciclo de vida dos veículos e otimização do custo operacional, com maximização de resultados no transporte de carga e passageiros e redução do consumo de combustível.

Mas tecnologia, só, não pode tudo. Muito menos dispensa a análise das demandas e necessidades dos clientes globais e locais, bem como das condições de cargas, que precisam ser medidas e transferidas para especificações de engenharia. Isso é imprescindível à evolução de soluções inovadoras na dinâmica desses mercados.

Nesse sentido, montadoras trabalham para produzir veículos globais mais robustos, energeticamente eficientes e confortáveis, a fim de atender motoristas e frotistas com qualidade, otimização do custo total de propriedade e do ciclo de vida do produto.

Em parceria com as matrizes para o desenvolvimento de um futuro caminhão global, a engenharia local está presente na pesquisa e coleta de dados empíricos e estatísticos para o mapeamento do uso de veículos de carga em nosso território nas mais diversas condições de rodagem das estradas.

Paralelamente, a chamada Indústria 4.0 promove uma revolução mundial nos processos de fabricação, na digitalização de produtos e serviços, na semi-automação de veículos e na comunicação em tempo real entre as fábricas físicas. Isso faz com que decisões complexas possam ser tomadas mais rápida e assertivamente. A transformação de sistemas convencionais em cyber-físicos cria novos tipos de cadeias de valor, remove barreiras entre empresas, fornecedores e clientes, e maximiza o resultado operacional.

A análise de grandes quantidades de dados pode aperfeiçoar processos de fabricação e acelerar o time-to-market. Toda essa tecnologia favorece o desenvolvimento de novos modelos de negócios e melhora a gama de produtos para os consumidores do segmento de transporte de carga e passageiros.

Muito aplicado em mercados desenvolvidos e que começa a ser disponibilizado em nossa região é o sistema de frotas compartilhadas. Por meio dele, um mesmo caminhão pode carregar produtos de diversos fabricantes ou de centros logísticos, levando-os até os pontos de distribuição finais e de clientes. Esse sistema logístico pode gerar economia significativa no consumo de combustível e redução de emissões de CO2, bem como a racionalização de recursos humanos e de equipamentos com economia e segurança, respeitando prazo de entrega e legislação trabalhista.

Por meio da tecnologia de informação, as soluções de inteligência em gestão de frotas conectam milhares de dispositivos na coleta de dados para, em tempo real, apresentar soluções que auxiliam na tomada de decisão. Os sistemas são capazes de entender o comportamento do mercado de transportes inteligentes, dando visibilidade ao desempenho dos veículos e dos motoristas em tempo real. Essa é a chave para operações mais eficientes, com redução de custos que vão do consumo ao desgaste de pneus, além de controle da jornada de trabalho, adicionando segurança para o motorista.

Os aplicativos para smartphones conectam condutores autônomos às empresas que precisam transportar a carga e aceleram os tempos entre a busca do frete e a disponibilidade de equipamentos. Mediante cadastro das características do caminhão e rotas alternativas, o motorista recebe ofertas de carga e escolhe a melhor para ele.

As empresas, por sua vez, podem localizar motoristas disponíveis com o registro online da origem e destino do frete, tipo da carga e a especificação do caminhão de que precisa. Então envia a oferta de frete e acerta o serviço com o caminhoneiro por meio de chat. Essa ferramenta facilitará controles importantes para serviços rotineiros do caminhoneiro em breve futuro.

Essas inovações podem desempenhar papel fundamental também no transporte coletivo de passageiros, com conveniências para usuários de todas as classes, inclusão social e acessibilidade, com conforto e segurança nos deslocamentos para o trabalho, lazer e compras, e ênfase no equilíbrio entre o transporte público e privado.

No campo da segurança ativa a conectividade entre motoristas de ônibus e caminhões, atua na prevenção de acidentes. Estudos feitos em parceria por montadoras e institutos de pesquisas biomecânicas já apontam resultados no desenvolvimento de dispositivos de distração mecânica, como por exemplo, a poltrona que prolonga o estado de alerta do motorista e sinaliza as fases de sonolência e fadiga por meio de estímulos no assento.

O projeto será apresentado no 25º Congresso SAE Brasil, 25 a 27 de outubro, evento onde especialistas estarão reunidos no painel de Caminhões & Ônibus para debater conectividade e sistemas inteligentes nos veículos de transporte de carga e passageiros, e mostrar tecnologias e soluções para melhorar o transporte no País.

Renato Florence é chairperson do comitê de Caminhões & Ônibus do Congresso SAE BRASIL 2016

25º Congresso e Mostra Internacionais SAE BRASIL de Tecnologia da Mobilidade – “A Engenharia Criando a Mobilidade do Futuro – Intermodalidade – Conectividade – Veículos e Sistemas Inteligentes”

Data: 25 a 27 de outubro – das 8h30 às 20h30

Local: Expo Center Norte, Pavilhão Vermelho – Rua José Bernardo Pinto, 333, Vila Guilherme, SP

Painel Caminhões e Ônibus – “Transporte de cargas e passageiros – Conectividade, Veículos e Sistemas Inteligentes”

Data: 27 de outubro, 11h – Auditório SAE BRASIL



Leia Também:
Anterior:

Próxima: