Publicidade

ZF lança sistema de algoritmo inteligente que aumenta a segurança de pedestres, ciclistas e motoristas nas cidades

O sistema de algoritmo inteligente X2Safe da ZF pode melhorar a segurança no tráfego de forma significativa, alertando motoristas, pedestres e ciclistas sobre uma colisão iminente. Com o lançamento deste sistema inovador, a ZF reforça sua intenção em desempenhar papel central no desenvolvimento da condução autônoma alinhada com a mais alta segurança. Com o algoritmo baseado em nuvem, a empresa adiciona outro marco na digitalização dos componentes mecânicos. Quase dois anos após a aquisição da TRW, a ZF agora pode apresentar-se como empresa global fornecedora de sistemas integrados e inteiramente preparada para o futuro.

O X2Safe se comunica com veículos, smartphones e smartwatches para alertar motoristas, pedestres e ciclistas sobre colisões potenciais e também é capaz de iniciar manobras autônomas ou semiautônomas. O algoritmo pode ser usado como base dos aplicativos que ligam um veículo a um ponto X, ou que ligam um ponto X a um veículo, e até mesmo na comunicação de um ponto X com outro ponto X. A tecnologia pode ser facilmente implantada e permite uma completa rede em nuvem para veículos e para todos os usuários de vias públicas. Quanto mais pessoas e veículos estiverem conectados na rede de segurança interativa, mais efetiva é a prevenção de acidentes.

 O X2Safe da ZF detecta pedestres que não estão visíveis para os motoristas, nem para câmeras ou radares, e envia alerta sonoro e visível tanto para o pedestre como para o motorista.Principais vantagens para os usuários de vias públicas

Pedestres, ciclistas e motociclistas estão particularmente em risco, compreendendo cerca de 50% do 1,25 milhão de mortes causadas por acidentes de trânsito por ano em todo o mundo. Deste número total (1,25 milhão), os adolescentes e jovens adultos são os mais vulneráveis. De acordo com informações da Organização Mundial da Saúde, 500 crianças ao redor do mundo morrem por dia como vítimas de acidentes de trânsito. Entre jovens com idade de 15 a 29 anos, os acidentes de trânsito são, de fato, a principal causa de morte. A distração de motoristas e pedestres caracteriza um grande risco, pois milhões de pessoas se locomovem nas cidades constantemente olhando seus celulares.

Estar constantemente online é uma vantagem para a nova tecnologia da ZF, especialmente em situações de perigo. Usuários enviam dados de movimento para a nuvem a todo momento, e essas informações podem ser usadas pelo algoritmo para calcular se há risco de colisão com um veículo ou com outros usuários de vias públicas. Em tais situações, um alerta de colisão seria acionado tanto no veículo como no smartphone do outro usuário da via – antes que eles tenham-se visto, ou antes que os sistemas de câmera e radar tenham condições de registrar a situação de perigo.

A nuvem melhora consideravelmente a segurança: um estudo feito nos Estados Unidos mostrou que motoristas ficam distraídos por mais da metade do tempo de sua viagem.

Do aviso à intervenção ativa

O mais interessante neste sistema é que o algoritmo pode, individualmente, analisar o comportamento dos usuários das vias e a existência de um possível perigo para reagir de acordo com cada situação. Se um pedestre não esperar pelo farol verde, ou atravessar a via em pontos perigosos, o algoritmo considera este comportamento particularmente “inseguro” e assume um risco individual maior.

Em uma situação potencialmente perigosa, o sistema poderia avisar motoristas que estejam se aproximando do pedestre em veículos convencionais por meio de seus telefones celulares, enquanto os pedestres receberiam uma notificação audível e visível em seus smartphones ou smartwatches. O crescente nível de comunicação e autonomia dos veículos modernos também tem permitido intervenções nos veículos, como manobras evasivas e paradas de emergência. Ao contrário dos sistemas e câmeras de aviso de distância, tais sistemas podem interferir com antecedência para evitar uma colisão iminente.

A interatividade do sistema vai além da comunicação pura e simples entre o veículo e um ponto X, e entre o ponto X e o veículo, uma vez que ele analisa o contexto para avaliar a situação. O algoritmo da ZF não é apenas capaz de processar a informação do usuário da via, mas também de processar informações de zonas de perigo, como vias com visibilidade ruim ou pontos de ônibus.

“VER – PENSAR – AGIR” para mobilidade inteligente

A nova tecnologia reforça o papel da ZF como fornecedora de sistemas para mobilidade inteligente, e foca na digitalização de componentes mecânicos, impulsionando a eletromobilidade e reduzindo acidentes de trânsito e emissões. Estas três áreas correlacionam-se estreitamente com as tendências atuais da indústria. “A segurança é o coração da condução autônoma. Nossa tecnologia poderá, em breve, beneficiar todos os usuários de vias públicas”, afirma Malgorzata Wiklinska, Head do grupo de pesquisa ZF.

Em linha com o tema “VER – PENSAR – AGIR”, a ZF fornece sensores que alertam sobre a presença de veículos e usuários das vias. A empresa também produz as unidades de controle apropriadas para processar os dados e também fabrica itens de ação (como direção e freios) que realizam as ações necessárias. Esta inteligente interconexão entre software e mecânica significa que os veículos não são apenas capazes de detectar situações potencialmente perigosas antecipadamente, como também podem tomar decisões em frações de segundos. Quando necessário, o sistema ainda pode acionar uma reação automática, como por exemplo, uma parada de emergência do veículo quando um pedestre entrar de repente na frente do carro.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade