Publicidade

BYD traz para a Intermodal empilhadeira eleita a melhor do mundo. Com a utilização dessa máquina, economia pode chegar a mais de 27 mil reais

A BYD – gigante global especializada em energia limpa – baterias recarregáveis, veículos elétricos, painéis solares fotovoltaicos, LED, sistemas de armazenamento de energia e TI -, traz para a 23º edição da Intermodal South America, que será realizada de 4 a 6 de abril, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, a mais avançada tecnologia para empilhadeiras elétricas do mundo.

“Nossa máquina não descansa: trabalha na chuva, na areia, em terreno esburacado. Tem o dobro de autonomia e demora ¼ do tempo para carregar quando comparada à tradicional de chumbo ácido. Comparadas às de gás, além de mais seguras, ainda apresentam uma economia anual que pode chegar a mais de 27 mil reais,” revela Henrique Antunes, gerente nacional de vendas da empresa.

Eleitas as melhores do mundo na categoria, na feira de Hannover (Alemanha) em 2016 – Prêmio IFOY –, as empilhadeiras BYD dispensam sala específica, operador e bateria reserva, pois possuem carregador portátil de fácil manuseio – além de permitirem recarga parcial (sem efeito memória) e efetivarem a recarga total em até duas horas, contra oito horas da tradicional de chumbo ácido. Além disso, têm 10 anos de vida útil (contra apenas três da tradicional) e cinco anos de garantia de fábrica.

“Somos a vanguarda da tecnologia em baterias de lítio, somos líderes mundiais. E por termos o sistema completo, conseguimos deixar nossas empilhadeiras no topo quando se trata de produtividade. Permitimos agilidade, corte no custo de manutenção com sala de bateria e com um funcionário destacado apenas para essa função de recarga e troca. Evitamos riscos de acidente a ainda excluímos o custo alto com energia, levando-se em consideração as oito ou até 10 horas que uma empilhadeira de chumbo ácido necessita para recarregar”, explica Antunes, que complementa com a questão ambiental, de suma importância “não há descarte para baterias BYD, uma vez que após terem seu ciclo de vida encerrado na aplicação de empilhadeiras, são reutilizadas no sistema de armazenamento de energia (ESS – Energy Store System)”.

Quando comparada às de gás natural (GLP), mais uma vez as vantagens são inúmeras. As empilhadeiras GLP exigem um espaço próprio – e de alto custo – de armazenagem para os botijões, instalação de pit stop para recarga e ainda adicional de insalubridade para o operador do carregamento (por conta do risco de vazamentos e explosões). Nada disso acontece com as empilhadeiras BYD, e mais, comparando custo com combustível, tempo de abastecimento (deslocamento, troca e recarga) e manutenção (que no caso da GLP conta-se óleo, filtro, vela, correia, entre outros itens) a economia pode variar de nove a 27 mil reais por ano, considerando-se de um a três turnos de funcionamento.

São nove modelos disponíveis no Brasil (T14, T20, ECB16, ECB18, ECB20, ECB25, ECB30, ECB35, T50), com cases de sucesso no país com marcas como Renault, Suzano, Correios, Fiat, Braskem, entre outras.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade