Publicidade

E-commerce exige nova postura de empresas e operadores de logística

Responsável por transformações relevantes nos hábitos de consumo da sociedade nos últimos anos, o universo digital tem alterado a forma como as empresas se projetam no mercado e a logística para a entrega dos produtos. O e-commerce tem uma média no Brasil de 4% das vendas no varejo total, de acordo com um dos palestrantes do Congresso Multissetorial da 19ª Feira TranspoSul, José Roberto Resende. Segundo estudo divulgado no início de 2017 pela companhia global de tecnologia de pagamento, Visa, 58 mil compras são feitas pela internet por hora no país.

Com o objetivo de aprofundar a discussão frente a este cenário, a TranspoSul promove na quarta-feira (28/06), às 16h, o painel “Logística para o e-commerce: desafios e oportunidades”. O empresário, fundador e sócio-diretor da Shopping Brasil, vice-presidente de marketing da CDL Porto Alegre e administrador de empresas, José Resende, apresenta o assunto ao lado do diretor do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística do Rio Grande do Sul (SETCERGS) e da empresa Diálogo Logística, professor da ESPM, administrador e mestre em logística e gestão, Ricardo Hoerde.

– O varejo como nós conhecemos, que vende apenas preço e produto está com os dias contados. O aumento da participação do e-commerce, a redução do tráfego nas loja físicas e um consumidor cada vez mais empoderado, conectado, informado e exigente está obrigando o varejo a repensar todo o seu modelo de negócio. Inovar para não morrer – comenta Resende.

A tendência é a integração da loja física e on-line, tudo junto e misturado, respeitando a jornada de compras do consumidor, que pode querer comprar pela internet e receber em casa ou retirar na loja. Ou ainda comprar pela internet na loja e receber em casa, no seu hotel ou escritório. Todas estas opções facilitadas e aceleradas pelos smartphones cada vez mais relevantes no processo de compra. O desafio para o varejo é maior ainda para as pequenas e médias empresas com menos capacidade para investir em tecnologia e processos. A integração entre plataformas digitais, lojas físicas, lojas on-line e logística será o grande diferencial do futuro. Novos e desafiadores tempos pela frente.

Já para o segmento de logística, o principal desafio é oferecer um frete mais rápido para o consumidor, o que acaba refletindo em um novo hábito para o setor.

– Uma demanda crescente dos grandes players do ecommerce é a redução do prazo de entrega ao consumidor final. O transportador precisa se reinventar com auxílio da tecnologia e inovação na modelagem logística. Serviços como same day delivery e next hour delivery se tornarão rotina em breve. Para dar suporte à esta evolução o transportador precisa qualificar o processo de informação das entregas, a rastreabilidade online real time passa a ser imperativa. O ato de entregar passa a ser commodity, o desafio é informar com velocidade e qualidade – destaca Hoerde.

A 19ª TranspoSul ocorre entre os dias 27 e 29 de junho, no Centro de Eventos da Fiergs. Mais informações sobre a feira e o congresso podem ser obtidas no site transposul.com.br.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade