Publicidade

O Brasil em descompasso com novo modelo de negócios em transporte e logística

Os adventos tecnológicos e a facilidade para transmissão de dados são apontados como tendências no transporte de mercadorias. Porém diante de tanta inovação, o cenário no Brasil, ainda é de dificuldade. O tema foi destaque nas palestras do segundo dia da 19ª Feira e Congresso Transposul, que ocorre no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre (RS).

O sócio-gerente da empresa portuguesa de publicações Dicas & Pistas – Transportes em Revista, José de Castello Branco Monteiro Limão, ressaltou que a informação, hoje, em tempo real permite que novos modelos de negócios sejam desenvolvidos, como o caso de empresas como Uber e Cabify que tornaram-se referência.

Feira Transposul- Rompeu-se o modelo tradicional. Os operadores de transporte de carga são integradores, ou seja, não se limitam a transportar: armazenam, distribuem e fazem até promoção de produtos. Por outro lado a necessidade de reduzir custos é global e a intermodalidade é a ferramenta principal para isso. Não faz sentido algum percorrer cinco mil quilômetros de caminhão em qualquer lugar do mundo. Isto já nem é uma tendência e sim uma necessidade – completou.

A tecnologia não está presente apenas nos caminhões, mas em terminais de portos, armazéns e centros de distribuição. Este modelo traz mais eficiência, sustentabilidade econômica e financeira, equilíbrio energético e ambiental e sustentabilidade social e territorial.

A outra pauta do dia foi o Ecommerce. Segundo o empresário, fundador e sócio-diretor da Shopping Brasil, José Roberto Resende, as empresas estão usando o meio digital, cada vez mais, para levar o consumidor até o ponto de venda.

– Um dado relevante é que o Ecommerce representa, no Brasil, cerca de 3,6% do total de vendas. Nos EUA esse índice é superior a 10%, o que mostra que temos no mercado brasileiro um espaço muito grande para crescimento – afirmou.

Não saber ,ou pelo menos não ter como prever com exatidão, a quantidade que será vendida, é um dos maiores desafios de empresas.

– Os clientes são cada vez mais ansiosos para receber o produto rapidamente. A meta é que consigamos entregar 98% dos itens dentro do prazo, mas há uma série de desafios que precisam ser vencidos diariamente e um deles é a condição das estradas – completou o sócio diretor da empresa Diálogo Logística e professor da ESPM, Ricardo Hoerd.

O uso da internet das coisas em favor do transporte e da logística foi o tema da apresentação do professor da Faculdade de Informática da PUCRS, Fabiano Hessel, que demonstrou cuidados necessários no uso de veículos autônomos.

– Os países desenvolvidos estão interessados em utilizar os módulos de computação móvel. Porém, eles já estão sofrendo com hackeamento, pois o carro mudou o status para um computador móvel – explicou Hessel.

O empreendedor digital Carlos Alberto Mira contou sua trajetória profissional e mostrou como é possível alcançar o sucesso com inovações tecnológicas que auxiliam o trabalho do segmento de transporte e logística.

– Trabalhei com transportadora por mais de 35 anos. Então saí da empresa e abri uma startup, a TruckPad, que é um aplicativo que conecta caminhoneiros autônomos e organizações. Já tivemos mais de 500 mil downloads e 60% dos nossos usuários são empresas de transportes – relatou Mira.

Sócio e diretor de Negócios na Uords Estratégias Digitais, Dimas Mombach trouxe as funcionalidades do Google Adwords e quais os erros mais cometidos pelas empresas que apostam na ferramenta para atrair mais clientes.

Em atividade promovida pelo Sindiatacadistas foi abordada a logística reversa, incentivando empresários a melhorarem os processos, evitando desperdícios e problemas com os produtos. O engenheiro de Desenvolvimento de Produto da Mercedes-Benz, Camilo Adas, apresentou soluções para os obstáculos do transporte no país, como a baixa qualidade da malha viária e das diferenças de altitudes e climas que o Brasil possui.

A educação no trânsito esteve presente na palestra da pedagoga e chefe da Divisão de Educação/Escola Pública de Trânsito do Detran/RS, Laís Elisabeth Silveira. A consultora e palestrante Vânia Ferrari trouxe sentimentos e habilidades dos gestores do Século 21. O presidente da Patrus Transportes e vice-presidente de Transporte de Carga Fracionada (NTC), Marcelo Martins Patrus, apresentou os desafios de trabalhar com empresas de origem familiar. Também estiveram presentes na programação temas como tendências na automação logística, ecossistemas da inovação e desenvolvimento de produtos. Durante o evento foi assinada parceria do SETCERGS com o Porto Seco Transporte e Logística para a realização do Projeto Pescar. A primeira turma do projeto, de Iniciação Profissional de Logística, está prevista para fevereiro de 2018.

A 19a TranspoSul – Feira e Congresso de Transporte e Logística ocorre até quinta-feira (29/06) no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre (RS). A atração principal do último dia do evento será a palestra do deputado federal, Jair Bolsonaro, que abordará “O Transporte Rodoviário de Cargas e a Política Econômica no Brasil”, a partir das 14h. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelo site transposul.com.br.

Segurança

Uma preocupação constante do segmento é a segurança de motoristas e da carga transportada. Uma das emendas do Marco Regulatório de Transporte de Cargas tem como objetivo auxiliar no combate ao furto e roubo de carga. O advogado e professor de Direito Empresarial, Fernando Zanella, falou sobre a medida que pretende cassar o CNPJ de toda empresa ou empresário que não tomar os cuidados devidos com a procedência da mercadoria. O advogado e pós graduado em Direito do Trabalho, Marcelo Corrêa Restano explicou aspectos trabalhistas propostos na legislação.

O 2° Encontro de Segurança do Transporte Rodoviário de Cargas (TRC) das Regiões Sudeste e Sul, discutiu ações de integração frente ao crime de roubo de carga. O coordenador de análise de inteligência da coordenadoria geral de inteligência/SENASP/MJPS apresentou o painel “Roubo de Cargas – Panorama Nacional e Aspectos Regionais”, no qual mostrou como são montados esquemas de roubo por criminosos e como é feito o acompanhamento sistemático dos crimes.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade