Publicidade

ZF melhora a margem no primeiro semestre de 2017 mesmo com o aumento de investimentos em P&D

A ZF Friedrichshafen AG aumentou ainda mais suas vendas e resultados nos seis primeiros meses de 2017. As vendas subiram para 18,3 bilhões de euros, com o resultado operacional reajustado (EBIT) aumentado para 1,2 bilhão de euros. A ZF anunciou uma margem EBIT reajustada melhorada de 6,6%, apesar do aumento nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Ao mesmo tempo, a ZF conseguiu reduzir sua dívida resultante da aquisição da TRW, em aproximadamente 684 milhões de euros.

“A ZF investiu pesadamente no futuro na primeira metade do ano – nós estamos aumentando rapidamente nossos esforços com relação à eletromobilidade e direção autônoma”, explica o CEO da ZF, Dr. Stefan Sommer. “Nossa margem maior e o fluxo de caixa sólido permitem realizarmos diversas novas parceiras cooperativas que estamos utilizando para completar nosso portfólio de tecnologia”.

Nos primeiros seis meses de 2017, a ZF gerou vendas que totalizaram 18,3 bilhões de euros. Isso representa um aumento de 481 milhões de euros, ou 2,7% sobre os primeiros seis meses do ano passado. Excluindo os efeitos da taxa de câmbio e com reajuste para compra e venda de ações da empresa, a taxa de crescimento orgânico foi de 3%.

O lucro operacional reajustado (EBIT) atingiu 1,2 bilhão de euros (2016: 1,1 bilhão de euros) nos primeiros seis meses de 2017, o equivalente à margem EBIT reajustada de 6,6% (2016: 6,3%). “Apesar de investir mais em pesquisa e desenvolvimento e também em eletromobilidade e direção autônoma, nós conseguimos aumentar nossa margem”, acrescenta o CFO Dr. Konstantin Sauer. “Conseguimos isso ao melhorar o desempenho operacional e realizar sinergias resultantes da aquisição da TRW”. O ganho reajustado antes dos juros, taxas e depreciação e amortização (EBITDA) chegou a 2,0 bilhões de euros (2016: 1,9 bilhão de euros), equivalente a uma margem EBITDA de 10,8% (2016: 10,7%).

O fluxo de caixa operativo, reajustado para compra e venda de ações da empresa, ficou em 322 milhões de euros (2016: 401 milhões de euros), o que contribui para redução ainda maior da dívida – que resultou da aquisição da TRW – em 684 milhões de euros, para 7,6 bilhões de euros. Enquanto isso, a relação de capital aumentou dois pontos percentuais, para 23%.

A ZF prevê que os negócios permanecerão estáveis em 2017. “Continuamos aguardando uma margem EBIT reajustada de mais de 6%; e uma margem EBITDA reajustada de mais de 10%”, explica o diretor financeiro Sauer. “As vendas de 2017 ultrapassarão 36 bilhões de euros da perspectiva atual”.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade