Publicidade

Boletim técnico – Pneus inservíveis

Inservível é o pneu que não pode mais ser utilizado, chegou ao fim de sua vida útil. Não se trata de um resíduo considerado perigoso, já que não apresenta risco significativo à saúde ou à qualidade ambiental, como acontece com resíduos inflamáveis ou tóxicos. Mas, apesar dessas características, é um resíduo que merece atenção especial: se descartado de forma irregular, pode causar danos ao meio ambiente, a proliferação do mosquito da dengue e incêndios.

O tempo aproximado para degradação dos pneus é de 600 anos. Por isso, é proibido o envio de pneus velhos para aterros sanitários – eles acabam emergindo para a superfície por causa da absorção de gases liberados pela decomposição dos resíduos orgânicos. Esse procedimento prejudica a eficiência e a vida útil do aterro.

A forma ambientalmente correta para descarte de pneus é enviá-los para um ponto de coleta. Conhecidos como Ecoponto, são locais administrados pelas Prefeituras Municipais, onde são recebidos pneus recolhidos pelo serviço de limpeza pública, ou aqueles enviados diretamente por borracheiros e pessoas comuns.

Por meio de acordo setorial, a ANIP (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos) criou a Reciclanip, que hoje é a empresa responsável por toda a gestão de pneus inservíveis destinados aos Ecopontos em todo o Brasil, bem como pela destinação ambientalmente correta desse material.

Destinação
Após a coleta nos Ecopontos, o pneu é enviado para empresas de trituração, onde é transformado em pedaços de borracha, também conhecidos como “chips”. Esses chips são triturados para gerar novos produtos: calçados, pisos industriais, borrachas de vedação, etc. Também são utilizados no processo de cogeração energética.

Dicas de reaproveitamento
Os pneus inservíveis também podem ser reutilizados como artefatos de decoração: bancos, artigos para jardim, entre outros. Reaproveitar um produto no fim de sua vida útil contribui diretamente para a preservação do meio ambiente, pois dessa forma minimiza-se o risco de descarte incorreto, além de diminuir o uso de matéria-prima para fabricação de novos produtos.

Cuidados ao reaproveitar
• Lave bem para retirar todas as impurezas.
• Não armazene pneus ao ar livre; isso pode gerar acúmulo de água, contribuindo para a proliferação do mosquito da dengue.

Legislação
O Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), por meio da Resolução nº 416/2009, dispõe sobre a prevenção à degradação ambiental causada por pneus inservíveis e sua destinação ambientalmente adequada. Porém, no ano de 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos instituiu a Lei nº 12.305, que aplicou atenção especial à logística reversa, definindo então o acordo setorial como um dos instrumentos de trabalho conjunto.
Pelo acordo setorial entre as empresas fabricantes de pneus, foi firmado acordo entre o poder público e fabricantes, importadores, distribuidores ou comerciantes, visando estabelecer a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida do produto, dando início ao processo de logística reversa específico para o produto pneu.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade