Publicidade

Bridgestone ajuda consumidor a conhecer os dados técnicos dos pneus

Você já parou para reparar em todos aqueles números, letras e riscos estampados na lateral do pneu do seu carro? Pois deveria. Por isso, a Bridgestone, maior fabricante de pneus do mundo, ajuda você a ler esses ‘códigos’ que dão informações valiosas sobre as características do produto e ajudam a tirar o melhor proveito dele. Por meio da leitura, você descobre informações como a capacidade de carga e velocidade na qual o produto pode ser submetido, o que ajuda na hora de substitui-los.

“Quando a vida útil do pneu chega ao fim, muitos motoristas ficam na dúvida sobre qual modelo comprar. Por isso, aconselhamos o consumidor a ficar atento às recomendações que constam no manual do veículo, pois cada automóvel tem um pneu específico”, comenta José Carlos Quadrelli, gerente geral de Engenharia de Vendas da Bridgestone. “Manter as características do carro, principalmente do pneu, é um dos principais cuidados que se deve ter na hora de adquirir um pneu novo para não correr o risco de perda de desempenho do veículo”, conclui.

Mas como ler um pneu? Apesar de parecer complicado à primeira vista, é uma tarefa relativamente simples. Em geral, as informações estão dispostas da seguinte maneira:

Marca: A leitura se inicia com o nome da marca fabricante ou marca de um pneu. Ou seja, num pneu Bridgestone, você deve localizar primeiramente este nome para, então, continuar a sequência correta da leitura. A marca de um pneu diz muito no quesito qualidade. Bridgestone e Firestone, por exemplo, são reconhecidas por sua durabilidade e performance.

Modelo: Logo após o nome da marca, há a identificação do modelo. Esta é uma parte importante porque ajuda na hora de fazer reposição de um exemplar. Alguns modelos de pneu Bridgestone são o Ecopia EP150, Turanza ER300, B250, Potenza RE760, dentre outros.

Indicador de desgaste (TWI): São os ressaltos de borracha que ficam nos sulcos dos pneus e possuem 1,6 mm de profundidade. Quando chegam ao seu limite, sinalizam que o pneu está legalmente ‘careca’ e deve ser trocado.

Sentido de Rotação: No caso de pneus unidirecionais são setas que indicam qual a direção correta para o pneu rodar. Como o consumidor não manuseia os pneus já colocados nas rodas, poucos prestam atenção neste detalhe. No entanto, é interessante saber para evitar enganos e, assim, um desgaste irregular do produto.

Data de fabricação (DOT): É um conjunto de onze dígitos cujos quatro últimos números informam a semana e o ano em que o pneu foi fabricado. Por exemplo, um pneu que tenha a sequência 1815 foi fabricado na 18ª semana do ano de 2015.

Indicador de posição: Em caso de pneus assimétricos, esta sinalização mostra a posição em que ele deve ser colocado na roda, diferenciando as partes externa e interna.

Medida: É a medida nominal em milímetros. Entre os veículos de passeio, pode variar normalmente entre 165, 175, 185, 195 até 315. Este é um fator que influencia na estabilidade gerada pelo pneu. Na sequência, aparece o percentual entre a altura e a largura da seção do pneu. Quanto maior o número, mais alto é o perfil do pneu. A letra a seguir indica o tipo de construção. Pode ser designada por um R (Radial) ou D ou sem indicação (Diagonal). Normalmente, os pneus tipo R têm cintas feitas em aço, gerando maior rigidez e durabilidade. Os modelos diagonais não possuem cintas de aço. O último número, de dois dígitos, é a medida do aro, em polegadas.

Índice de Carga e Símbolo de Velocidade: O índice de carga é um número de 2 ou 3 dígitos que corresponde à carga máxima que o pneu pode suportar. Ele é seguido por uma letra que é o símbolo de velocidade e que informa a velocidade máxima que o pneu pode suportar quando sujeito à carga máxima.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade