Publicidade

Venda de pneus cresce 8,6% no terceiro trimestre

A Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP) fecha o terceiro trimestre de 2017 com alta de 8,6% na venda total de pneus nacionais em comparação a 2016. O resultado faz parte do balanço setorial divulgado trimestralmente. No consolidado do ano (janeiro a setembro), o aumento foi de 2,4% nas vendas totais em relação ao mesmo período do ano passado. “O setor acompanha a retomada do crescimento da indústria de veículos”, salienta o presidente executivo Klaus Curt Müller.

Venda às Montadoras
A venda às montadoras cresceu 16,3% no trimestre em relação a 2016, com um total de 4 milhões de unidades vendidas contra 3,5 milhões no ano passado.

A produção de veículos registrou um aumento de 39,1%, conforme divulgado no início de outubro pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA). A alta de produção impulsionou o aumento da venda de pneus de carga em (29,3%), comerciais leves em (22,5%) e de passeio em (18,1%).

Já as vendas de pneus duas rodas caíram 1,8% e não refletiu pelo crescimento de 7,8% na produção de motos divulgado pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Mercado de Reposição
As vendas para o mercado de reposição fecharam o último trimestre com alta de 5,8%, em relação ao mesmo período de 2016. As altas dos pneus duas rodas (9,2%), de carga (6,3%) e de passeio (5,8%) contribuíram significativamente no resultado. Comerciais leves e outros tiveram queda de 0,6% e 2,4%, respectivamente. No total, foram comercializados 642 mil pneus a mais no período. No acumulado de janeiro a setembro de 2017 o mercado de reposição cresceu 2,6%, em comparação ao ano anterior.

Exportações
Depois da queda de 15% registrada no primeiro semestre deste ano, as vendas totais para o exterior fecharam o terceiro trimestre em alta de 9,9% em relação ao mesmo período do ano passado. O índice foi puxado pelos pneus de passeio (20,3%), outros (18%), de carga (12,8%) e comerciais leves (9,3%). A queda de 8,6% de pneus duas rodas foi a única exceção. Ainda assim, o total de exportações até setembro de 2017 segue 6,9% abaixo do que foi registrado até setembro em 2016.

A indústria nacional de pneus conseguiu manter o superávit favorável em sua balança comercial no ano de 2017. No total, isso equivale a US$ 888,9 milhões em exportações e US$ 668,1 milhões em importações, com saldo final positivo de US$ 220,9 milhões.

“A alta de vendas no trimestre é um bom sinal para o setor, mas ainda há espaço para melhorar, principalmente quando se trata de exportações, que ainda estão abaixo dos números registrados em 2016”, analisa Klaus Curt Müller. “Além disso, a Anip continua a luta pela melhoria da competitividade do setor, fundamentalmente nas alíquotas de importação da borracha natural e no antidumping.”

FABRICANTES NACIONAIS SUPERAM A META DO IBAMA

400 MIL TONELADAS DE PNEUS DESTINADAS DE FORMA AMBIENTALMENTE CORRETA

Reciclanip
No terceiro trimestre de 2017, a Reciclanip destinou mais de 111 mil toneladas de pneus inservíveis, o que equivale a 22,2 milhões de pneus de carro de passeio. Desde 1999, quando começou a coleta pelos fabricantes, 4,2 milhões de toneladas de pneus inservíveis foram coletados e destinados adequadamente, o equivalente a 857,2 milhões de pneus de carro de passeio. Desde então, os fabricantes de pneus já investiram R$ 991,9 milhões no programa até setembro de 2017, mais de R$ 73 milhões somente neste último ano.

No dia 4 de setembro, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) divulgou o Relatório de Pneumáticos, documento anual que mostra a quantidade de pneus destinados de forma ambientalmente correta. O resultado mostra que os fabricantes nacionais cumpriram mais de 100% da meta de destinação em 2016, tendo superado a marca de 404.022,40 toneladas estabelecida pelo Ibama, o que equivale a aproximadamente 81 milhões de unidades de pneus de passeio.

“Com mais de mil pontos de coleta espalhados por todos os estados do Brasil e com experiência em logística reversa acumulada desde 1999, a Reciclanip vem conseguindo destinar de forma ambientalmente adequada mais de 100% da meta de destinação de pneus inservíveis dos fabricantes nacionais”, explica Curt.


Publicidade


Leia Também:
Anterior:

Próxima:

Publicidade