Toyota anuncia novas unidades de propulsão baseadas na plataforma global TNGA

A Toyota deu início ao desenvolvimento de novas transmissões do tipo CVT (continuamente variável), manual de 6 velocidades, em conjunto com motorização de 2.0L e 2.0L de sistema híbrido e equipadas com tração integral na sua plataforma TNGA (Nova Arquitetura Global da Toyota), estrutura que traduz a missão da marca na fabricação de carros cada vez melhores. As novas tecnologias oferecem um desempenho de condução aprimorado e altamente sustentável.

A nova transmissão do tipo CVT conta com uma engrenagem de partida, que melhora significativamente a eficiência de transmissão em baixas velocidades. Ela suporta o todo o conjunto a entregar respostas de condução direta e mais suave ao acionar o acelerador, bem como máxima eficiência de combustível.

Troca de Marcha Direta (DSG-CVT): Um novo tipo de CVT
A função básica de qualquer sistema de transmissão é apresentar eficiência na transmissão, alta performance entre as faixas de potência dos motores, além de trocas altamente responsivas. Para aprimorar essas funções, a Toyota tem buscado reduzir a perda mecânica, utilizar relações de transmissão maiores e aperfeiçoar a detecção das trocas. Tais iniciativas resultaram em uma experiência de condução direta e suave, com economia de combustível na ordem de 6% em relação ao sistema de transmissão existente.

Perda mecânica reduzida
A nova unidade de propulsão conta com a primeira engrenagem de partida do mundo em uma CVT de veículo de passageiro, o que facilita eficiência de transmissão em relações de engrenagens menores, nas quais a eficiência da correia é menor. O sistema de transmissão utiliza transmissão de engrenagens ao dar a partida após uma parada completa, gerando uma aceleração potente, ao passo que soluciona a sensação de lentidão. A solução entrega um desempenho de partida suave e confortável. A mudança de transmissão de engrenagens para correia insere uma série de tecnologias de controle de troca de marchas responsivas.

Conversão para faixas de marchas mais amplas
Junto com a adoção de uma engrenagem de partida, o uso da correia agora está especificado para relações de engrenagem mais altas. Esta nova configuração não somente melhora a eficiência do uso da correia, como também permite a adoção de faixas de marchas amplas, gerando uma faixa da relação de engrenagens de 7.5 para a classe de 2.0L.

Melhoria na detecção de troca de marchas
A utilização de engrenagens de partida resulta em uma carga de entrada reduzida. Isso possibilita a diminuição do tamanho dos componentes de correia e polia. O ângulo da correia e os diâmetros de polia foram otimizados, originando velocidades de troca 20% mais rápidas, com ganhos em aceleração e equilíbrio do conjunto.

Nova Transmissão Manual de 6 velocidades (6MT)
A Toyota também desenvolveu uma nova transmissão manual, em resposta às crescentes demandas em mercados específicos. Comparada à versão existente, a massa (volume) total do novo sistema foi reduzida em sete quilogramas e o comprimento em 24 milímetros. As novas configurações traçam o perfil de uma das menores transmissões do mundo, contribuindo de forma direta para eficiência de combustível. A transmissão manual de seis velocidades também oferece faixas de mudanças altamente precisas, enquanto o uso do controle do iMT (Transmissão Manual Inteligente), com função de ajustar automaticamente as rotações do motor nas trocas de marcha, assegura trocas livre de recuos para o condutor.

Motor de Força Dinâmica 2.0L
O novo Motor de Força Dinâmica da Toyota adota tecnologias de combustão de alta velocidade e um sistema de controle variável. Ele também atinge maior eficiência térmica, gerando alta potência, devido a uma redução da perda de energia relacionada aos sistemas de resfriamento e escape e ao movimento de peças mecânicas. Consequentemente, os novos motores de veículos híbridos e a gasolina de 2.0L atingem eficiências térmicas em 40% e 41%, respectivamente. Outro destaque, em comparação aos motores existentes, é o torque, que foi aumentado em todas as velocidades do.

Sistema Híbrido 2.0L da Toyota (THS II)
A Toyota desenvolveu um novo sistema híbrido para motores de 2.L, com aplicação das mesmas tecnologias redutoras de tamanho, peso e perda consideradas na quarta geração do Prius. O novo sistema exerce um desempenho de condução melhorado à medida que mantém a máxima eficiência de combustível. Na aceleração, o sistema híbrido reduz as rotações do motor enquanto extrai maior energia elétrica da bateria, para proporcionar sensação de aceleração linear e prolongada.

Novos Sistemas de Vetorização Dinâmica do Torque AWD e E-Four 4WD
A Toyota desenvolveu dois novos sistemas 4WD com o objetivo de melhorar a eficiência de combustível e atingir o desempenho de condução, estabilidade e performance fora-de-estrada.

O novo sistema de Vetorização Dinâmica do Torque é usado em veículos de motor a gasolina. Ao adotar um mecanismo de vetorização, que distribui o torque independentemente às rodas traseiras conforme as condições de condução, o sistema de Vetorização Dinâmica do Torque AWD permite que o condutor dirija o veículo exatamente como deseja. Ele atinge um alto desempenho off-road até mesmo nas estradas mais severas. Ele também integra um mecanismo de desconexão que conta com as primeiras embreagens de escora do tipo catraca nos eixos das rodas dianteiras e traseiras. Essas embreagens param as rotações do sistema, que conduzem a força de transmissão até as rodas traseiras no modo 2WD, com redução significativa para perda de energia e melhora da eficiência de combustível.

O novo sistema E-Four será usado em veículos híbridos. O sistema aumenta o torque total das rodas traseiras, transmitidas eletricamente, em 30%, quando comparado às versões atuais. Ao adotar um novo sistema de controle que distribui o torque perfeitamente até as rodas traseiras, com base nas condições de condução, o sistema E-Four oferece ótima estabilidade e condução.

Ambos sistemas, de Vetorização Dinâmica do Torque AWD e o E-Four, possuem Gerenciamento Integrado AWD (AIM), que combinam motor, transmissão, frenagem e sistemas 4WD para fornecer controle e estabilidade excelentes independentemente das condições da superfície da pista.

As unidades de propulsão não contribuirão somente para um melhor desempenho ambiental e de condução dos veículos a motor de gasolina convencionais, mas essas tecnologias fundamentais serão refletidas na melhora do desempenho de veículos eletrificados, incluindo os veículos híbridos elétricos (HEVs), veículos híbridos plug-in elétricos (PHEVs), veículos elétricos de bateria (BEVs) e veículos elétricos de célula de combustível (FCEVs). Essas tecnologias exercem um papel na busca da Toyota pela popularização dos veículos eletrificados.

Com relação às unidades de propulsão baseadas na plataforma TNGA, a Toyota já anunciou planos para a introdução de 17 versões de nove motores, 10 versões de quatro transmissões e 10 versões de seis transmissões de sistemas híbridos até o fim de 2021. A nova transmissão CVT, a transmissão manual de 6 velocidades, o motor de 2.0L e o sistema híbrido de 2.0L representam quatro dos componentes planejados.

Até o fim de 2023, a Toyota pretende ter unidades de propulsão baseadas na TNGA instaladas em cerca de 80% dos veículos das marcas Toyota e Lexus vendidos anualmente no Japão, nos Estados Unidos, Europa e China. A Toyota estima que as unidades de propulsão baseadas nesta plataforma aumentarão a eficiência de combustível o suficiente para reduzir as emissões de CO2 de veículos da Toyota em mais de 18%.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: