Consumidor pode economizar até R$ 1.014 ao ano em combustível na cidade do Rio de Janeiro, segundo a PROTESTE

Nesta terça-feira, 27, a PROTESTE, Associação de Consumidores, realizou uma pesquisa com o objeto de comparar os preços de combustíveis em postos da cidade do Rio de Janeiro.

Os gastos com combustíveis são um dos principais itens do orçamento familiar para aqueles que recorrem a automóveis próprios em seus deslocamentos diários. Esse item tem peso médio de 3,3% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do Brasil e 2,2% no INPC da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Para a realização do estudo, foram coletados preços em 76 postos de combustíveis, distribuídos em 37 bairros da cidade. Esse número representa cerca de 11% dos postos de combustíveis autorizados em operação na cidade.

A possibilidade de economia encontrada na pesquisa foi de 13% na gasolina comum, 17% na gasolina aditivada, 20,9% no etanol, 28,3% no diesel e 20,4% no GNV.

Gasolina Comum

A maior diferença encontrada na nossa pesquisa do litro da gasolina comum entre os postos mais baratos e o mais caro foi de R$ 0,655, isto é 13% de economia. Como já dito anteriormente, o posto mais caro é da Zona Sul e os mais baratos da zona Norte e Oeste.

Gasolina Aditivada

A diferença do litro da gasolina aditivada entre os postos mais baratos e o mais caro foi de R$ 0,83, o que representa 15,7% de economia. Neste caso, o posto mais caro não era da Zona Sul, mas da Barra da Tijuca.

Etanol
No caso do litro do etanol, a maior diferença encontrada foi de R$ 0,89, entre o posto mais barato e o mais caro, ou seja, 20,9% de economia. Mais uma vez, o posto mais caro estava localizado na Zona Sul.

Diesel

Já para o litro do diesel, a maior diferença foi de R$ 1,30 entre os postos mais barato e mais caro, isto é 28,3% de economia. Esse combustível apresentou a maior diferença entre postos em nossa análise. E vale destacar que os bairros Freguesia e Barra da Tijuca são relativamente próximos.

GNV

A maior diferença encontrada para o metro cúbico (m3) do GNV entre o posto mais barato e o mais caro foi de R$ 0,55, isto é 20,4% de economia. Novamente a Zona Sul foi onde encontramos o maior preço.

Entretanto, a grande distância entre os postos mais baratos, que ficam na Zona Oeste ou Norte da cidade, em relação aos mais caros, que ficam na Zona Sul e na Barra da Tijuca, pode ser considerada pelo consumidor um fator que impede que ele se desloque para comprar no posto mais barato ou que não compense o deslocamento. Por isso, a PROTESTE também avaliou a diferença de preços dentro do mesmo bairro.

Diferenças de preços dentro dos bairro

Gasolina Comum

No caso da gasolina comum, a diferença de preços média dentro do mesmo bairro é de 4,5%, ou seja, o consumidor que optar pelo posto mais barato do bairro pode economizar em média 4,5%.

A maior economia foi encontrada no Centro, 9,4% entre o posto Rias Baixas na Avenida Presidente Vargas, S/N, em frente ao Terreirão do Samba, (R$ 4,999) e o Centro Automotivo Central do Brasil Ltda na Rua Barão de São Felix, 148 (R$ 4,529), que ficam a apenas 500 metros de distância um do outro. Em Benfica, Bangu e Maracanã a economia é de 8,3%.

Etanol

No caso do etanol, o consumidor que optar pelo posto mais barato do bairro pode economizar em média 6,5%. A maior economia foi encontrada em Benfica e no Maracanã, 12,8%.

O posto mais caro em Benfica é o Posto de Gasolina São Luiz Gonzaga Ltda. na Rua São Luiz Gonzaga, 1890 (R$ 3,899) e o mais barato é o Posto de Abastecimento Alegria Ltda na Avenida Brasil, 2705 (R$ 3,399), que ficam a apenas 1,7 km de distância um do outro. No Centro a economia é de 12,1%, 11,3% em Bangu e 10,3% na Freguesia.

GNV

No caso do GNV, o consumidor que optar pelo posto mais barato do bairro pode economizar em média 5,1%. A maior diferença foi encontrada na Barra da Tijuca, 15,1%.

O posto mais caro na Barra da Tijuca é o Auto Posto Nova Ipanema Ltda na Avenida das Americas, 4399 (R$ 2,697) e o mais barato é o Auto Posto Map Recreio Ltda na Avenida das Americas, 10200 (R$ 2,289). A distância entre eles é de 5,8 km. No Pechincha a economia é de 12%, 10,6% no Centro e 10,4% em Olaria.

Economize!

Considerando que a distância média percorrida pelos moradores do Rio de Janeiro de suas residências até o trabalho é de 12 km, segundo dados do Moovit, ou seja, 24 km ida e volta todos os dias, o que totaliza 528 km por mês (com 22 dias úteis) o gasto mensal com combustível pode ser considerado de grande relevância. Por exemplo, se o carro utilizado por um morador da cidade com essa rotina tem rendimento de 12km/litro de gasolina, ele deverá comprar 44 litros por mês. E isso apenas para ir e voltar do trabalho todos os dias.

Considerando esse perfil, o custo total mensal no posto mais caro é de R$ 222,38 e nos mais postos barato R$ 193,56, uma economia de R$ 28,82, apenas para ir e voltar do trabalho.

Se incluímos mais 50% no consumo mensal de gasolina para outros deslocamentos, como passeios e compras, o total passa para 66 litros/mês e a economia aumenta para R$ 43,23 no mês, R$ 518,76 no ano.

Caso esse consumidor tenha o costume de abastecer no Centro, sem sair do bairro ele poderá gastar R$ 329,93 no posto mais caro ou R$ 298,91 no mais barato, uma economia de R$ 31,02 no mês, R$ 372,24 no ano.

Mas, se ele usa etanol ao invés da gasolina e o rendimento é de 8,4 km/litro de etanol, serão necessários quase 95 litros por mês. A diferença entre o posto mais caro e mais barato da cidade será de R$ 84,55 (R$ 404,61 no mais caro e R$ 320,06 no mais barato), R$ 1.014,60 no ano. Caso ele tenha o costume de abastecer em Benfica ou no Maracanã, sem sair do bairro ele poderá gastar R$ 370,41 no posto mais caro de cada bairro ou R$ 322,91 no mais barato, uma economia de R$ 47,50 no mês, R$ 570 no ano.

Para conferir a pesquisa completa acesso o link: https://www.proteste.org.br/precodecombustivelrj

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: