Medidas para combater roubo de cargas no Brasil

Diante de estatísticas assustadoras relacionadas a roubo de cargas no Brasil, diversas medidas estão sendo tomadas pelos poderes público e privado para que o quadro se reverta.

Entre elas, está o Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas, criado por meio do Projeto de Lei 4860/16, e que define regras claras e propõe aprimorar as normas para o transporte rodoviário de cargas. O projeto, aprovado por uma comissão especial da Câmara dos Deputados, em dezembro, seguiu para apreciação do Senado, em 22 de fevereiro.

Para o setor de transporte e logística, o Marco Regulatório é importante, pois endurece as penas impostas a empresas e motoristas envolvidos no roubo de cargas. Além disso, traz inovações na contratação dos serviços de seguro, ampliando a cobertura para roubo e desvio de carga.

Já no último dia 6 de março, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1.530/15 que prevê a pena de cassação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para condutor condenado por dirigir veículo usado para receptação, descaminho ou contrabando de mercadorias. O PL segue para apreciação do Senado.

Gerenciar riscos

De acordo com Cyro Buonavoglia, presidente da Buonny, maior gerenciadora de riscos do país, fatores como a crises política, a deficiência de nossas leis, desemprego, falta de ações ostensivas dos órgãos de segurança pública dentre outros influenciam no constante aumento de eventos envolvendo roubos de cargas nos transportes rodoviários.

“Diante desse cenário, a Buonny busca, a cada dia, a criação e o aperfeiçoamento de suas ferramentas visando mitigar possíveis perdas, pois o risco existe e é iminente, assim nosso principal foco é evitar a perda”, explica.

Para isso são elaborados Planos de Gerenciamento de Riscos de acordo com cada operação (por meio de Análises Situacionais, nas unidades do cliente) com ações de segurança nas estradas, perfis de condutores (baseados nos tipos de cargas, valores, rotas, etc), planejamento de viagens com locais próprios para paradas eventuais e/ou pernoites, homologação de postos, inserção de dispositivos localizadores tanto na carga quanto nas carretas, comitês de riscos periódicos com Seguradoras, Corretoras e empresas de Tecnologias, propondo, implantando e monitorando ações de melhorias focadas na segurança dos processos.

Cyro ainda explica que a Buonny investe fortemente em tecnologias próprias, como o SGI – Sistema de Gestão Inteligente para controle logístico e otimização da frota e o Web Guardian, um Sistema de Integração Inteligente no qual ações de contingência automáticas são parametrizadas de acordo com a operação de cada cliente otimizando e potencializando reações que dependeriam do fator humano para ocorrem.

Sobre Cyro Buonavoglia:

Cyro Buonavoglia, 69 anos, com vasta experiência em comércio e indústria, formado em administração de empresas pela Faculdade Dom Pedro II, atuou nas áreas de indústria e comercio e fundou há 23 anos a Buonny Projetos e Serviços, que se transformou em um conglomerado de empresas, que busca atender com eficácia o mercado nos segmentos de logística, saúde, tecnologia e energia fotovoltaica. O executivo também fundou as entidades: GRISTEC e SINDIRISCO. Atualmente como Presidente do Grupo Buonny, sua principal meta é avançar com o crescimento das empresas que compõe o grupo, por meio de investimentos em tecnologia, que aumentam a qualidade dos serviços prestados na mitigação de riscos.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: