Volkswagen Financial Services amplia e diversifica os negócios

A ampliação e diversificação do portfólio e dos negócios, e o fortalecimento
da integração com as marcas do Grupo VW marcam a edição 2017 do Relatório
Anual da Volkswagen Financial Services, maior financeira de montadora do
país, segundo ranking do Banco Central. As ações promovidas tiveram como
pano de fundo um cenário positivo, fruto da retomada da indústria
automobilística no ano passado, da inflação sob controle, da taxa de juros
no menor patamar histórico e do aumento na confiança do consumidor.

“A queda do juro básico permitiu maior equilíbrio entre funding e
precificação, propiciando melhores oportunidades na oferta de produtos aos
clientes, o que também está aliado a uma menor inadimplência ao longo do
ano, consolidando o resultado financeiro”, comenta Rafael Teixeira, CFO da
Volkswagen Financial Services.

Fabrizio Ruggiero, CEO da companhia, aponta mais um destaque – a criação de
uma empresa de locação, a Fleetzil, localizada em Curitiba (PR), marcando a
entrada da empresa nesse mercado e se tornando o primeiro grupo do setor
automobilístico do Brasil a ter sua própria locadora de veículos. “Essa
estratégia pioneira de negócio nos coloca não apenas como uma empresa de
financiamento, mas de produtos e serviços financeiros voltados à mobilidade”,
ressalta o executivo.

A sinergia entre a Volkswagen Financial Services e as marcas do Grupo
(Volkswagen, MAN, Audi e Ducati) também foi expressiva em 2017. Ações
conjuntas, como campanhas de taxas e preços competitivos, e oferta de
produtos agregados (seguros e serviços de pós-venda) foram promovidas a fim
de atrair e fidelizar a base de consumidores. “Mais de 60% dos
financiamentos realizados pela companhia tinham algum serviço agregado, como
revisão planejada, garantia estendida, seguro de proteção financeira, seguro
de proteção de casco, entre outros”, destaca Teixeira.

Mais um benefício da aproximação das marcas foi o desenvolvimento de um
produto de consórcio específico para a nova versão do Polo, o que refletiu
diretamente no desempenho. O penetration, principal indicador de vendas da
companhia, chegou a 39,1% no segmento de Automóveis e o ano foi encerrado
com a fatia de 50,2% no segmento de Caminhões e Ônibus.

De acordo com Ruggiero, o ano de 2017 serviu como ensaio da recuperação
esperada nos próximos anos. “Vamos continuar o processo de desenvolvimento
de negócios e a recuperação de resultados, visando garantir a
sustentabilidade da companhia, a integração com as marcas do Grupo VW e a
rentabilidade do acionista”, finaliza.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: