Carreira e life-changing: como um bootcamp pode ajudá-lo a entrar no mercado de TI

Por Mateus Félix

A vivência em uma escola de programação no modelo bootcamp traz inúmeros benefícios para os alunos. Desenvolver a habilidade de trabalhar em equipe, conectar-se com pessoas com diferentes trajetórias profissionais, enfrentar novos desafios, desenvolver competência para buscar soluções para problemas reais e aprender programação são apenas alguns desses benefícios. Bootcamps têm se tornado poderosos atalhos para quem busca alavancar a trajetória profissional, não apenas na área de TI, como também no desenvolvimento de produtos, ou mudar de carreira.

Neste modelo de curso, o lema é aprender fazendo. Além das aulas teóricas, há muitas atividades práticas voltadas para o desenvolvimento de projetos. A metodologia adotada prioriza a imersão, fator fundamental para um aprendizado mais eficiente, já que o contato com o conteúdo do programa será maior. Durante todo o curso, há mentoria dos professores para que os alunos tirem dúvidas e possam superar algum tipo de dificuldade. Além disso, neste modelo de ensino, os feedbacks diários são muito comuns, permitindo a correção e aperfeiçoamento das técnicas utilizadas na programação.

Como as habilidades e dificuldades dos alunos são bastante variáveis, o conteúdo do módulo é aberto, ou seja, há diferentes maneiras de resolver um único exercício. Isso é uma vantagem porque cada aluno pode abordar o projeto de modo personalizado, escolhendo a melhor forma de desenvolvimento, de acordo com o nível de complexidade em que se sentir mais confortável.

Atualmente existe uma carência de mão-de-obra especializada em algumas áreas tecnológicas que estão em expansão. Por meio de um bootcamp, em apenas dois meses, o participante se torna um profissional certificado e apto a preencher uma posição: uma formação profissional rápida, com valor correspondente ao conhecimento adquirido e boas perspectivas de recolocação no mercado. Essa tem sido a opção de muitos profissionais, especialmente de TI, que visam promoção e de pessoas que querem mudar de carreira, o famoso life-changing.

Em época de crise, por exemplo, muitos profissionais querem mudar de área, mas não sabem por onde começar ou têm receio de que o novo setor escolhido não tenha estabilidade ou oportunidades. É neste momento que o bootcamp pode ajudar. Estes cursos têm garantido alto índice de empregabilidade de seus alunos em, no máximo, três meses, e com média salarial muito atrativa.

Coding schools têm focado seus cursos para as profissões que atualmente estão em expressivo crescimento e já se tornaram tendências no mercado de trabalho. Mais do que programação, tem ensinado aos alunos uma nova metodologia que capacita e prepara os participantes para o postos de trabalho no setor tecnológico. Dois meses de bootcamp podem render uma carreira promissora e muita satisfação profissional.

Talvez essa seja uma nova era para o antigo “aprenda fazendo”.

*Mateus Félix é formado em Web Development pela Ironhack Madri e atualmente é Teacher Assistant na Ironhack São Paulo. A Ironhack é uma escola de programação global com presença em oito países, que atua em modelo de bootcamp.



Leia Também:
Anterior:

Próxima: