Renault alcança marca de 4 milhões de motores produzidos no Brasil

A Renault do Brasil alcançou a marca de 4 milhões de motores fabricados no Complexo Ayrton Senna, no Paraná. Desse total, cerca de 40% foram exportados. A marca histórica foi celebrada em cerimônia realizada com os cerca de 550 colaboradores da Curitiba Motores. A CMO – como é conhecida – tem capacidade produtiva de 600 mil unidades ao ano e hoje produz os motores 1.0 e 1.6 SCe, que equipam toda a gama de veículos de passeio da Renault no país.

“A CMO é uma unidade industrial Inserida no contexto da indústria 4.0, reunindo inovações que nos possibilitam fabricar motores de alta tecnologia. Chegar a 4 milhões de unidades produzidas é um momento de alegria e orgulho para todo o nosso time, sobretudo acompanhando a grande evolução tecnológica que a Renault realizou em seus motores ao longo do tempo”, afirma Carlos Martin, diretor de Fabricação de Motores da Renault.

A história da produção dos motores da Renault do Brasil começou em 2 de dezembro de 1999, com a inauguração da CMO. A fábrica possuía capacidade produtiva de 280 mil unidades por ano e fabricava o motor 1.6 16V, que equipava os três veículos da produção nacional da Renault: o Scénic, o Clio e o Clio Sedan, além de ser exportado para a Argentina, onde era aplicado à linha Mégane.

Em 2000, seu primeiro ano cheio de fabricação, a CMO produziu cerca de 30 mil motores, já contando também com as primeiras unidades do motor 1.0 16V, com foco no Clio. A partir de 2002, a fábrica diversificou sua produção, incluindo também os motores 1.0 8V e 16V. A marca produziu também o motor 1.2 16V para exportação. Com essa gama, a Renault atingiu, em 2006, o seu primeiro milhão de unidades produzidas no Brasil – marca que seria duplicada em 2011 e que chegaria a 3 milhões em 2014.

Em novembro de 2016, os motores da Renault do Brasil deram um outro salto tecnológico com a chegada dos propulsores 1.0 SCe e 1.6 SCe, com inovações da Fórmula 1 em nome da economia de combustível e do prazer em dirigir. Totalmente em alumínio, os motores 1.0 e 1.6 SCE – sigla para Smart Control Efficiency – são 20 kg e 30 kg mais leves que seus antecessores.

Hoje os motores SCe estão aplicados a toda a gama de veículos de passeio da Renault no país, com excelentes resultados de economia de combustível. O destaque é o Kwid, que, com o motor 1.0 SCe, é o campeão nesse quesito entre os dez carros mais vendidos do país, segundo o Inmetro.

A evolução tecnológica é seguida pela capacitação dos colaboradores. Apenas em 2018, já foram mais de 24 mil horas de formação profissional ministradas – até o final do ano, o número deve chegar a 40 mil.

Além de fabricar motores, a CMO também se destaca pela produção de componentes. A partir de 2001, a unidade começou a produzir blocos, cabeçotes, virabrequins e calas para o mercado nacional e exportação.

Fonte: Sala de Imprensa | Renault do Brasil

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: