Depois do Museu Nacional, a democracia é que corre o risco de pegar fogo no Brasil

Bom dia!

Enquanto o país contabiliza as perdas do lastimável incêndio que destruiu 90% do acervo do Museu Nacional, um outro fogaréu corre o risco de se alastrar pelo Brasil. E, se a sociedade civil e as instituições não mostrarem maturidade, chamuscar a democracia brasileira.

Depois que o primeiro-vice Fernando Haddad (PT) se reuniu com Lula, ontem (3), em Curitiba, ficou claro que o ex-presidente quer esticar ainda mais a corda de sua candidatura.

Não é segredo para ninguém que, fora da alta cúpula petista, candidatos a governadores e deputados estão cada vez mais incomodados com o sequestro da candidatura petista à Presidência. Eles temem, com razão, que os votos de Lula se dispersem e não haja tempo para se reagruparem em torno de Haddad, que, afinal, é um ilustre desconhecido. Mas Lula reina soberano.

Estratégia

Truco. Com a decisão de sábado (1º), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deu 10 dias para o PT substituir Lula. O ex-presidente, no entanto, apareceu nas propagandas do partido mais tarde naquele dia. Com isso, o TSE determinou que o PT deixe de veicular na televisão e no rádio as propagandas eleitorais exibidas no último sábado. Na avaliação do ministro Horbach, os blocos de propaganda confundem o eleitor, criam artificialmente “estados mentais e emocionais equivocados” e afrontam a autoridade de decisão do TSE. Como será a propaganda desta terça-feira (4), a primeira desde sábado?

Seis. Junto à luta nessa trincheira, o PT prepara uma chuva de recursos nos tribunais superiores. Débora Álvares resume a estratégia: contestar cada decisão do TSE, contestar a decisão do TRF-4 e do próprio TSE no Supremo Tribunal Federal (STF) e, de quebra, acionar também o Superior Tribunal de Justiça (STJ). O voto de Edson Fachin, que viu obrigatoriedade na decisão do comitê da ONU, também animou a defesa: a ideia é pedir uma liminar no STF para que Lula seja mantido como candidato até, pelo menos, o julgamento dos embargos de declaração.

Aposta no caos

Politicamente, a estratégia vem funcionando porque o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) resolveu manter a propaganda do PT – na prática premiando o estratagema do partido, ao proibir apenas que Lula se apresente como candidato. Haddad vai continuar se mostrando como vice. Mas vice de quem? É Guido Orgis quem escreve e desfaz a ilusão de que a formalidade das decisões judiciais, sozinha, poderá conter a aposta macabra do PT:

A estratégia petista tem tudo para continuar por mais um mês. A campanha é curta e isso colabora para a dubiedade. O partido continuará dizendo que está recorrendo e que vai até o fim por Lula. Ao mesmo tempo, vários candidatos de centro-esquerda estão pensando duas vezes antes de bater no PT, preferindo centrar fogo em Jair Bolsonaro (PSL). Parecem ter desprezado o quanto pode render a aposta petista de colocar todas as fichas no ex-presidente. Faltando um mês para as eleições, fica claro que a prisão não tirou votos de Lula e que ele terá a capacidade de transferi-los em grande número. Se for ao segundo turno, o PT vai se tornar um problema real para o funcionamento da democracia.

Rescaldo

Se o incêndio que atingiu o Museu Nacional já não é revoltante o suficiente, estes 7 números vão terminar de mostrar o absurdo da situação. Mas este relato a seguir vai te lembrar por que, mesmo nas situações mais difíceis, não se pode perder a fé: de 30 a 40 servidores, inclusive aposentados, entraram no imóvel durante o incêndio para tentar salvar o que puderam do acervo, documentos e equipamentos do museu

De quem é a culpa?

Fernando Martins, editor e colunista da Gazeta do Povo, debruçou-se sobre o orçamento da UFRJ, responsável pelo Museu Nacional,  para tentar dar um pouco de racionalidade às acusações que políticos oportunistas têm lançado, à esquerda e à direita, depois do incêndio que atingiu o patrimônio. Uma palhinha:

O orçamento da UFRJ, na verdade, não vem sofrendo cortes. Por sinal, historicamente vem crescendo (2018 será o primeiro ano com uma verba igual à do ano anterior) […] Mas há um detalhe que os servidores não gostam de falar: o que mais vem consumindo esse acréscimo orçamentário é a folha de pagamento e as aposentadorias de seus ex-funcionários. Não os investimentos em obras de que o museu tanto precisava.

Antes e depois

Apenas dois planos de governo trazem propostas expressas de conservação do patrimônio. Outros sete tratam de ações culturais de forma genérica, enquanto outros quatro planos nem sequer fazem menção à palavra cultura. Depois do incêndio, porém, a maioria dos presidenciáveis publicou nas redes sociais declarações lamentando a catástrofe e lembrando a importância do museu para a história.

Tragédia

Há quem enxerge tragédia nas chamas que consumiram o Museu Nacional, mas para o colunista Gustavo Nogy isso seria dar uma grandeza inapropriada ao episódio, marcado, na verdade, pela indiferença:

O problema é que da topologia trágica nós não temos todos os elementos. Temos a inevitabilidade, mas não o heroísmo; o sofrimento, mas nunca a catarse. Somos atores e expectadores duma peça dificilmente classificável, que não se decide entre o trágico e o cômico, entre o ridículo e o grave.

Fim do túnel?

O Editorial de hoje (4) da Gazeta do Povo segue pela mesma linha, relembrando outros casos de museus em perigos e destacando como recursos da iniciativa privada poderiam ajudar a evitar o pior:

O dinheiro que faltou aos museus, como aliás o dinheiro que falta a diversos outros serviços, correu por décadas pelo ralo de políticas imediatistas, de prioridades tortas, da corrupção. Mas este descaso em específico é reflexo de um desprezo ainda maior pela ciência e por nossa história, uma mentalidade que faz inúmeras vítimas, como os cientistas, historiadores, antropólogos e outros especialistas, que precisam do acervo para suas pesquisas; os estudantes, que precisam do contato com os museus para alimentar seu interesse pelos temas ali representados; e todos os brasileiros, que perdem a referência sobre quem somos, de onde viemos, pelo que passamos na construção de nossa nação.

Enquanto isso…

Geraldo Alckmin (PSDB) quer passar da frieza dos números para o calor do coração. Desistiu de brigar pelos votos de Bolsonaro e está querendo abocanhar o espólio de Lula?

Limites

A Justiça condenou Alexandre Frota, ator e candidato a deputado federal pelo PSL, a pagar R$ 50 mil de indenização por danos morais. No Twitter, o candidato fez uma colagem com fotos de Chico Buarque, Gilberto Gil e Caetano Veloso, em que os chamava de “m*rdas” e “filhos da p*ta”. Frota já tinha sido condenado por dizer que um juiz “julgou com a bunda” outro processo.

Problemas

Depois de um ciclo de expansão, 26,8% dos alunos da rede privada do Paraná  trancaram curso superior em 2016. No Brasil, o número de pessoas que desistiram chegou a 170 mil no ano passado. As razões são várias e passam pela crise econômica, e as instituições de ensino estão desenvolvendo estratégias para lidar com a perda de estudantes.

Please come to Curitiba

Uma boa notícia sobre museus. Luan Galani (Haus) recomenda: “Portais de casas e escolas da Ásia, com mais de 250 anos de história e entalhadas em madeira, estão em exposição no Museu Oscar Niemeyer (MON). As peças fazem parte do acervo de mais de 3 mil itens doados pelo diplomata Fausto Godoy ao museu”. 

Incômodo

Isadora Rupp (Viver Bem) recomenda: “Tem gente que fala que é sinal de baixa imunidade. Outros, de estresse: a afta aparece de repente e, apesar de causar muito incômodo, não costuma ser algo que nos preocupe. Mas a lesão também pode ser sinal de doenças mais graves em alguns casos”. 

Volta ao mundo em 1 minuto

Tá difícil? Dá uma olhada na Argentina. Vandré Kramer (Mundo) escreve:

Encrenca. A segunda-feira não foi das melhores para a ex-presidente argentina Cristina Kirchner. Além de ter de depor novamente para o juiz Claudio Bonadio sobre o escândalo dos cadernos das propinas, que veio à tona em agosto, ela teve marcada a data do início de seu julgamento em um caso de lavagem de dinheiro. A primeira audiência está marcada para 26 de fevereiro. 

Mais encrenca. Ainda na Argentina: o presidente Mauricio Macri detalhou as medidas para tentar estabilizar a economia. Entre elas, estão corte no número de ministérios, redução de 4% nos gastos da administração pública e aumento de impostos. Hoje, o ministro da Economia, Nicolás Dujovne, inicia as negociações para antecipar parcelas do empréstimo do FMI

Triste realidade. Os imigrantes venezuelanos que estão fugindo da crise econômica e social estão sobrecarregando Boa Vista. Milhares de migrantes vivem nas ruas, dispostos a trabalhar por um terço dos salários dos brasileiros. Campos de refugiados surgiram no núcleo urbano, dando origem a temores de guetos de longo prazo

Xenofobia. E por falar em migração: mensagens inflamatórias e notícias falsas estão fomentando conflitos entre refugiados nicaraguenses e costarriquenhos em San José. Há suspeitas de que apoiadores do ditador Daniel Ortega, da Nicarágua, tenham ajudado a organizar protestos contra a imigração na Costa Rica”.

Foto do dia:

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/09/04/Opiniao/Imagens/Cortadas/foto 04082018-ID000002-1200x800@GP-Web.jpgTropas sírias se preparam para ofensiva contra rebeldes na cidade de Idlib, no Norte da Síria, no que pode ser o último movimento da última grande batalha civil que atinge o país desde 2011.OMAR HAJ KADOUR / AFP

Paraná

Começo de horário eleitoral tenso aqui no estado. Euclides Lucas Garcia (Política Paraná) escreve: 

Tiroteio. O fim de semana foi agitado no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Logo após a primeira propaganda na tevê, exibida na sexta-feira (31), candidatos ao governo do estado e ao Senado entraram com mais de uma dezena de ações judiciais contra os adversários. O maior alvo foi João Arruda, que não tem poupado críticas ao trio Ratinho Junior, Cida Borghetti e Beto Richa. 

Vai-não-vai. A proposta de construir uma ferrovia, interligando a região de Dourados, no Mato Grosso do Sul, com o porto de Paranaguá, foi lançada pelo governo do Paraná no ano passado e está sendo avaliada por quatro grupos empresariais. Mas o projeto sairá ou não do papel a depender do próximo governador. O que os candidatos ao cargo pensam sobre o assunto

Nota baixa. O Paraná vem avançando na qualidade da educação entre os alunos do ensino fundamental, mas o ensino médio continua sendo o grande gargalo. Pela terceira vez seguida, o ensino médio no estado ficou sem alcançar a meta do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), indicador que mede a qualidade do aprendizado no Brasil.

Curitiba

Encontrou muita fila para abastecer o carro? Confira a seleção dos nossos editores:

Medo. Fernanda Leitóles (Curitiba) recomenda: “Postos de combustíveis de Curitiba têm registrado aumento no movimento nos últimos dias. O motivo? A ameaça de uma suposta greve dos caminhoneiros gerou o medo do desabastecimento nos motoristas curitibanos”. 

Novidade. Talita Boros Voitch (Bom Gourmet) recomenda: “Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, ganhou recentemente dois novos restaurantes que colocaram a cidade definitivamente na cena gastronômica. O Distrito da Carne oferece vários cortes de carne à la carte (inclusive o tradicional churrasco de igreja) e a Jack Pizza traz 73 sabores de pizzas super recheadas”. 

$$$ Aléxia Saraiva (Guia) recomenda: “Novas atrações têm mudado a cara dos ingressos VIPs. Suítes exclusivas, open bar, open food e até a oportunidade de conhecer os artistas são fatores levados em conta na hora de investir em entradas mais caras em eventos. Confira as vantagens incluídas nos próximos festivais em Curitiba!” 

Um bom dia a todos!

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: