Grupo Moura celebra início de operação de nova fábrica de baterias

O Grupo Moura celebrou com funcionários, diretores e acionistas, na última
quarta-feira, 29, o início de operação da primeira fase de sua nova fábrica,
erguida em Belo Jardim (PE), cidade do semiárido nordestino que é o maior
polo produtor de baterias da América do Sul. A nova planta reúne 2.000
melhorias de processo desenvolvidas nas demais seis unidades industriais
Moura e contou com a contribuição de todos os 6.000 colaboradores da empresa
nas etapas de concepção, desenvolvimento e implementação.

Autossustentável, com linhas ergonômicas e automatizadas, flexibilidade
produtiva, desenho logístico eficiente e pronta para expansão, a nova
fábrica, no pico de operação, terá capacidade para quase dobrar a produção
anual do Grupo Moura, hoje de 10 milhões de acumuladores de energia, entre
baterias automotivas, estacionárias, tracionárias e para motos. Até o final
deste ano, empregará diretamente 200 profissionais e tem como meta entregar
1 milhão de baterias ao mercado.

Direcionada inicialmente para a fabricação de baterias de maior capacidade –
voltadas para SUVs, caminhonetes, picapes e caminhões – a nova fábrica
possui homologações e flexibilidade para produzir um mix diversificado,
voltado para atender a demanda crescente do mercado nacional e da América do
Sul. Atualmente, 15% da produção já é voltada para exportação.

A nova unidade é um marco para o Grupo Moura e posiciona a empresa que já é
líder no mercado de baterias no Cone Sul como uma das mais avançadas
fabricantes do mundo. O projeto de vanguarda contou com a participação
fundamental do Instituto de Tecnologia Edson Mororó Moura (ITEMM), um dos
principais parceiros tecnológicos da Moura e único instituto de ciência e
tecnologia do Brasil com foco exclusivo em Pesquisa & Desenvolvimento para
sistemas de acumulação de energia. A nova unidade consolida ainda a cidade
de Belo Jardim, a 180 quilômetros da capital pernambucana, Recife, como um
hub produtivo e maior polo de conhecimentos e mão de obra especializada na
produção de baterias da América do Sul.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Hoje, 82% dos colaboradores da unidade são de novos profissionais, sendo que
praticamente um terço está em seu primeiro emprego. O alto patamar é fruto
de uma decisão estratégica do Grupo Moura de capacitar uma nova geração de
multiplicadores de conhecimento em produção de baterias. O desenvolvimento
de pessoas é a base do sucesso da Moura. O trabalho de atração e formação de
talentos ao longo dos 60 anos da companhia foi e tem sido responsável por
gerar milhares de histórias de crescimento pessoal e profissional.

Todos os novos colaboradores passam a integrar o programa Líder de
Manufatura, que prevê que para cada encarregado de produção até 8
colaboradores estejam diretamente subordinados. O modelo de gestão traz
resultados diretos na melhoria do clima organizacional, aumento de
produtividade, criação de melhorias produtivas, ampliação das ações e
práticas de segurança do trabalho e salto na qualidade dos produtos. Série
de preceitos que fazem parte do World Class Manufacturing (WCM) adotado pelo
Grupo Moura em todas as suas unidades fabris.

Em pouco menos de 12 meses, o projeto foi iniciado, as etapas de construção
civil e instalação de equipamentos avançaram e a primeira bateria foi
fabricada, período recorde para a indústria nacional. Cerca de 30 empresas
atuaram na implantação da nova unidade, que, no pico de trabalhos, criou 700
oportunidades profissionais diretas e indiretas no Nordeste brasileiro.

SUSTENTABILIDADE

A nova fábrica possui um sistema individual de coleta e utilização de águas
das chuvas, além de promover o recírculo das águas industriais, tornando-a
autossustentável e contribuindo com o equilíbrio hídrico de uma região de
semiárido que convive há séculos com períodos longos de estiagem. Foram
implementadas também um conjunto de soluções para redução no consumo de
energia (novos equipamentos, iluminação natural conjugada com lâmpadas do
tipo LED) e um rigoroso trabalho de redução nas emissões de poluentes.

Adota ainda todas as normas já estabelecidas nas demais unidades Moura de
reciclagem e reaproveitamento, com coleta seletiva em todas as áreas –
industriais e administrativas. O reaproveitamento do chumbo, insumo
fundamental e que exige maiores cuidados ambientais, é total, começando já
no processo de retroalimentação da chamada linha de corte. Foi adotado ainda
o mais moderno processo de despoeiramento do ar circulante dentro da
unidade, a partir da instalação de um sistema de exaustão que elimina a
presença de partículas de chumbo.

INVESTIMENTO E PLANEJAMENTO

O investimento total para dar início à primeira etapa de produção foi de R$
170 milhões, contando com recursos oriundos de financiamentos do Banco do
Nordeste, Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Banco Nacional do
Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com o início de produção na nova
unidade e o foco na fabricação das chamadas baterias pesadas, o Grupo Moura
promove redistribuição no mix de produção de suas agora sete fábricas no
Brasil e Argentina e mostra-se capaz de dar respostas ainda mais rápidas à
retomada na demanda dos diferentes mercados onde atua.

Os aportes contínuos em aprimoramentos nos processos produtivos e na
aquisição de novos equipamentos, aliados às melhorias proporcionadas pelo
amadurecimento na implementação dos pilares do World Class Manufacturing
(WCM), têm levado o Grupo Moura a aumentar sua produção de forma sustentável
e equilibrada. Nos últimos 10 anos, foram aplicados cerca de R$ 1 bilhão em
expansão de capacidade produtiva e geração de novas oportunidades
profissionais.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: