Como estão nas pesquisas os candidatos a governador do partido de Bolsonaro

O desempenho dos aliados de Jair Bolsonaro (PSL) que disputam governos estaduais está bem longe de acompanhar o líder da corrida presidencial. Dos 13 candidatos do PSL nos estados, 12 têm performance que varia de 1% a 8% nas pesquisas eleitorais. Apenas um deles, o candidato Antônio Denarium, em Roraima, passaria para o segundo turno hoje. Ele tem 29% das intenções de voto e está em segundo lugar.

O capitão-presidenciável não tem palanques estaduais fortes com candidatos de sua legenda. Em coligações, o PSL apoia três candidatos de outras legendas – Ronaldo Caiado (DEM), em Goiás, e Pedro Taques (PSDB), no Mato Grosso, que devem ir para o segundo turno e são favoritos para vencer. Caiado lidera a corrida ao governo goiano com 36% e Taques está em segundo no seu estado, com 22%.

LEIA TAMBÉM: Filho de Bolsonaro critica investigação da PF sobre atentado contra o pai

Fora do PSL, Bolsonaro apoia o general Paulo Chagas (PRP) para o governo do Distrito Federal. Mas ele está em sexto lugar com apenas 5% das intenções de voto. Na véspera do atentado em Juiz de Fora (MG), o presidenciável participou de uma carreata ao lado de Chagas em duas cidades-satélites próximas de Brasília. 

O PSL tem cinco candidatos a governador na Região Norte; cinco no Nordeste; dois na Região Sul; e um no Sudeste. A última pesquisa nacional do Datafolha mostrou Bolsonaro forte em quatro regiões, onde lidera a preferência. Ele não vai bem apenas no Nordeste, onde perde para Fernando Haddad, do PT (26% a 17%). No Sul, o presidenciável do PSL chega a 37% e no Centro-Oeste, 36%. Nos dados nacionais, ele lidera com 28%.

LEIA TAMBÉM: Seis desafios econômicos que o novo presidente vai enfrentar

Boa parte dos candidatos do PSL aos governos estaduais são políticos de “primeira viagem”. Não disputaram cargos eletivos antes e entraram nesse universo estimulados com o fenômeno Bolsonaro. E também apostam nele para algum sucesso nas urnas. A Gazeta do Povo recorreu às pesquisas mais recentes, algumas de setembro e outras realizadas em agosto.

Candidatura à revelia do partido 

Em três estados, seus candidatos têm apenas 1% das perspectivas de votos: em Sergipe, com Eduardo Cassini; em Santa Catarina, com Comandante Moisés, e no Paraná com Ogier Buchi. No caso do Paraná, o PSL nacional decidiu retirar a candidatura própria por ter um compromisso de apoio ao candidato Ratinho Júnior, do PSD, mas Buchi insistiu e registrou a candidatura solitária. O partido recorreu então à Justiça Eleitoral, que  indeferiu o voo solo de Buchi. A defesa do candidato prometeu entrar com recurso.

O coronel Ulysses, candidato do PSL no Acre, aparece com 8%, segundo pesquisa do Ibope, realizada na segunda quinzena de agosto. O estado foi um dos visitados por Bolsonaro, recentemente. Foi em Rio Branco, capital do estado, que o presidenciável fez a polêmica declaração de “fuzilar a petralhada”, uma referência aos petistas, simulando uma metralhadora com um tripé de TV nas mãos. Gladson Cameli (PR) e Marcus Alexandre (PT) lideram, segundo esse levantamento, com 37% de votos cada. 

PSL vai melhor na disputa ao Senado

Na disputa para o Senado, o PSL tem perspectivas melhores. Filho do presidenciável, Flávio Bolsonaro tem boas chances de se eleger no Rio de Janeiro. Ele está em segundo lugar, com 21%, atrás de Cesar Maia (DEM), 24%, e à frente de Lindbergh Faria (PT), que tem 18%. 

Em São Paulo, o deputado Major Olímpio, que tenta uma das duas vagas para o Senado e preside o PSL paulista, aparece no Datafolha em quarto lugar com 11%. Acima dele estão Eduardo Suplicy (PT), com 29%; Mara Gabrilli (PSDB), com 14%; Mário Covas Neto (Pode), com 12%. Há empate técnico entre Mara, Covas e Olímpio. 

LEIA TAMBÉM: BTG/FSB –Bolsonaro continua com 33%; Haddad salta de 16% para 23%

Na briga para a Câmara, o comando do PSL estima eleger uma bancada entre 20 a 30 deputados. Além de reeleger vários de seus parlamentares, o partido acredita que Eduardo Bolsonaro, também filho de Bolsonaro e que busca a reeleição em São Paulo, possa ajudar na eleição de pelo menos outros dois candidatos da legenda. 

O partido tem dois “campeões de voto” buscando a reeleição no Pará, com Delegado Éder Mauro, e em Goiás, com Delegado Waldir. Em 2014 eles foram os mais votados para a Câmara nos seus respectivos estados. 

Os 13 candidatos a governador do PSL

Norte

ACRE – Coronel Ulysses – 8% (3º entre 5 candidatos) 

AMAPÁ- Cirilo Fernandes – 5% (3º entre 5 candidatos) 

RONDÔNIA – Coronel Marcos Rocha – 4% (4º entre 9 candidatos) 

RORAIMA – Antônio Denarium – 29% (2º entre 5 candidatos) 

TOCANTINS – Cesar Simoni – 2% (4º entre 4 candidatos) 

Nordeste 

ALAGOAS – Josan Leite – 2% (3º entre 6 candidatos) 

CEARÁ – Helio Gois – 2% (4º entre 6 candidatos) 

MARANHÃO – Maura Jorge – 5% (3ª entre 6 candidatos) 

PIAUÍ – Fábio Servio – 2% (4º entre 10 candidatos) 

SERGIPE – Eduardo Cassini -1% (5º entre 9 candidatos) 

Sudeste 

ESPÍRITO SANTO – Carlos Manato -3% (3º entre 6 candidatos) 

Sul 

PARANÁ – Ogier Buchi 1% (* candidatura foi impugnada pela Justiça Eleitoral, mas candidato ainda recorre) 

SANTA CATARINA – Comandante Moisés -1% (7º entre 9 candidatos)  

Metodologia das pesquisas citadas 

* Pesquisa Acre: Ibope/Rede Amazônica; 18 a 21 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-00533/2018 

* Pesquisa Amapá: Ibope/Rede Amazônica; 14 a 16 de setembro; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-03187/2018; 

* Pesquisa Rondônia: Ibope/Rede Amazônica; 14 a 16 de setembro; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-05366/2018 

* Pesquisa Roraima: Ibope/Rede Amazônica; 13 a 16 de setembro; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-07549/2018 

* Pesquisa Tocantins: Ibope/TV Anhanguera; 14 a 16 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-01162/2018 

* Pesquisa Alagoas: Ibope/TV Gazeta; 13 a 15 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-0116/2018 

* Pesquisa Ceará: Ibope/TV Verdes Mares. 13 a 15 de agosto; 1024 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-08812/2018 

* Pesquisa Maranhão: Ibope/TV Mirante; 16 a 19 de setembro; 1008 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-0667-2018 

* Pesquisa Piauí: Ibope/TV Rádio Clube; 18 a 20 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-04617/2018 

* Pesquisa Sergipe: Ibope/TV Sergipe; 14 a 16 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-02253/2018 

* Pesquisa Distrito Federal: Ibope/TV Globo; 14 a 16 de setembro; 1204 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-05259/2018 

*Pesquisa Goiás: Ibope/TV Anhanguera; 14 a 16 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-05595/2018 

* Pesquisa Mato Grosso: Ibope/TV Centro América; 21 a 24 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-01573/2018 

* Pesquisa Espírito Santo: Ibope/TV Gazeta; 5 a 7 de setembro; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-06092/2018 

* Pesquisa São Paulo: Ibope/TV Globo/ O Estado de S. Paulo; 16 a 18 de setembro; 1512 eleitores; margem de erro: 3 ponto; TSE: BR-01536/2018 

* Pesquisa Paraná: Ibope/Rede Paraná de Comunicação; 1 a 4 de setembro; 1204 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TR-PR 04985/2018 

* Pesquisa Santa Catarina: Ibope/NCC Comunicações; 14 a 16 de agosto; 812 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-09360/2018 

* Pesquisa para Senado no Rio: Ibope/TV Globo; 16 a 18 de setembro; 1512 eleitores; margem de erro: 3 pontos; TSE: BR-‐07567/2018 

* Pesquisa para Senado em São Paulo: Datafolha/TV Globo e Folha de S. Paulo; 18 a 19 de setembro; 2032 eleitores; TSE: SP-01459/2018

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: