MP abre inquérito para investigar se Alckmin beneficiou parentes

O Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou nesta segunda-feira (24) um inquérito contra o candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB-SP) para apurar supostas irregularidades nos dois decretos que levaram a desapropriações de terrenos envolvendo familiares do ex-governador.

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, Alckmin realizou duas desapropriações em 2013 e 2014 que atingiram propriedades de Othon Cesar Ribeiro, sobrinho do tucano, e Juliana Fachada Cesar Ribeiro, hoje sua ex-mulher e mãe de seus quatro filhos, para a construção de uma polêmica rodovia em São Roque, a 70 km da capital paulista. Eles teriam recebido ao menos R$ 3,8 milhões.

LEIA TAMBÉM: Paraná Pesquisas em SP – Bolsonaro lidera; Haddad e Alckmin empatam em 2º

O promotor Marcelo Milani pediu a abertura da investigação e deu um prazo de 20 dias para que Alckmin, o sobrinho e a concessionária se manifestem sobre as acusações. ​

O candidato do PSDB afirmou, por meio de sua assessoria, que não interferiu no traçado do contorno de São Roque e que é “descabida e ofende o bom senso” a ideia de que o processo de desapropriação foi conduzido “apenas para beneficiar parentes do ex-governador”.

O tucano disse também que assinou centenas de decretos de utilidade pública e de desapropriação, “todos eles amparados em pareceres técnicos dos órgãos responsáveis e em parecer jurídico da Procuradoria Geral do Estado”, segundo nota de sua assessoria.

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: