Não sabe em quem votar? Sites ajudam a escolher candidatos de todos os cargos

De presidente a deputado, passando por governador e senador, a internet deixou muito mais fácil o trabalho para escolher em quem votar (ou de quem não escolher). Uma série de sites de veículos de comunicação e de entidades da sociedade civil fornece informações sobre todos os 28.216 candidatos destas eleições. E também há uma boa variedade de rankings de desempenho de políticos e de testes por meio das quais o eleitor responde a algumas perguntas para descobrir qual candidato mais se aproxima de seu jeito de pensar – o famoso “match”, para quem está habituado ao linguajar da web. Cruzando todas as informações e testes, o eleitor pode ter mais segurança em saber se o candidato que escolheu é o que ele realmente acredita ser o melhor.

LISTAS DE TODOS OS CANDIDATOS

Fique pode dentro na Gazeta do Povo

O primeiro passo para escolher um nome para votar é saber quem são os candidatos. A página especial da Gazeta do Povo sobre as eleições 2018 traz a lista de todos os candidatos a todos os cargos públicos em disputa. Primeiro, são apresentados os candidatos a presidente. Depois, o eleitor pode filtrar a relação de concorrentes a governador, senador, deputado federal e deputado estadual por estado. E dentro de cada estado, por partido.

A Gazeta do Povo apresenta os candidatos com foto, dados como seu número de urna, partido ao qual é filiado, coligação da qual faz parte e uma pequena ficha com dados pessoais e profissionais. Os candidatos que tiveram sua candidatura barrada pela Justiça Eleitoral aparecem com a marca de “indeferido” ou “indeferido com recurso” (neste caso, quando sua candidatura ainda pode ser validada em instâncias judiciais superiores). Há ainda os que abriram mão da candidatura, que aparecem com a marca “renúncia”.

No caso dos candidatos a cargos majoritários, há mais informações, como notícias, pesquisas, etc. Na lista dos presidenciáveis, há inclusive uma lista com suas propostas de governo e um link para a íntegra de seus planos de governo.

COMO ESCOLHER O CANDIDATO A PRESIDENTE

Que presidenciável sou eu?

A revista Veja elaborou o teste “Que presidenciável sou eu?”. São 20 perguntas sobre diversos assuntos de interesse público – privatizações, porte de armas, aborto, políticas sociais, reformas estruturais, etc. Ao fim do questionário, a pessoa descobre com quais dos candidatos a presidente ela mais concorda. Todos os 13 presidenciáveis aparecem numa lista com os respectivos porcentuais de coincidência de opiniões em relação ao eleitor que respondeu ao teste.

Embora as perguntas por vezes simplifiquem questões complexas e não contemplem uma série de assuntos relevantes para o país, o resultado pode ajudar o eleitor a refletir se o candidato em que pretende votar é mesmo a melhor opção. Especialmente se houver uma grande divergência de opiniões entre o presidenciável e a pessoa que respondeu ao questionário.

Sintonia Eleitoral

O portal G1, do Grupo Globo, lançou a Sintonia Eleitoral, ferramenta para comparar os pontos de vista do eleitor com os dos candidatos a presidente. Para isso, a pessoa tem de responder a um questionário. Essas mesmas perguntas foram enviadas aos presidenciáveis. O G1 também usa, na base de dados do teste, declarações públicas dos candidatos sobre os assuntos abordados. Os resultados são mostrados num ranking dos candidatos que pensam de forma mais parecida com o eleitor.

Calculadora de Afinidade Eleitoral

A Calculadora de Afinidade Eleitoral 2018, disponível no site O Iceberg, é outra opção para testar o grau de coincidência de opiniões do eleitor com os candidatos a presidente. O internauta tem de responder a 23 questões sobre os seguintes temas: economia, energia, proteção social, segurança e educação. O resultado final é um porcentual ponderado de posições iguais do eleitor com as do presidenciável.

A ponderação ocorre porque, além de responder “sim” ou “não”, a pessoa pode marcar “depende”. As respostas coincidentes do eleitor com as do candidato (sejam positivas ou negativas) somam 1 ponto cada. As divergentes, 0 ponto. Quando se marca “depende”, soma-se 0,5 ponto. Isso ocorre caso presidenciável e o internauta estejam divididos sobre o assunto. Segundo o site, o mesmo ocorre se a posição do candidato ainda não foi mapeada.

O teste, assim como o da revista Veja, tem limitações. O ponto mais problemático é que várias questões incluem mais de um assunto numa única pergunta, o que pode causar distorções no resultado final se a pessoa concorda com um ponto e discorda de outro, obrigando-a a marcar “depende”.

Uma das questões, por exemplo, é “O Estado deve fazer maiores investimentos na educação pública, mantendo escolas e universidades públicas com acesso universal e gratuito?”. Alguém pode defender mais investimentos no ensino público fundamental e médio, mas não nas universidades federais. Do mesmo modo, a pessoa pode apoiar a educação pública e gratuita nas escolas, mas não no ensino superior.

Os resultados finais dos testes da Veja e do G1, em comparação com os de O Iceberg, podem ser bem distintos. De qualquer modo, a Calculadora de Afinidade Eleitoral também pode contribuir para a pessoa questionar se a opção em que pensa em votar é a melhor.

O site O Iceberg é mantido por um grupo de servidores públicos que dizem buscar a construção de um verdadeiro Estado Democrático de Direito.

Propostas dos presidenciáveis

A Gazeta do Povo, em sua página especial das eleições 2018, traz uma série de informações que podem ajudar o eleitor a escolher um candidato a presidente. Há uma breve biografia, notícias e entrevistas com os candidatos. Também constam um link para a íntegra de seu plano de governo e suas principais propostas, de forma resumida, para as áreas de economia, educação, estrutura de governo, infraestrutura, meio ambiente, Previdência, programas sociais, reforma política, saúde, segurança pública, trabalho e turismo. Para acessar o conteúdo de cada candidato, é só clicar no nome do presidenciável.

COMO ESCOLHER O CANDIDATO A GOVERNADOR

Jogo Eleitoral

O portal G1, do Grupo Globo, lançou o Jogo Eleitoral 2018 para descobrir com quais candidatos a governador de todas as 27 unidades da federação o eleitor mais se identifica. São dez temas abordados nas perguntas que o eleitor tem de responder antes de chegar ao resultado. Para começar a jogar, apenas apenas precisa selecionar o turno eleitoral que está em disputa (1.º ou 2.º). O resultado final mostra os concorrentes que pensam de forma mais aproximada ao do eleitor.

COMO ESCOLHER CANDIDATOS A SENADOR E DEPUTADO

#TemMeuVoto

O site #TemMeuVoto é uma opção para encontrar candidatos que se enquadram no perfil desejado pelo eleitor e que pensem de forma semelhante a quem faz o teste. Há simulações de “match” para os cargos de senador, deputado federal e deputado estadual em todos os estados.

O internauta responde a 7 perguntas que, dependendo das respostas, vão eliminando candidatos que pensam de forma diferente ou não se alinham ao que o eleitor deseja de um candidato (por exemplo, se a pessoa quer votar em alguém que não tem cargo político ou que não responda a processos na Justiça).

Os candidatos que sobrarem aparecem numa lista para o eleitor, que pode se informar sobre outros detalhes daquele concorrente tais como: partido ao qual é filiado, breve biografia, posição ideológica, processos e condenações, prioridades políticas, etc.

As informações usadas para elaborar o teste, segundo o #TemMeuVoto, foram extraídas de fontes públicas oficiais (de vários tribunais) e de dados informados pelos próprios candidatos.

O site é uma iniciativa de uma série de entidades da sociedade civil: Acredito, Agora!, Apoia, Base Digital, Brasil 21, Cause, Centro de Liderança Pública, Convergência, Digesto, IdeiaBigData, Instituto ReclameAqui, JusBrasil, Livres, Midas Music, Poder do Voto, Politize, Ranking dos Políticos, RenovaBR, Repolítica e Thymus Branding. Algumas dessas entidades, como o RenovaBR, deu suporte à formação política de alguns candidatos.

Unidos Contra a Corrupção

Esta é uma opção para o eleitor que está preocupado em votar em candidatos comprometidos com o combate à corrupção. O movimento Unidos Contra a Corrupção é uma coalizão de diversas entidades da sociedade civil que elaboraram um conjunto de 70 medidas para evitar os desvios de recursos públicos. A intenção do grupo é eleger parlamentares comprometidos com as propostas e que também tenham ficha limpa e compromisso com a democracia.

Como as medidas precisam ser aprovadas pelo Congresso, o movimento criou um site no qual mostra quais candidatos a deputado federal e a senador de todos os estados brasileiros se comprometeram com as 70 medidas, informaram ter ficha limpa e aderiram ao pacto pela democracia. Os candidatos que se comprometeram com a agenda do movimento são identificados pela cor verde. Os que são réus ou já sofreram condenações no Supremo Tribunal Federal (STF), que o Unidos Contra a Corrupção não recomenda, aparecem identificados pela cor vermelha. O eleitor pode filtrar a posição dos candidatos por cargo, unidade da federação e partido. Também é possível fazer uma pesquisa individualizada, por meio do nome do candidato.

O site, contudo, tem alguns problemas. A navegabilidade não é intuitiva. E uma grande parte dos candidatos não deu respostas – nesse caso, são identificados com a coloração cinza. Ao menos é possível saber quem já se comprometeu com as medidas contra a corrupção – que são apoiadas, por exemplo, pelo procurador-chefe da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol. No site também é possível saber de forma mais detalhada quais são essas medidas.

O movimento Unidos Contra a Corrupção tem, no seu comitê gestor, as ONGs Contas Abertas, Instituto Ethos, Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Observatório Social do Brasil e Transparência Internacional. Dezenas de outras instituições apoiam a iniciativa.

TESTES ESPECÍFICOS POR ESTADOS

No Paraná – Quiz: como pensam os candidatos

A Gazeta do Povo, que tem sede no Paraná, colocou à disposição do eleitor um quiz para que ele descubra quais candidatos do estado pensam de forma parecida com a dele. Há questionários para saber como se posicionam os candidatos a governador, a senador, a deputado federal e a deputado estadual. O resultado traz o porcentual de coincidência de opiniões entre os candidatos e a pessoa que responde às perguntas.

O leitor também pode acessar a opinião de todos os candidatos que responderam ao questionário formulado pela Gazeta do Povo. E tem a opção de acessar outros dados sobre os candidatos, como um pequeno perfil. Para isso, basta clicar no nome do concorrente. No caso dos candidatos a governador e senador, há mais informações, como notícias e entrevistas.

Em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais – Match Eleitoral

O jornal Folha de S.Paulo também tem o seu teste para aproximar os cidadãos dos candidatos com posicionamentos políticos semelhantes. O Match Eleitoral funciona para os cargos de senador e deputado federal de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O funcionamento é o mesmo dos testes equivalentes de outros sites: o eleitor tem de responder questões sobre temas comportamentais, economia e política. Ao fim, são exibidos os concorrentes que pensam de forma mais parecida com a do eleitor.

RANKINGS SOBRE O DESEMPENHO DE POLÍTICOS

Ranking dos Políticos

O Ranking dos Políticos é indicado para o eleitor que não se importa em votar em parlamentares que já têm cargo público e que pretende escolher candidatos com posições liberais (de direita) e comprometidos com o combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício no poder público.

O site não funciona nos moldes do “match”, que aproxima candidato do eleitor por meio de perguntas e respostas convergentes. Na verdade, é apenas uma ferramenta para se informar sobre deputados e senadores com mandato. Como muitos parlamentares federais estão concorrendo nestas eleições, pode ser uma ferramenta útil para o eleitor.

O Ranking dos Políticos estabeleceu uma lista dos melhores para os piores deputados federais e senadores do país. É possível filtrar os parlamentares por estado e detalhar dados deles – como presença nas sessões legislativas, uso de privilégios parlamentares, processos judiciais a que responde e qualidade da produção legislativa (como se posicionou em relação a determinados projetos de lei considerados essenciais pelos idealizadores do site).

O Ranking dos Políticos não esconde que tem posições políticas, ou seja, de que não é neutro. A lista dos melhores, portanto, espelha os valores dos idealizadores do site: defesa dos direitos humanos, respeito às leis, combate à corrupção e aos privilégios, livre iniciativa, propriedade privada, regime de mercado, eficiência dos serviços públicos, redução do desperdício no poder público e liberdade de informação. Como os parlamentares de esquerda não apoiam o liberalismo defendido pelo Ranking, eles costumam não estar bem posicionados.

O site informa ainda não ter apoio de nenhum partido político. Contudo, em seu conselho estratégico, o Ranking dos Políticos conta com o empresário Flávio Rocha, que foi pré-candidato à Presidência pelo PRB. E, no conselho de avaliação de leis, está Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central que é filiado ao Novo, partido que tem João Amoêdo como candidato a presidente.

#TchauQueridos

O site é uma parceria do movimento Vem pra Rua, que lutou pelo impeachment de Dilma Rousseff, com o Ranking dos Políticos. O #TchauQueridos lista deputados federais e senadores que, de acordo com critérios de seus idealizadores, não merecem o voto dos eleitores.

Os critérios são: ter sido contra afastamento de Michel Temer da Presidência em função das denúncias de corrupção; ter sido contra o impeachment de Dilma; ter votado a favor do Fundo Eleitoral (verba pública para financiar campanhas); ter sido contra o fim do imposto sindical; ter sido contra a PEC do Teto; ter sido a favor das emendas que desfiguraram as Dez Medidas de Combate à Corrupção; e ter histórico de inquéritos.

No site, há sinais de alerta mostrando por que o parlamentar foi incluído na lista. Clicando nos ícones dos políticos, é possível ter mais informações sobre ele, tais como detalhes sobre inquéritos, lista de bens que possui, evolução patrimonial.

Quem concorda com os critérios do #TchauQueridos tem nesse site uma boa ferramenta para decidir em quem não votar.

Ruralômetro

O Ruralômetro é uma ferramenta criada pela ONG Repórter Brasil que avalia o desempenho dos deputados federais sob uma ótica anti-ruralista. Pode ser útil para o eleitor que rejeita a agenda dos ruralistas e que preza pelas pautas ligadas à proteção do meio ambiente e dos direitos dos trabalhadores.

O site criou um “termômetro” que mede a “febre ruralista” de cada deputado. Eles são representados como pontos, que receberam coloração do azul (sem febre) ao vermelho (com muita febre ruralista). O eleitor pode deslizar o mouse pelos pontos e descobrir quais são os candidatos menos e mais comprometidos com os ruralistas.

É possível ainda filtrar as informações por uma série de critérios: quem é candidato, proprietário rural, quem faz parte da bancada ruralista. Também há as opções de saber quem foi multado pelo Ibama, por problemas trabalhistas, deputados que são devedores do INSS, quem é réu ou condenado pelo STF e os parlamentares financiados por desmatadores ou por “escravagistas”.

Como essas pautas costumam ser ligadas à esquerda, o desempenho dos parlamentares desse campo ideológico em geral é melhor do que o de políticos de direita – o que não significa, contudo, que não haja parlamentares mais liberais na lista dos bem classificados pelo Ruralômetro.

Idealizada pela ONG Repórter Brasil, a elaboração do Ruralômetro teve a contribuição das seguintes entidades: Instituto Socioambiental (ISA), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados(as) Rurais (Contar), Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase), Greenpeace e Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente. A iniciativa ainda tem o apoio da Fundação Ford e da DGB Bildungswerk.

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: