Bolsonaro sobe, Haddad estaciona e o Judiciário põe lenha na fogueira

Bom dia!

Se a segunda-feira (1º) foi um ensaio para esta última semana antes do primeiro turno das eleições, não faltarão emoções até domingo (7). A pesquisa Ibope divulgada na noite de ontem mostrou um crescimento de 4 pontos percentuais nas intenções de voto do líder Jair Bolsonaro (PSL), que foi para 31%, mesmo sob ataque da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) na televisão e depois do movimento “EleNão” ter levado milhares de pessoas para as ruas no sábado (29).

Fernando Haddad (PT) aparece estacionado com 21% em segundo lugar, mas sua rejeição saltou de 27% para 38%. Ciro Gomes aparece com 11% e Alckmin, com 8%. Confira os números completos, a metodologia e o registro aqui. É a primeira vez que, no Ibope, as intenções de voto de Bolsonaro convergem para o nível mostrado por outras pesquisas de mercado. Hoje (2) o Datafolha divulga mais uma sondagem. A ver.

Abriu o jogo

Mas quem dominou grande parte do noticiário ontem foi o Poder Judiciário, da primeira à última instância. Logo depois do almoço, o juiz Sergio Moro levantou o sigilo de parte das delações do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que deixou claro que o ex-presidente Lula, hoje preso em Curitiba, sabia da corrupção na Petrobras desde 2007.

Kelli Kadanus, repórter que cobre a Lava Jato desde o início, em 2014, compilou seis revelações trazidas pelo depoimento do ex-ministro. As declarações de Palocci são contudentes: o Partido dos Trabalhadores montou um imenso esquema de corrupção para se perpetuar no poder. As defesas de Lula e da ex-presidente Dilma (PT) afirmaram que Palocci mente e ainda atacaram o juiz Sergio Moro.

E Evandro Éboli analisa: qual o efeito das acusações de Palocci na campanha de Haddad?

Suprema Confusão

Surpresa. Enquanto o país ainda lia, estarrecido, as revelações de Palocci, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), reafirmou sua decisão de permitir que o ex-presidente Lula dê entrevistas à Folha de São Paulo e ainda criticou duramente seu colega de tribunal e vice-presidente do STF, o ministro Luiz Fux.

Nova surpresa. Na sexta-feira (28) de manhã, Lewandowski já havia autorizado a entrevista, mas, no fim do dia, enquanto Dias Toffoli viajava a São Paulo, Fux atendeu a um recurso do Partido Novo e reverteu a decisão.  No final da noite de ontem, uma nova surpresa: de volta de São Paulo, Dias Toffoli, instado pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, confirmou a decisão de Fux. A entrevista segue proibida até que o plenário se manifeste. Débora Álvares acompanhou o desenrolar da história – que teve até bate-boca entre ministros – ao longo de todo o dia.

Aliás, o ministro Dias Toffoli ainda não explicou o que faz um general da reserva em seu gabinete. O que não faltam são teorias e explicações da rádio peão.

Peregrino

Fernando Haddad começou o dia de ontem como fez em outras 14 ocasiões: recebendo orientações de Lula na cadeia. A ordem é antecipar os ataques a Bolsonaro, porque o diagnóstico é que a polarização e a antecipação do segundo turno vieram para ficar. Depois, seguiu para uma sabatina e defendeu “regular os meios de comunicação”. Isso, aliás, a Venezuela de Hugo Chávez e Nicolás Maduro fez muito bem. Não por acaso, o PT mantém seu apoio ao regime ditatorial que está destruindo a vida do povo venezuelano

Cui bono

Muita gente dizendo defender a democracia nas ruas no último sábado, e muita gente que de fato acredita nisso, mas o colunista Pedro Menezes tenta enxergar quem se beneficia do movimento “EleNão” e adjacências:

Os protestos levaram à rua uma série de bons argumentos e preocupações que subscrevo. Sei que havia gente séria, bem intencionada, inteligente e democrata nas ruas, mas o destaque do fim de semana, para mim, esteve numa ausência. O PT e seu autoritarismo latente foram pouco comentados nas manifestações que se diziam contra o autoritarismo.

A hora H

No momento em que tanto se fala em democracia, a Gazeta do Povo publica um longo editorial colocando os pingos nos is, enfatizando o que se espera tanto de Bolsonaro quanto de Haddad, para que deem mostras inequívocas de que respeitarão a normalidade democrática. Se Bolsonaro levantou dúvidas sobre a lisura do pleito, mas voltou atrás em entrevista ao jornal O Globo, ainda lhe falta reafirmar seu compromisso com as instituições quantas vezes for necessário e

deixar mais claro que as convicções que tem sobre o valor da família não são incompatíveis com a defesa inequívoca da dignidade de todo brasileiro, independentemente de gênero, orientação sexual ou qualquer outro fator.

Haddad, por outro lado, carrega o histórico do PT, de seu programa de governo e das declarações de vários correligionários aloprados. Por isso, candidato e partido

1. terão de convencer o eleitor de que o Brasil não será governado de dentro de uma cela, por um corrupto condenado; 2. precisam romper com as ditaduras assassinas de Cuba, Venezuela e Nicarágua, comprometendo-se a não mais ajudá-las; 3. têm de reconhecer a legitimidade das instituições brasileiras, especialmente do Legislativo e do Judiciário, abandonando a mania de classificar tudo que os contraria (do impeachment de Dilma à condenação de Lula) como “golpe”; 4. precisam assumir seu papel nos megaescândalos de corrupção e fazer seu mea culpa, comprometendo-se com a continuação das investigações de esquemas que fraudaram a democracia brasileira e expulsando de suas fileiras aqueles condenados em última instância por crimes de corrupção, como prevê o próprio estatuto do partido; e, acima de tudo, 5. devem desqualificar seus figurões que falam em “tomar o poder” por vias não eleitorais.

Renovação

Na semana passada, o Podcast Eleições discutiu as eleições para o Congresso e as condições para o Legislativo se renovar – se você perdeu, vale a pena separar um tempinho e escutar a análise dos colunistas e jornalistas da Gazeta . Agora, como que para confirmar o que discutimos, 19 políticos que são réus em ações penais no STF já receberam repasses dos fundos eleitoral e partidário, em uma soma que passa de R$ 23,5 milhões.

Vai, Brasil!

Talita Boros Voitch (Bom Gourmet) recomenda: “Um dos maiores especialistas mundiais em vinhos, o Master of Wine britânico Alistair Cooper, esteve na Serra Gaúcha para provar a produção nacional de vinhos e espumantes e foi taxativo: ‘O Brasil faz vinhos e espumantes como não se via antes’. Leia a entrevista completa!”

Quem vai?

Isadora Rupp (Viver Bem) recomenda: “Quem vai festar na Oktoberfest (que inicia sua maratona na quarta-feira, 3, em Blumenau) não precisa ficar focado somente nas cervejas e bandas alemãs: elencamos 10 atrações na cidade ou proximidade que valem a visita. Desde trilhas na natureza até café colonial típico alemão. 

Volta ao mundo em 1 minuto

Trump mira as armas no Brasil. Vandré Kramer (Mundo) escreve:

Novo alvo. Quem diria! O Brasil entrou na mira de Mr. Trump, que reclama do tratamento injusto dado às empresas americanas. Analistas ouvidos pela Gazeta do Povo apontam que um dos motivos que estão por trás são as eleições de meio de mandato, que escolherão novos parlamentares. As declarações foram feitas após a assinatura de um acordo comercial com o Canadá, que pode substituir o Nafta

Sem mar. A Bolívia tem um ministério da Marinha, mas não tem mar. E as chances de ter acesso ao Pacífico, uma reivindicação desde o século 19, ficaram mais distantes. A Corte Internacional de Justiça disse que o Chile não deve ser obrigado a negociar a cessão à Bolívia de um acesso ao Oceano Pacífico.”

Imagem do dia:

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/10/02/Opiniao/Imagens/Cortadas/000_19N604-ID000002-1200x800@GP-Web.jpgO número de mortos no terremoto e tsunami na Indonésia não para de aumentar. Até esta segunda-feira, já tinham sido confirmados 844. E o número tende a crescer, já que grande parte da área atingida está inacessível. JEWEL SAMADAFP

Paraná

A Gazeta do Povo entre os finalistas do maior prêmio de direitos humanos do jornalismo brasileiro. Sandro Gabardo (Política Paraná) escreve:  

Não para. O ex-presidente do IAP Luiz Tarcísio Mossato Pinto foi denunciado pelo Gaeco de Guarapuava por corrupção passiva. A denúncia, que envolve ainda a filha dele e outras três pessoas, é um desdobramento da Operação Container, que investiga fraude a licitação, corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo transporte e destinação de lixo no interior do Paraná. Entenda o caso. 

Mais um. A Operação Lava Jato não é mais exclusividade de um único magistrado na capital paranaense. Dois processos ligados ao ex-governador Beto Richa, as operações Integração 1 a 2 e a Operação Piloto, foram parar recentemente nas mãos de Paulo Sergio Ribeiro, juiz substituto da 23ª Vara Federal de Curitiba. A repórter Katia Brembatti conta quem é esse ‘herdeiro’ de Sergio Moro nos assuntos da Lava Jato.

Decisivo. É a última chance, pelo menos na tevê aberta. Seis candidatos ao governo do Paraná participam nesta terça-feira (2) do debate da RPC. O evento, marcado para depois da novela Segundo Sol (22h), pode atingir até 500 mil espectadores, cinco dias antes das eleições. É um momento decisivo na luta pelo segundo turno.

Orgulho. A Gazeta do Povo está na final em duas categorias do 40º Prêmio Vladimir Herzog de jornalismo. A reportagem ‘Consumidos pela escravidão’, escrita por Felippe Aníbal e João Frey, concorre como melhor produção em texto. A reportagem também disputa como melhor fotografia, pelas imagens captadas pelo fotógrafo Albari Rosa.”

Futebol. E o Tricolor ficou só no 1 a 1 com o Vasco na Vila. Já são 13 jogos e 72 dias sem ver uma vitória. Confira como fica a tabela da classificação da Série A.

Curitiba

Tem gastronomia, tem show, tem fofura. Confira a seleção dos nossos editores:

Triste. Fernanda Leitóles (Curitiba) sugere: “Tradicional local de lazer dos curitibanos em décadas passadas, as piscinas de uma das sedes do Paraná Clube têm aspecto de abandono e foram interditadas pela Vigilância Sanitária. Outras áreas também receberam a mesma sanção.”

Ô, beleza. Andrea Torrente (Bom Gourmet) recomenda: “Mais um Festival Bom Gourmet vem ai! A 8.ª edição começa nesta sexta (5) em 58 restaurantes de Curitiba. Menus completos saem em duas faixas de preços, R$ 44 ou R$ 54. Veja a lista de casas participantes! 

Fofura sem limites. Isadora Rupp (Viver Bem) recomenda: “Vai deixar para a última hora de novo? Inscreva seu pet hoje no Cachorro do Ano, concurso da Gazeta do povo para eleger o pet mais fofo de Curitiba e região! As inscrições seguem até o dia 14.”

Todos os gostos. Aléxia Saraiva (Guia) indica: “O mês de outubro promete uma boa leva de shows nacionais e internacionais aterrisando em Curitiba. Entre eles, está o Z Festival, estrelando a ex-Fifth Harmony Camila Cabello, a clássica banda indie Franz Ferdinand e um show único do Criolo. Veja a lista completa!” 

Um ótimo dia a todos!

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: