Em vídeo ao lado do filho, Bolsonaro pede apoio para ‘quebrar a máquina do PT’

Impedido de fazer atos públicos de campanha desde que sofreu um atentado no início de setembro, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) fez um vídeo ao vivo, transmitido por suas redes sociais na noite desta segunda-feira (1º), junto com o filho Flávio Bolsonaro, candidato ao Senado no Rio de Janeiro

Ele voltou a criticar o PT e a esquerda e pediu apoio para “quebrar o atual sistema”. “Nós temos que quebrar esses sistema, nós temos que quebrar essa máquina que se apodera daquilo que você produz em causa própria”, afirmou.

O deputado federal disse também que pretende “implodir no bom sentido” os sigilos do BNDES. Ele disse ainda que há diversas estatais onde há pessoas ligadas ao PT.

Aceno às mulheres

A transmissão durou 14 minutos e Bolsonaro fez pequenas interrupções devido ao seu quadro de saúde. O presidenciável se recupera de uma facada em sua casa, no Rio de Janeiro, depois de passar mais de 20 dias internado.

O candidato do PSL falou com uma bandeira do Brasil ao fundo e ao lado de seu filho, Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), que disputa uma vaga no Senado.

Em meio à resistência entre as eleitoras, o deputado federal fez um aceno às mulheres, mencionando sua mulher e sua filha e culpando a esquerda pela rejeição do público feminino.

VEJA TAMBÉM:  Qual o efeito das acusações de Palocci na campanha de Haddad?

Ele pediu ainda votos em candidatos a deputado e senador do PSL e agradeceu a médicos e enfermeiras da Santa Casa de Juiz de Fora (MG), onde foi atendido após ter sido esfaqueado no início do mês. Ele prometeu ainda visitar a cidade quando se recuperar.

Bolsonaro negou que privatizará instituições como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil e disse que o setor de energia é estratégico para o país.

Ao citar exemplos de estatais que pretende privatizar falou da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), que erroneamente chamou de EBN.

Ele prometeu ainda retirar aliados do PT de cargos das empresas estatais. “Essa petralhada que está lá, não são todos, vamos implodir esse pessoal também.”

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: