O que é e quais são as vantagens e desvantagens de um pneu Run Flat?

Entenda o que é a tecnologia Run Flat; Conheça as vantagens e desvantagens.

Os pneus de um carro são itens fundamentais na segurança do motorista e de seus passageiros e, dependendo de sua qualidade, eles podem destacar e potencializar o que um carro tem de melhor.

Sabemos que o mercado de pneus coloca à disposição dos consumidores uma série de marcas, modelos  e diferentes medidas, e também diversas características que tornam o uso diferente entre um e outro. Porém, existe um tipo de pneu que gera muita curiosidade. E acho que você já deve ter ouvido falar no termo “Run Flat”, certo!?!

Este termo nomeia um tipo de pneu que foi desenvolvido para rodar mesmo depois de furado, tecnicamente falando: perda da pressão de inflação. É um tipo de pneu que permite acabar com quaisquer preocupações durante a condução relacionadas com eventuais danos nos pneus, incluindo danos nas paredes laterais e no piso de rodagem…

Pois bem. Pode não ser surpresa para muitos saber que existe pneus à prova de materiais cortantes como prego, vidro e parafuso. Esta tecnologia chamada “Run Flat”, ou “Run Flat tire”, ou “pneus que podem rodar vazios” (em uma tradução direta do inglês) surgiram na década de 1930, época em que as câmaras estouravam com mais facilidade trazendo prejuízo aos viajantes. Esses tipos de pneus proporcionam mobilidade a baixa pressão, ou seja, mesmo após serem perfurados e ficarem completamente sem ar, eles preservam a dirigibilidade. Desta forma, caso aconteça um imprevisto, o motorista pode sair tranquilamente da situação de risco e buscar a correção do problema sem pressa.

Os pneus Run Flat tem um processo de fabricação diferente. Vamos destacar a diferença entre um pneu Run Flat e um pneu convencional.

Estes pneus são fabricados com um tipo de borracha mais rígida que a convencional. As paredes internas de um Run Flat são reforçadas. Ao rodar furado, o pneu normal vai sendo rasgado pela roda em contato com a borracha. Nos Run Flat isso não acontece, pois as paredes mais fortes impedem que a roda desgaste rapidamente a borracha.

Isso é bom? Muito! Mas este tipo de pneu precisa de alguns requisitos para que consiga oferecer o desempenho que promete. Segundo especialistas técnicos, a “regra é a 80/80”: ele pode rodar até 80 km de distância, com pelo menos 80 Km/h de velocidade. Além disso, devem ser montados sempre em conjunto “com sistema que monitore a pressão dos pneus”.

A estrutura do pneu Run Flat é projetada para suportar o peso do veículo. (Foto divulgação)

Por outro lado, o reforço de material em sua composição deixa o Run Flat mais duro do que os pneus convencionais. Uma má notícia para quem não abre mão do conforto, pois deverão sentir muito mais as saliências e as imperfeições do solo. Sem falar nos níveis de vibração e ruído que certamente irão aumentar. Como somam mais elementos na estrutura, também são mais caros do que os pneus comuns. Portanto, como a tecnologia empregada é outra, estes pneus custam até o triplo do valor de um pneu normal.

Além do custo elevado, estes pneus vêm de fábrica no automóvel, geralmente em veículos de categorias premium (luxo). A tecnologia empregada nesse tipo de pneu nem sempre é compatível com grande parte dos carros. Os carros que possuem os Run Flat, acompanham um sistema de monitoramento da pressão dos pneus, para que possa avisar através de uma mensagem ou luz no painel do carro, sobre a perda de pressão, para que o motorista saiba que tem um pneu furado, por exemplo, e possa providenciar o reparo. Vale ressaltar que, quando não perfurados, os Run Flat funcionam como pneus normais e devem ser calibrados frequentemente, passar pelo rodízio, balanceamento, alinhamento, seguindo os cuidados que todo o pneu necessita.

Para diferenciar o pneu Run Flat, cada fabricante de pneu chama de uma forma e com uma sigla diferente, que poderão ser: flat tyre, runonflat, self supporting runflat, pax system, zero pressure ou zero pressure system, ZP, RF, ROF ou SSR.

Os pneus Run Flat existem apenas em algumas medidas, e não podem ser montados/instalados em qualquer veículo. Uma outra particularidade é que, se você possui pneus Run Flat no seu carro, deverá trocá-lo apenas em lugares que sejam adequados para fazer a troca, pois o pneu segue um procedimento de montagem diferente em relação aos pneus comuns, não sendo recomendável fazer a troca em qualquer lugar onde não seja especializado na troca de Run Flats. Se você não fizer a troca em um lugar específico, ou seja, se o pneu não for devidamente instalado, o risco do pneu se tornar inútil é grande. Sem contar que o valor da troca também é mais cara, uma vez que é mais difícil de ser feita e demora mais tempo. Portanto, considere ir a locais próprios para a troca. ✋

A legislação também não é a mesma para carros equipados com pneus Run Flat. Os veículos equipados com pneus Run Flat não precisam ter estepe, macaco e chave de roda, obrigatoriamente, de acordo com Resolução 14/1998 do Contran.

A grande desvantagem não está no pneu, mas onde ele roda. Além de suas particularidades, este “pneu não foi projetado para o Brasil”, e sim para as estradas de primeiro mundo. 🙄

#AutoPeçasMolina é informação! 😉

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: