Rejeição a Haddad sobe 11 pontos e candidato diz que parte da elite adotou o ‘fascismo’

Em agenda no Rio nesta terça-feira (2), o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, ligou o aumento da rejeição a seu nome a ataques feitos pelo PSDB. O petista também disse que parte da elite do país “abandonou a social-democracia pelo fascismo”. A rejeição a Haddad subiu 11 pontos percentuais segundo pesquisa Ibope* divulgada na noite de segunda-feira (1º).

“Temos sofrido muitos ataques do PSDB, mas isso não está favorecendo o PSDB, e sim o fascismo. Quando você alimenta o ódio, alimenta o fascismo. Aconteceu na Alemanha, na Itália”, afirmou o ex-prefeito em agenda da Fundação Instituto Oswaldo Cruz. “Parte expressiva da elite brasileira abandonou a social-democracia pelo fascismo”, completou.

LEIA TAMBÉM: Qual o efeito das acusações de Palocci na campanha de Haddad?

Questionado se o fascimo a que se refere é expresso na figura do candidato Jair Bolsonaro (PSL), Haddad deixou no ar. “Ai vocês interpretam como quiserem”.

Petista evitou comentar outros números do Ibope

Haddad falou rapidamente à imprensa ao chegar à Fiocruz. Não comentou outros dados do levantamento, como o crescimento de quatro pontos percentuais do candidato do PSL. Nem o fato de suas intenções de voto terem estagnado.

SAIBA MAIS: Bolsonaro sobe 6 pontos e vira líder entre mulheres no fim de semana do #EleNão

Segundo o Ibope, as intenções de voto em Bolsonaro passaram de 27% para 31%, enquanto o petista ficou em 21% nas duas pesquisas (a divulgada em 1.º de outubro e a publicada em 26 de setembro**). Ambas têm margem de erro de dois pontos percentuais.

Rejeição a Haddad sobe 11 pontos

Com relação à rejeição, o petista viu o seu percentual subir 11 pontos. No levantamento do dia 26, ele tinha 27%. Já na pesquisa desta semana, alcançou rejeição entre 38% dos eleitores. O número só é menor do que o percentual de Bolsonaro, que lidera o indicador com 44%.

DESEJOS PARA O BRASIL: Uma política moralmente exemplar

O percentual de rejeição é a Haddad é maior do que o obtido pelo ex-presidente Lula neste ano, quando as pesquisas ainda traziam o nome do político como candidato do PT. Na sondagem divulgada em 20 de agosto*** pelo Ibope, Lula tinha 30% de rejeição.

Metodologias

*O Ibope divulgado em 1.º de outubro foi a campo no sábado (29) e no domingo (30) e ouviu 3.010 eleitores. A margem de erro estimada da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%. O levantamento foi encomendado pelo jornal O Estado de S.Paulo e pela TV Globo, tendo sido registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR08650/2018.

**O Ibope divulgado em 26 de setembro foi realizado de 22 a 24 de setembro com 2.000 entrevistados (Brasil). Contratada por: Confederação Nacional da Indústria. Registro no TSE: BR-04669/2018. Margem de erro: 2 pontos percentuais. Confiança: 95%.

****O Ibope divulgado em 20 de agosto foi realizado de 17 a 19 de agosto com 2.002 entrevistados (Brasil). Contratada pelo jornal O Estado de S.Paulo e pela TV Globo. Registro no TSE: BR-04669/2018. Margem de erro: 2 pontos percentuais. Confiança: 95%.

Mais na Gazeta do Povo!

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: