Brasil avança na eliminação de gases nocivos ao meio ambiente

Protocolo de Montreal estabeleceu meta de substituir os gases sintéticos no país até 2040

A Organização das Nações Unidas (ONU) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) se uniram à iniciativa privada para cumprir a meta do Protocolo de Montreal de substituir os gases HCFCs, como o R22, até 2040 no Brasil. Uma das empresas escolhidas para desenvolver uma solução tecnológica para esta conversão é a Eletrofrio Refrigeração LTDA, que está trabalhando em uma pesquisa com o propano, um gás natural inofensivo à camada de ozônio.

O estudo faz parte do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs, que são gases refrigerantes sintéticos nocivos ao meio ambiente. O objetivo é eliminar 39,3% até 2020 e 51,6% até 2021. A eliminação completa deve acontecer até 2040.

Como o projeto da Eletrofrio está sendo custeado por um fundo financeiro doado pela ONU, a tecnologia será disponibilizada para todo o setor brasileiro. “Estamos desenvolvendo uma solução que será de domínio público, ou seja, vamos transferir o conhecimento da pesquisa para que o Brasil possa avançar na eliminação dos gases sintéticos”, afirma o engenheiro da Eletrofrio, Rogério Marson.

A Eletrofrio já utiliza o CO2 desde 2011 em seus equipamentos, uma solução ambientalmente correta, assim como o propano. “O desenvolvimento de outras alternativas representa a consolidação das soluções de fluidos naturais no Brasil. Com isso, o nosso país dá um passo enorme para alcançar a substituição completa dos gases sintéticos e cumprir a meta do Protocolo de Montreal”, destaca Marson.

O propano possui um investimento inicial menor e alta eficiência energética, porém é inflamável, o que exige alta capacitação dos profissionais que forem trabalhar com ele. Segundo o engenheiro, o propano não substitui o CO2, mas virá como uma opção a mais para os supermercadistas e varejistas brasileiros. “Cada um possui suas características e vantagens e a escolha ideal dependerá de cada projeto”.

A Eletrofrio é líder no mercado brasileiro de refrigeração comercial e foi escolhida para trabalhar no projeto do propano por estar sempre à frente e se destacar na criação de tecnologias eficientes e sustentáveis. Neste ano, a empresa lançou a linha Vittrine após dois anos de pesquisas nacionais e internacionais. O lançamento recebeu um investimento de R$ 50 milhões e economizará, em média, 20% de energia elétrica em comparação com a atual linha da empresa (para sistemas com expansão direta), que já é muito eficiente.

Com 71 anos de história, a Eletrofrio é especialista em expositores refrigerados, câmaras frigoríficas e sistemas de geração de frio alimentar.

O grupo possui uma área total de 200 mil m², faturou em 2017 R$ 1,100 bilhão e espera crescer 10% neste ano.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: