Dólar opera perto da estabilidade, monitorando exterior e noticiário político local

No dia anterior, a moeda norte-americana recuou 0,53%, vendida a R$ 3,7384.

O dólar opera com leves oscilações nesta quinta-feira (8), monitorando o cenário externo em dia de decisão de política monetária do Federal Reserve (BC dos EUA), e com os investidores à espera de novidades sobre a equipe econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro e sobre a reforma da Previdência.

Às 12h58, a moeda norte-americana subia 0,09%, vendida a R$ 3,7417.

Taxa de juros dos EUA

A expectativa é de um novo aumento na taxa de juros dos EUA só em dezembro. O Fed já elevou os juros três vezes neste ano e outras cinco altas são esperadas até o início de 2020.

Juros mais altos nos EUA têm potencial para atrair recursos aplicados nas economias emergentes.

O Partido Democrata conquistou a maioria da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pela primeira vez em oito anos. O resultado das eleições legislativas significa uma derrota parcial para o presidente Donald Trump, já que o seu partido, o Republicano, ampliou sua vantagem no Senado.

Desta forma, a oposição terá a habilidade de investigar as declarações fiscais de Trump, possíveis conflitos empresariais de interesse e alegações envolvendo a campanha do presidente em 2016 e a Rússia, destacou a Reuters. Os deputados também poderão impedir Trump de construir um muro na fronteira com o México, de aprovar um segundo grande pacote de cortes fiscais e de aplicar mudanças nas políticas comerciais.

Sem novos cortes de impostos, é provável que o Federal Reserve tenha menos trabalho para conter a trajetória de alta da inflação, o que pode esvaziar as apostas sobre aumento de juros.

Cenário local

Segundo a Reuters, duas novidades do Senado na véspera influenciavam os negócios nesta sessão. Os senadores aprovaram reajuste de 16,38% para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), com impacto bilionário nas contas públicas.

Mas também aprovaram requerimento que confere o regime de urgência para projeto de lei que promete viabilizar a realização de um mega leilão de áreas para a produção de petróleo do pré-sal, o que pode contrabalançar o humor, já que tendo a gerar renda bilionária ao governo.

A possibilidade de o governo tentar promover alterações na Previdência por meio de medidas infraconstitucionais, ou seja, sem serem emendas à Constituição, teve uma leitura positiva pelos agentes, segundo a Reuters.

Além disso, o mercado espera nomes da equipe econômica do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 13,6 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de dezembro, no total de US$ 12,217 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

No dia anterior, a moeda norte-americana recuou 0,53%, vendida a R$ 3,7384.

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: