Metrô SP estuda compra de novos trens em 2019

O diretor de Operações do Metrô SP, Milton Gioia, disse que a companhia pretende adquirir trens a partir de 2019, em quantidade ainda não definida. “A gente está estudando a aquisição de novos trens para melhorar ainda mais o serviço para o nosso usuário”, declarou ele à Revista Ferroviária nesta terça-feira (06) durante o encontro anual do CoMET (Comunity of Metros), evento que reúne representantes de 19 sistemas metroferroviários do mundo. O encontro acontece em São Paulo até o dia 9 de novembro.

Durante sua apresentação, ele mostrou que, entre 2005 e 2018, o número de passageiros transportados na rede de metrô (incluídas as duas linhas operadas pela iniciativa privada, 4-Amarela e 5-Lilás) aumentou 102%, atingindo a marca de 5 milhões por dia. Ou seja, os novos trens serviriam para atender a essa demanda crescente de usuários.

O diretor disse que no final de novembro o Metrô vai abrir as propostas para a instalação de 88 portas de plataforma em 36 estações. “O número de invasões à via e de tentativas de suicídio aumentaram infelizmente, assim como a quantidade de transgressões [eventos como usuários que deixam o celular cair, que sentam na plataforma] aumentou significativamente, então a gente tomou a decisão de instalar portas de plataforma para melhorar a segurança do usuário e a circulação dos trens”, declarou.

Trata-se de um contrato que irá durar cinco anos, segundo o diretor, que disse que serão contempladas todas as estações das linhas 1 (Azul) e 3 (Vermelha) e parte da linha 2 (Verde).

Ainda no tema segurança, ele disse que está sendo feito um trabalho para aumentar a inteligência do sistema por meio de integração com as polícias militar e civil. Além disso, há estudos para a aquisição de mais câmeras de monitoramento (hoje são 3 mil) e está sendo contratada a compra de exoesqueletos, equipamentos que visam aumentar a segurança dos empregados da companhia, em especial durante situações como jogos de futebol.

Experiência internacional

O líder dos grupos internacionais de benchmarking do CoMET, Alexander Barron, declarou à RF que o Metrô SP, anfitrião do evento, realiza um verdadeiro “milagre” todos os dias por transportar tantas pessoas em tão pouco espaço. “Trata-se de uma companhia muito sólida em operações e engenharia que tem entre seus desafios atender a demanda de grandes eventos. Eu acredito que é uma empresa forte que pode ensinar muito aos outros metrôs presentes”, disse ele, que também destacou o esforço da empresa na área de responsabilidade social.

Na pauta de discussões do CoMET estão assuntos de interesse comum e sensíveis aos grandes metrôs do mundo, tais como gestão de incidentes que envolvam passageiros (será apresentado um estudo sobre terrorismo, por exemplo); práticas modernas de manutenção (haverá, entre outros temas, discussões sobre mudanças climáticas); otimização da disponibilidade de trens; estruturação dos custos de investimentos em construção e implantação de sistemas. Os convidados terão reuniões de trabalho e trocarão experiências em encontros fechados ao público.

Estão presentes ao evento representantes sistemas metroviários como: Beijing BMTROC, Berlin BVG, Delhi DMRC, Guangzhou GMC, Hong Kong MTR, London Underground, Metro de Madrid, Mexico City STC, Moscow Metro, New York NYCT, Paris RATP, Metro de Santiago, Seoul Metro, Singapore SMRT, Shanghai SSMG e Taipei TRTC e representantes do Buenos Aires Metrovias e Metrô Rio.

Fonte: Revista Ferroviária
Data: 06/11/2018

Mais...


Leia Também:
Anterior:

Próxima: